UFSC é a sexta melhor universidade do país no ranking do jornal Folha de S. Paulo

02/10/2018 08:12

A Universidade Federal de Santa Catarina é a sexta melhor do país de acordo com o Ranking Universitário Folha (RUF) 2018, avaliação anual realizada pelo jornal Folha de São Paulo. O levantamento classifica 196 instituições brasileiras a partir de cinco indicadores: pesquisa, ensino, mercado, internacionalização e inovação. A UFSC atingiu nota 92,30, de 100 possíveis.

A posição da UFSC é a mesma do RUF 2017: entre as federais do Brasil, a UFSC é a 4ª colocada, e a 2ª melhor universidade da Região Sul, atrás apenas das federais do Rio Grande Sul (5ª), de Minas Gerais (3ª) e do Rio de Janeiro (2ª). USP (1ª) e Unicamp (4ª) são as outras universidades no topo do ranking.

Para o reitor da UFSC, Ubaldo Balthazar, “mais uma vez a UFSC demonstra sua capacidade de superar os desafios que lhe são impostos todos os dias. Mesmo com redução de recursos, com ameaças à autonomia, com crises criadas de fora para dentro, a cada nova avaliação, a instituição mantém e amplia sua importância. Isso revela a força da comunidade de docentes, técnicos e estudantes e seriedade de uma gestão responsável”.

A UFSC recebeu as seguintes pontuações:

Pesquisa: 39,31 (de 40%) – 8ª colocação geral ;

Ensino: 30,47 (de 32%) – 7ª colocação geral;

Inovação: 3,27 (de 4%) – 13ª colocação geral;

Internacionalização: 3,62 (de 6%) – 7ª colocação geral;

Mercado: 15,63 (de 18%) – 26ª colocação geral;

Nota final: 92,30 –  6ª colocação geral.

Confira os cursos avaliados

Administração de empresas (11º)

Agronomia (18º)

Arquitetura e Urbanismo (8º)

Biologia (13º)

Ciências Contábeis (8º)

Computação (7º)

Comunicação (2º)

Design e Artes Visuais (5º)

Direito (12º)

Economia (17º)

Educação Física (8º)

Enfermagem (6º)

Engenharia Ambiental (5º)

Engenharia Civil (11º)

Engenharia de controle e automação (2º)

Engenharia de produção (3º)

Engenharia Elétrica (6º)

Engenharia Mecânica (4º)

Engenharia Química (9º)

Farmácia (9º)

Filosofia (7º)

Física (8º)

Fisioterapia (16º)

Geografia (11º)

História (15º)

Letras (18º)

Matemática (10º)

Medicina (12º)

Medicina veterinária (19º)

Nutrição (15º)

Odontologia (10º)

Pedagogia (19º)

Química (8º)

Relações Internacionais (8º)

Serviço Social (14º)

Mudanças na metodologia

Em 2018, a metodologia do RUF passou por diversas alterações e a contar com um conselho consultivo. O indicador Inovação (peso de 4% na nota final) contabiliza agora a quantidade de estudos acadêmicos publicados pelas universidades em parceria com o setor produtivo – antes eram apenas as patentes solicitadas pelas instituições de ensino.

Outra modificação foi a ampliação do recorte temporal da coleta dos dados relativos à produção científica das escolas do país: de dois anos para cinco anos (2011-2015). O valor dado à nota do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) na fórmula do RUF foi aumentado: vale quatro pontos – o dobro de anteriormente. A nota total recebida pelas universidades é calculada a partir de cinco indicadores que somam cem pontos: qualidade do ensino, percepção do mercado de trabalho, inovação, pesquisa acadêmica e internacionalização.