Pesquisadores da UFSC divulgam nota técnica sobre manchas na Lagoa da Conceição

21/05/2020 09:27

Uma nota técnica sobre as extensas manchas de espuma na superfície da Lagoa da Conceição, especialmente nas margens norte e leste do Canto da Lagoa, junto à ponte da avenida das Rendeiras e ao longo da rua Vereador Osni Ortiga, em Florianópolis, aponta que, associados à escuma (manchas) “observaram-se peixes e camarões mortos. A análise microscópica das amostras revelou ser material orgânico em decomposição e grande quantidade de material de biofilme bêntico (crescido junto ao fundo). Este biofilme, com aspecto de espuma aerada densa, estava composto por uma massa mucilaginosa e fibrilar formada por bactérias, microalgas do grupo das diatomáceas (diversas espécies bênticas), além de cianobactérias (Oscillatoria) e dinoflagelados, alguns potencialmente tóxicos (Prorocentrum e Gymnodinium)”.

A nota é assinada pelo Laboratório de Ficologia (Lafic), – Laboratório de Oceanografia Química e Biogeoquímica Marinha, Núcleo de Estudos do Mar (Nemar), Veleiro Eco, e Daniele Damasceno Silveira, do Laboratório de Reuso de Aguas (LaRA) e se baseia em averiguação, análises e coleta de material dos pesquisadores da UFSC, que complementam e corroboram análise realizada por laboratório particular.
(mais…)

Tags: Laboratório de Ficologia da Universidade Federal de Santa Catarina (Lafic)LaficLagoa da ConceiçãoUFSC

Pesquisadores da UFSC apontam possibilidade de intoxicação na Lagoa do Peri

11/10/2019 16:30

Lagoa do Peri. Foto: Tatiana Grapsas

Pesquisadores do Laboratório de Ficologia da Universidade Federal de Santa Catarina (Lafic/UFSC), em visita técnica à Lagoa do Peri, no sul de Florianópolis, no dia 10 de outubro, constataram a ocorrência de peixes mortos no local. Diante desta observação, os integrantes do Lafic formularam duas hipóteses para o fato: (1) falta de oxigênio na água (anoxia) devido à severa redução de volume de água na lagoa; e (2) possibilidade de intoxicação por floração de algas nocivas.

Considerando que a possibilidade de intoxicação é a mais provável, os pesquisadores divulgaram hoje, 11 de outubro, nota ao público, recomendando, dentre outras medidas, que a população evite o contato com as águas e sedimentos da Lagoa do Peri.

Confira a íntegra da nota aqui.

Tags: Laboratório de Ficologia da Universidade Federal de Santa Catarina (Lafic)Lagoa do PeriUFSC