Novos contratos de manutenção devem agilizar os trabalhos da Imprensa Universitária da UFSC

16/06/2017 10:23

Vladimir Fey: garantia de manutenção. Foto: Ítalo Padilha/Agecom

Setor gráfico da UFSC que, além de atender a confecção dos impressos para os diversos setores da universidade e os campi na edição de trabalhos de pesquisa e obras originais de docentes, técnicos administrativos e alunos, a Imprensa Universitária trabalhará de uma forma mais ágil, graças a um trabalho de manutenção de suas máquinas gráficas e digitais.

“A imprensa é um setor industrial com uma verdadeira linha de produção. Só da Editora estamos com várias produções, que trabalhamos desde a pré-impressão ao acabamento”, explica o diretor-geral Paulo Márcio Ávila, que se reuniu nesta quarta-feira, dia 14, com o reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo e o secretário de Planejamento (Seplan) Vladimir Fey,  e conversou sobre as demandas da gráfica e os novos contratos de manutenção das máquinas gráficas e digitais.

Segundo Paulo, “estávamos com dificuldades para executar os nossos serviços e essa nova relação com a Seplan, uma secretaria com uma visão aberta para buscar soluções conjuntas, atende  aos dois lados”. Vladimir Fey lembrou as reuniões feitas no início da gestão atual e um pedido do reitor para que fosse dada uma atenção especial à Imprensa Universitária, resgatando a sua identidade.

“E o que a gente via era um conjunto de demandas e situações que comprometiam a operacionalidade regular da IU, dificultando o compromisso com determinados valores de produção, justamente por conta do quesito da manutenção”, observa  Fey.

Vladimir lembra que os trabalhos da gráfica normalmente têm prazos normalmente muito estreitos e que, portanto, o setor precisa ter a garantia de que, ao quebrar uma máquina, os técnicos sejam chamados e o conserto feito no menor tempo possível. “Daí a importância do atual contrato de manutenção”.

Cancellier: recuperar o tempo perdido. Foto: Ítalo Padilha/Agecom

Para Cancellier, há a percepção de que a Imprensa Universitária, junto com a Editora, a Agência de Comunicação e a própria TV UFSC, são os ramos da comunicação da universidade com um ponto em comum: trabalhar a imagem da instituição, interna e externamente.

“Só quem não conhece a instituição, quem não tem o carinho por ela, é que pode pensar em fechar ou ignorar setores como a gráfica. Quem viveu aqui, quem se formou aqui, tem a obrigação de recuperar o tempo perdido e recolocar esses quatro setores no seu devido lugar”, acrescenta.

Participaram do encontro, além de Luiz Cancellier, Vladimir Fey e Paulo Márcio Ávila, o Pró-Reitor de Administração, Jair Napoleão Filho, o coordenador de Apoio Administrativo da gráfica, César Murilo Natividade, o chefe da Divisão de Fotocomposição, Adriano H. Hedler, o Assistente de Administração, Luiz Henrique Vieira Silva, e o chefe da Divisão Técnica, Mauro Coelho.