Professores de PPG da UFSC estão entre os mais produtivos da área no Brasil

06/05/2021 11:58

Seis professores do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal de Santa Catarina estão entre os pesquisadores mais produtivos na área de Engenharia Química do Brasil entre 2010 e 2019. O levantamento considera o número total de publicações realizadas neste período  a partir da base de dados bibliográfica Scopus. O PósEnq é avaliado com nota máxima pela Capes, o que lhe garante o título de excelência na formação e produção acadêmica de cientistas. Além dele, os de Ciência e Engenharia de Materiais e Química também são avaliados com a nota 7.

A professora Débora de Oliveira, coordenadora do PósENQ, e o professor José Vladimir de Oliveira, que também atuam no Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Alimentos (PPGEAL) estão entre os mais produtivos. Também fazem parte do quadro dos 50 pesquisadores mais produtivos na área os professores Pedro Henrique Hermes de Araújo, Selene Maria Arruda Guelli Ulson de Souza, Antônio Augusto Ulson de Souza e Claudia Sayer, todos vinculados ao Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos da UFSC.

O levantamento está disponível na plataforma SciVal, que apresenta uma série de métricas da produção científica, produzida pela Elsevier, empresa holandesa que agrega editora e soluções relacionadas à produção científica. Essas métricas, extraídas a partir da base de dados bibliográfica Scopus, agregam informações sobre o desempenho de instituições e cientistas em qualquer país do mundo. 

Para a pró-reitora de Pós-Graduação da UFSC, Cristiane Derani, trata-se de uma excelente notícia para a UFSC, considerando a nota máxima do PPG. “É um exemplo de como se constrói um PPG de nota 7”, comenta a professora, que lembra o reconhecido destaque dos PPGs da UFSC em volume de citações internacionais. “No ranking de 2019 fomos a primeira entre as universidades brasileiras mais citadas internacionalmente e isso é importante de se valorizar para toda a universidade”, diz.

Produtividade transita por diversos interesses de pesquisa

A professora Débora de Oliveira, que começou sua formação científica na UFSC, leciona na instituição desde 2013. Ela atua na área de enzimologia, pesquisando temas como produção, purificação e imobilização de enzimas, desenvolvimento de processos enzimáticos de interesse para a área têxtil, de biodiesel e de modificação de óleos e gorduras. São mais de 300 artigos publicados em periódicos científicos e cerca de 100 dissertações de mestrado e teses de doutorado sob sua orientação ao longo da carreira.

nstitucDestaque como um dos pesquisadores 1A do CNPq na UFSC, José Vladimir de Oliveira é professor titular-livre na instituição. Suas pesquisas envolvem temas como termodinâmica do equilíbrio de fases a baixas e elevadas pressões, encapsulamento e liberação de compostos bioativos em nanoestruturas, produção enzimática de biopolímeros, técnicas alternativas de produção de biodiesel, entre outros. Entre os seus projetos atuais, coordena um que investiga os extratos vegetais nanoestrurados no controle do mosquito vetor Aedes aegypti, o mosquito do Zika vírus..

Desde 2003 na UFSC, o professor Pedro Henrique Hermes de Araújo estuda temas como polimerização em meio disperso, modelagem matemática e monitoramento de reações de polimerização, reações catalisadas por enzimas, nanoencapsulação de compostos bioativos e materiais inorgânicos, entre outros. Na sua formação, teve passagens por instituições de países como Espanha e Alemanha. Entre seus projetos atuais, um está relacionado à pandemia de Covid-19: ele é integrante de uma pesquisa que pretende propor uma plataforma de testes rápidos ultrassensível e inovador.

Também entre as pesquisadoras 1A do CNPq na UFSC, Selene Maria Arruda Guelli Ulson de Souza publicou 210 artigos em periódicos especializados e 504 trabalhos em anais de eventos, além de assinar nove capítulos de livros. Tem seis depósitos de patente, um de software e outros 622 itens de produção técnica cadastrados na Plataforma Lattes do CNPq. Sua atuação tem ênfase em operações de separação e mistura; têxteis, petróleo e petroquímica e meio ambiente. Só em 2021, assinou estudos em 16 publicações internacionais.

Professor titular da UFSC, Antônio Augusto Ulson de Souza atua em linhas como desenvolvimento e aplicação da técnica de fluidodinâmica computacional, transferência de calor e massa em sistemas reativos e adsortivos, processos da indústria têxtil, entre outros. Atualmente, coordena um projeto de pesquisa que pretende investigar os bioprocessos e processos oxidativos avançados em substituição a processos químicos tradicionais para o tratamento de efluentes na indústria têxtil. 

Atuando com polimerização em meio disperso, copolimerização, monitoramento e modelagem, a professora Claudia Sayer é professora da UFSC desde 2004. Atualmente, ela coordena um projeto sobre sustentabilidade Industrial, com foco no tratamento, aproveitamento e valorização de resíduos; tecnologias limpas; fontes renováveis de energia e uso da biodiversidade. 

 

Tags: PósEnqProdutividadePrograma de Pós-Graduação em Engenharia QuímicaSciValScopus