Defesa de TCC ratifica importância da colaboração com universidades alemãs

30/07/2020 14:14

Gabriel Fraga em no Instituto Fraunhofer IPT/Aachen

A longa parceria do Departamento de Engenharia Mecânica da UFSC com instituições da Alemanha, particularmente com a Universidade Técnica de Aachen (sigla em alemão RWTH), vem garantindo experiência internacional a alunos ainda em fase de graduação. É o caso de Gabriel Fraga, que em julho defendeu o seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) em aplicações no setor aeroespacial e de Óleo & Gás, intitulado “Estruturas de paredes finas em Inconel 718 fabricadas por deposição de metais a laser baseada em arame”.

Os resultados do trabalho haviam sido expostos numa das maiores feiras de manufatura aditiva do mundo, a Formnext 2019. Também será publicado um artigo derivado do TCC no Congresso de Tecnologias Laser LANE 2020, em setembro deste ano.

Defendido virtualmente no dia 17/07, o trabalho teve como foco a avaliação de desempenho de um cabeçote de processamento para a tecnologia de Deposição de Metais a Laser, alimentado por arame (LMD-w) e desenvolvido no Fraunhofer-Institut für Produktionstechnologie, localizado na cidade alemã de Aachen.

“No total, fiquei um ano na Alemanha, e além do período de permanência como Aluno Auxiliar de Pesquisa (HIWI) no Instituto Fraunhofer de Tecnologias de Produção (IPT), validado como “Estágio Profissionalizante” na UFSC, cursei disciplinas na RWTH Aachen”, disse Gabriel, que foi bolsista de Iniciação Científica no Instituto de Soldagem e Mecatrônica (Labsolda) e no Laboratório de Mecânica de Precisão (LMP). Para manter o vínculo com o Departamento de Engenharia Mecânica, ele se associou à Alumni EMC no mesmo mês da defesa de seu TCC, cuja banca foi composta pelo coordenador do curso de graduação em Engenharia Mecânica, Carlos Niño, pelo pesquisador no Instituto Senai de Inovação em Processamento a Laser e doutorando no Posmec, Jhonattan Gutjahr, e pelo orientador do trabalho, Milton Pereira.

Prêmio de Cooperação Brasil Alemanha

A cooperação com a RWTH Aachen foi estabelecida durante a gestão do Reitor Caspar Erich Stemmer, na década de 70. A partir de então, houve um frequente intercâmbio de alunos, principalmente nas modalidades mestrado e doutorado-sanduíche. A parceria com o Instituto Fraunhofer foi iniciada pelo professor Walter Lindolfo Weingaertner, que fez doutorado no Instituto WZL da RWTH Aachen e contou com o auxílio do Instituto Fraunhofer IPT na avaliação das características microgeométricas de componentes fabricados no torno de ultraprecisão desenvolvido em 1987 no LMP.

“Vi a oportunidade de nossos alunos poderem ser aproveitados (pelo IPT) na disciplina de Estágio Profissionalizante do Curso de Engenharia Mecânica da UFSC. Depois das primeiras experiências, a ideia mostrou ser um sucesso, pois, pelo fato de nossos alunos estarem no laboratório 40 horas por semana, com dedicação exclusiva, eram muito mais eficientes que os colegas alemães que apenas cumpriam as 17 horas contratadas. O programa cresceu e o Serviço de Intercâmbio Acadêmico Alemão reconheceu o meu esforço me concedendo o Primeiro Prêmio de Cooperação Brasil Alemanha”, contou o docente do EMC e membro do Conselho Fiscal da Alumni.

Desde então, o programa se expandiu e hoje contempla diversas universidade brasileiras. Os alunos têm oportunidade de complementar a formação e trabalhar em projetos no estado da arte da tecnologia. “Temos alunos do LMP espalhados em várias instituições na Europa, principalmente por causa desse trabalho que o Prof. Walter desenvolveu”, concluiu o professor  Milton, que fez pós-doutorado em RWTH/Aachen após a graduação, mestrado e doutorado na UFSC.

Fonte: Divulgação EMC/UFSC

Tags: EMCGabriel FragaUFSC