UFSC na mídia: UFSC quer metas mais ambiciosas para o Plano Estadual de Educação

02/10/2014 09:33

Professores e alunos da área educacional da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) analisaram o texto preliminar do Plano Estadual de Educação (PEE), apresentado pelo governo catarinense no começo de setembro, e pediram objetivos mais ambiciosos. Feito nos moldes do Plano Nacional de Educação (PNE), o documento elaborado pelo Estado prevê 19 metas para os próximos dez anos, que vão desde gastar o equivalente a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) no setor a melhorar o atendimento em creches. As sugestões discutidas na Pró-reitoria de Graduação da universidade, ontem de tarde, serão encaminhadas para o Fórum Estadual de Educação.
(mais…)

Tags: Diario CatarinenseNa MídiaUFSC

Na mídia: Estudo revela que RS lidera ranking nacional de emergência por estiagem

01/06/2012 12:02

Matéria publicada no jornal Zero Hora destaca estudo realizado pelo  Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da UFSC:

Um estudo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) sobre duas décadas de desastres naturais transforma em números o que os agricultores gaúchos sentem na pele e no bolso. 

O relatório, divulgado pelo Ministério da Integração Nacional, mostra que o Rio Grande do Sul é líder em notificações de situação de emergência: foram 4.924. Destas, 2.643 (64%) por estiagem. São mais de 2,1 milhões de afetados em 457 municípios.


(mais…)

Tags: desastres naturaisl cepedNa MídiaUFSC

Na mídia: UFSC e Grupo RBS consolidam parceria no curso de Jornalismo

04/04/2012 14:19

Pelo décimo ano seguido, a parceria entre a UFSC e o Grupo RBS oferece aos alunos do curso de Jornalismo a disciplina Cátedra UFSC-RBS. Ao longo deste semestre, 14 estudantes terão oficinas práticas semanais com editores, repórteres, colunistas e comunicadores do Diário Catarinense, da RBS TV, da CBN Diário e do clicRBS.

No último encontro, que ocorreu na Redação do DC, os alunos puderam exercitar os conceitos de jornalismo digital, assistiram a uma apresentação sobre as rotinas do online na RBS e fizeram exercícios práticos nas plataformas usadas pelo jornal para publicar conteúdos na internet. Essa foi a quarta aula do semestre.

Os alunos também já conheceram a história da Cátedra com os professores Eduardo Meditsch e Hélio Schuch, da UFSC. Também já participaram de um seminário — mediado por Mário Motta — sobre as mudanças no Jornalismo com o colunista Moacir Pereira, o diretor de Operações e Produto da RBS em SC, Walter Bier, o editor executivo de online, Marcelo Fleury, e os professores Antonio Brasil e Rita Paulino.

Fonte: Diário Catarinense.

 

Tags: cátedra ufsc-rbsjornalismoNa MídiaUFSC

Na mídia: UFSC Joinville aluga nova sede no bairro Santo Antônio

14/02/2012 15:09

Matrículas na casa nova: Universidade federal deixa a Univille e aluga nova sede no bairro Santo Antônio

Os alunos do curso de engenharia da mobilidade da UFSC Joinville vão começar o semestre em novo endereço na rua Presidente Prudente de Morais, no bairro Santo Antônio. A matrícula dos calouros está sendo feita no local e termina hoje. O novo prédio, que pertence ao Colégio Exathum, vai abrigar os 1,2 mil alunos até que o campus da UFSC, às margens da BR-101, fique pronto. As turmas do primeiro curso oferecido pela universidade começaram as aulas em 2009, nas salas da Univille. O setor administrativo e a sala dos professores foram instalados em um ginásio.

(mais…)

Tags: bairro Santo AntônioNa Mídianova sedeUFSc Joinville

Na Mídia: Tecnologia de SC na Floresta Amazônica

19/04/2011 08:48

Diário Catarinense

Cravado na obra da gigantesca hidrelétrica de Jirau, em Rondônia, está um pedacinho de Santa Catarina. Do laboratório de madeira nativa, com tubos de ensaio, pipetas e cercado de vidraças, pode vir uma alternativa de renda para uma região com baixíssimo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

A parceria é entre o empresário Eduardo Peixoto, da catarinense Orbi Engenharia, e Miguel Guerra, agrônomo, pós-doutor em Biotecnologia e professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Há cerca de um ano, os dois se embrenharam na selva amazônica para tocar a iniciativa, pioneira na região.

Em Rondônia, o projeto é, principalmente, de desenvolvimento sustentável. Foram escolhidas três mudas de plantas absolutamente nativas: abacaxi, pupunha e açaí. A banana, que não é nativa, mas tem altíssimo valor nutricional, também entrou na lista.

O professor Guerra percorreu a área entre o Acre e o Amazonas, em busca das melhores plantas. As que, segundo os agricultores, são mais fortes e saborosas.

– É o que a gente chama de metodologia participativa. Pesquisador e agricultor juntos – diz o professor.

Uma ação que, em breve, voltará para os próprios agricultores daquela região. As mudas de abacaxis, criadas em laboratório, serão entregues, de graça, a moradores. Hoje coletores (plantam praticamente só para se alimentar), eles poderão aumentar sua produção em 30 vezes, sem precisar de mais espaço para isso.

– A média hoje é de 3 mil abacaxis por hectare. Com esse modelo, chegamos facilmente a 30, 40 mil por hectare. O índice de sobrevivência é alto, acima dos 90% – explica Guerra.

Benefício que será sentido por microagricultores como o rondoniense Geraldo Arruda. O açaí deve seguir o mesmo caminho. Segundo o pesquisador, é uma planta “de grande elasticidade no mercado mundial”.

A biofábrica despertou interesse até mesmo do ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Ele conheceu a estrutura na semana que passou. Levou para casa, em um tubo de ensaio, uma muda de abacaxi.

A floresta vale mais de pé do que se for destruída

O conceito aplicado por Guerra e Peixoto é, na essência, semelhante ao que chineses estão fazendo: donos de algumas terras naquele país recebem dinheiro do governo para não desmatarem florestas. É que, com mais plantas, chove mais, e os reservatórios de usinas hidrelétricas ficam mais cheios, gerando mais energia.

– É a valoração da floresta. Ela vale mais de pé do que destruída, em qualquer lugar. Aqui, o nativo pode aprender que vale mais fazer este tipo de agricultura do que devastar a mata para a pecuária.

Vale lembrar: a criação de gado é a principal razão para as queimadas nas florestas brasileiras. Esses incêndios ajudam a colocar o país entre os países que mais poluem.

*O jornalista viajou a convite da Orbi Engenharia e da Camargo Corrêa

,br

RODRIGO STÜPP * | Porto Velho

Tags: desenvolvimento sustentávelNa Mídia

Na Mídia: Vestibular – Dia para se concentrar na redação

21/12/2010 13:07
comunidade se mobiliza para o vestibular UFSC 2011

Fotos: Cláudia Reis / Agecom / UFSC

Diário Catarinense

O segundo dia do Vestibular 2011 da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) registrou a falta de mais 427 alunos. Até ontem, 5.645 candidatos desistiram de fazer a prova, o que representa 16,17%, dos 34.910 inscritos. Ainda estão na disputa, que termina hoje, 29.265 estudantes. Hoje, os estudantes encaram quatro questões discursivas, mais a redação.

Para o presidente da Comissão Permanente do Vestibular (Coperve), Júlio Szeremeta, o número de desistentes ficou dentro do esperado.

– Por ser o último vestibular do ano, imaginávamos um índice assim. Muitos candidatos já fizeram outros concursos e passaram.

De acordo com Szeremeta, por causa do calor – em Florianópolis os termômetros marcaram 33ºC – muitas pessoas precisaram de ajuda médica. Fora isso, nenhum outro incidente foi registrado.

O segundo dia teve 40 questões objetivas, dividas nas disciplinas de física, química, geografia e história. Na opinião geral dos alunos do Pré-Vestibular Gaia, a prova de física foi a mais difícil. Ela estava bem elaborada e tinha mais cálculo do que o de costume.

O coordenador Pré-Vestibular da UFSC e blogueiro do DC, Otávio Auler, ressalta que é importante dividir o tempo. As perguntas devem reunir mais de uma disciplina. A redação pode trazer temas como direitos humanos ou ligados à economia.

diario.com.br

No blog do professor Otávio Auler mais dicas em www.diario.com.br/otavioauler

Dicas de última hora
A professora de redação Cyntia Silva preparou algumas dicas para se fazer uma boa redação, que tem peso 15 no vestibular da UFSC. Ela lembra que clareza, concisão e capricho são fundamentais.
– Dê unidade às ideias levantadas e costure a redação com mecanismos de coesão e coerência.
– Capriche na letra. Ela deve ser legível, pois o examinador precisa entender seu texto na primeira leitura.
– Atenha-se às orientações e desenvolva uma redação conforme o gênero textual solicitado e ao número de linhas exigido.
– Cuidado com as citações. Não copie trechos dos textos apresentados na coletânea que serviu de base para o tema, pois demonstra falta de originalidade.
– Deu branco? Para desbloquear, é útil escrever de imediato um parágrafo a partir do qual os outros irão se desdobrar. Esse procedimento ajuda a gerar novas ideias sobre o assunto.
– Não utilize expressões do tipo “eu penso”, “eu acho” ou “eu acredito”, pois são marcas de subjetividade.
– Não apresente novos argumentos na conclusão, pois darão a falsa impressão ao leitor de que a redação prosseguirá.
– No caso de uma carta argumentativa, ao colocar a assinatura crie um pseudônimo, pois, caso você coloque o próprio nome, a sua redação será anulada.
– Ao final, procure construir uma conclusão. Justifique o título, que, em geral, surge quando você termina o texto. Mas, fique atento para não reproduzir nele o tema da redação.
– Para costurar a conclusão, empregue expressões tais como: diante do que foi exposto; a partir dessas considerações; diante desse quadro; em vista disso; tudo o que foi dito; esse quadro; assim; isso significa; dessa forma, entre outras.
ÚLTIMO DIA DE PROVA
– Redação e quatro questões discursivas
– A prova é das 14h às 18h
– Os portões são fechados pontualmente às 13h45min
– Os gabaritos estarão disponíveis amanhã, a partir das 9h, no site www.vestibular2011.ufsc.br
– O resultado está previsto para sair no final de janeiro, após a publicação das notas do Enem
Tags: Na MídiaVestibular UFSC 2011