CCA oferece curso sobre Hidroponia

19/02/2002 14:41

Nos dias 2 e 3 de março, no Laboratório de Agricultura Irrigada e Hidroponia (LabHidro), do Centro de Ciências Agrárias/UFSC, começa uma nova série do “Curso sobre Hidroponia”, ministrado pelo professor Jorge Barcelos. O curso será ministrado em dois dias: no sábado, 2, no horário das 8h15min às 12h15min e das 14 às 18 horas; e no domingo, 3, das 8h às 12h e das 13h30min às 17h30min. As inscrições podem ser feitas na Fapeu pelo fone 331-8767. A taxa de inscrição é de R$ 140,00.

Através de aulas teóricas e práticas, os participantes tomarão conhecimento das inovações na área. A hidroponia é conhecida como a lavoura moderna e que oferece uma alimentação mais saudável. Informações com o prof. Jorge no fone 331 5438.

DAC abre inscrições para Oficinas de Artes

18/02/2002 12:47

Estão abertas a partir dessa segunda-feira-18/02 – as inscrições para as oficinas de artes oferecidas pelo Departamento Artístico Cultural. As aulas iniciam no dia 1o de março. Taxas e matrículas variam de R$ 25,00 a R$ 70,00. Entre os cursos e oficinas estão aquarela, cerâmica, pintura de nu-artístico, flauta doce e transversa, papel artesanal reciclado, piano e piano clássico, harmonia vocal, e teatro para adolescentes, entre outras. Informações http://www.dac.ufsc.br/cursos.html ou no Departamento Artístico Cultural, fone 331 9348 ou 331 9447

Ajuda contra as drogas na UFSC

18/02/2002 10:29

Não tem inscrição, vestibular, seleção nem qualquer tipo de formalidade para freqüentar a UFSC de segunda a sexta. Só que não é para fazer curso de graduação ou pós, mas para se apoiar mutuamente na busca de recuperação para a dependência às drogas e ao álcool. Pessoas de dentro ou fora da comunidade universitária, que enfrentam este tipo de problema, podem contar com o apoio do Grupo de Ajuda Mútua (GAM), que desde 1990 auxilia a recuperação de dependentes. Nesta quarta, dia 20, o grupo celebra a “graduação” de um trabalhador da universidade que pela primeira vez, depois de dez anos de tratamento, consegue ficar seis meses inteiros sem tomar um gole de bebida.

O trabalho faz parte do Serviço de Atendimento às Necessidades Psicossociais da UFSC, que funciona no primeiro andar do Centro de Ciências da Saúde (CCS), ao lado do Hospital Universitário. Um dos facilitadores voluntários, Rudnei Carlos Teixeira – um professor de Matemática que conseguiu se livrar da dependência – garante que qualquer pessoa pode chegar no grupo e ir se enturmando, sem se sentir segregado. O encontro acontece todas as manhãs de segunda, terça, quinta e sexta, a partir das 8h30min. Às quartas-feiras, às 17 horas, na sala 911 do CCS, qualquer pessoa da comunidade é bem-vinda a participar das reuniões do Grupo de Estudos dos Problemas das Drogas, que existe na UFSC desde 1989.

O professor Wilson Kraemer, que criou em 1987 o Serviço de Atendimento às Necessidades Psicossociais, já lidando com o problema da dependência química, diz que a idéia agora é reforçar a participação no grupo de estudos das quartas-feiras, um referencial de todo o trabalho, que é baseado na idéia inserir o dependente no ambiente sadio, livrando-o da segregação comum em alguns tipos de tratamento.

Os participantes do Grupo de Ajuda Mútua almoçam e jantam no Restaurante Universitário. A alimentação faz parte do tratamento, pois evita que a pessoa se drogue, como explica o professor Kraemer. Ele diz que o GAM está no aguardo de ofertas de passes de ônibus para voltar a oferecer o transporte que antes garantia para todas as pessoas em tratamento. As cortesias que a universidade assegurava foram interrompidas por dificuldades burocráticas relacionadas à compra dos passes.

Mais informações e entrevistas com Rudnei Carlos Teixeira (331-9575 e 9111-1907) e Wilson Kraemer ((331-9575, 228-2450 e 222- 0424).

Site aproxima comunidade acadêmica e sociedade

15/02/2002 15:33

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção e Sistemas (PPGEP) da UFSC lançou um novo site sobre Ciência e Tecnologia. Trata-se do Núcleo de Mídia Científica- MIC, que, entre outros objetivos, pretende popularizar as teses e dissertações defendidas por alunos do Programa. Entre as matérias publicadas nesta primeira edição, está o projeto da geóloga Efigênia Soares Almeida, 43 anos. Ela propõe a construção de obras como túneis, reservatórios de água e estações de tratamento de esgoto no subsolo de Florianópolis para expandir o espaço urbano da cidade e preservar o meio ambiente.

“A proposta é divulgar os trabalhos de conclusão de curso não só junto aos alunos da universidade mas também para toda a comunidade”, esclarece o professor Roberto Pacheco, coordenador do Laboratório de Desenvolvimento de Sistemas- Grupo Stela do PPGEP, que desde 1995 vem mantendo o Banco de Teses e Dissertações http://teses.eps.ufsc.br na rede.

Outro destaque do site é a implantação nas universidades brasileiras da Plataforma Lattes Institucional, um sistema de informação curricular capaz de mapear o perfil e a produção bibliográfica, artística ou tecnológica de professores, alunos e funcionários em fração de minutos. A Universidade do Vale do Rio dos Sinos- Unisinos ffoi a primeira instituição de curso superior a adotar o produto no seu campus, em São Leopoldo, distante 30 quilômetros de Porto Alegre (RS).Depois da Unisinos, mais sete estão na fila para implementar a novidade acadêmica. Entre elas, a USP, a Unicamp, a PUC do Paraná, a Universidade da Bahia, a UFRGS e a UFSC.

Além das brasileiras, as portuguesas também já sinalizaram interesse em gerenciar seu patrimônio intelectual. Para isto, um grupo de representantes da Universidade do Minho virá dia 15, sexta-feira a Santa Catarina para conhecer o produto criado pelo grupo catarinense- o Stela.

No site www.mic.ufsc.br o usuário poderá ter acesso ainda a um gigantesco banco de dados on line, a Plataforma Lattes, onde professores, pesquisadores e estudantes brasileiros depositam seus currículos e a produção técnica, científica e cultural. Uma simples consulta pode tirar do sufoco, por exemplo, jornalistas que estejam procurando o maior especialista de uma determinada área. Já os empresários dispõem na Plataforma de um imenso cadastro de profissionais altamente qualificados. De parte dos pesquisadores, o sistema é indispensável para quem quiser concorrer a bolsas e recursos para o desenvolvimento de projetos lançados pelas agências de fomento.

INFORMAÇÕES: Professor Vinícius Kern, coordenador do MIC

Pós-Graduação em Antropologia promove Cursos de Verão

15/02/2002 15:04

A Pós-Graduação em Antropologia da UFSC está realizando no mês de fevereiro os chamados Cursos de Verão. Uma carga horária menor que trabalha temas ligados ao curso e à sociedade, podendo ser assistido por qualquer pessoa que tenha interesse no assunto, sem ser necessariamente aluno da Antropologia.

O primeiro curso, nos dias 21 e 22 de fevereiro, é o de Teorias do Cinema, ministrado pelo professor da UFSCar e USP, José Gatti, que já foi professor na UFSC, no Curso de Jornalismo. Além do curso, com certificado, ele fala sobre Cinema em palestra aberta à comunidade no dia 21 de fevereiro, às 14h , no auditório do CFH.

O outro curso, nos dias 26 e 28 de fevereiro, é com a professora Maria Dulce Gaspar, da UFRJ e do Museu Nacional do Rio de Janeiro, que trabalha com o maior Sambaqui do Brasil, que fica em Jaraguá do Sul, Santa Catarina. Como a UFSC não tem um curso na área de Arqueologia, este vai ser um momento importante para discutir temas dessa natureza, numa área que mais se fortalece hoje no Brasil

A Oficina de Páginas Acadêmicas acontece nos dias 18, 19 e 20 e se propõe a ensinar alunos e interessados a construir suas próprias páginas na Internet para divulgação de Teses, Dissertações e trabalhos acadêmicos.

A iniciativa da pós em Antropologia está sendo coordenada pela professora Carmem Rial e informações sobre inscrição podem ser obtidas nos telefones 331.9714 ou no 232.6469

Abertas inscrições para a Casa da Estudante

14/02/2002 14:57

Estão abertas até o dia 28 de fevereiro as inscrições para a Casa da Estudante, com 13 vagas para o sexo feminino. As interessadas devem procurar o Serviço Social da UFSC e fazer o cadastro que vai avaliar o nível de carência de cada estudante. A coordenadora do programa, Rosilene dos Anjos, explica que o cadastro não equivale à inscrição, é preciso fazê-lo antes e só depois pedir inscrição para a moradia.

A UFSC conta com duas Casas de Estudantes. A Casa da Estudante

Universitária, que atende 34 estudantes de graduação, do sexo feminino, provenientes de outras localidades, e a Casa do Estudante, que atende 11 estudantes de graduação, do sexo masculino, também provenientes de outras localidades. Para moradia masculina não há previsão de abertura de vagas para este semestre. As inscrições ocorrem, geralmente, no início de cada semestre. A administração das Casas está sob a responsabilidade dos moradores e, para a manutenção é cobrada uma taxa.

Como alternativa de moradia, o Serviço Social mantém também um serviço de cadastramento de pessoas da comunidade externa interessadas em alugar para estudantes da UFSC. São informações sobre endereços e telefones de repúblicas; pensões; casas e apartamentos. Ao estudante entrega-se uma relação atualizada com estas informações.

Mais informações na Divisão de Serviço Social / PRAC

Serviço Social de Atendimento ao estudante, 2º andar prédio da

Reitoria, Campus Universitário Trindade.

Horário de atendimento: das 8:00 às 11:30 e das 14:00 às 17:00 hs.

Fone: 0 xx 48 331-9341

Endereço eletrônico:

Tese aborda questão das minas e conflitos sociais

14/02/2002 13:52

A dependência do governo federal e a alta capacidade de degradar o meio ambiente das empresas mineradoras da região de Criciúma são os pontos mais importantes de discussão levantados pela tese de doutorado de Francisco José Barretto da Silva, do Programa de Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC. A tese faz um estudo de caso do conflito acontecido entre agricultores e mineradores dos Morros Estevão e Albino, em Criciúma, o que levou ao fechamento da última mina naquela região.

Segundo Francisco é praticamente impossível às mineradores fazerem frente à poluição que a extração mineral acarreta e toda a degradação que provoca. “Não há viabilidade econômica”, diz. Ele também mostra como uma comunidade organizada pode mudar o rumo das coisas no que diz respeito a preservação do ambiente.

A tese Conflitos de Uso em Área de Proteção Ambiental: Água, Mineração e Agricultura será defendida na segunda-feira, dia 18 de fevereiro, às 13h30min, na sala 331, do CFH/UFSC. O professor orientador foi Luiz Fernando Sheibe.

Maiores informações com Francisco nos telefones 236.0075 ou 99736094.

Abertas inscrições para educação permanente na UFSC

14/02/2002 13:48

O Programa de Educação Permanente criado pela UFSC em 1997 para dar chances aos servidores de terminar o ensino fundamental e médio está com inscrições abertas para alunos novos. Também podem inscrever-se cônjuges e filhos de funcionários. Quem estiver interessado deve procurar o Departamento de Recursos Humanos, no período de 25 de fevereiro à 01 de março, no horário das 14h às 18h.

Até agora já passaram pelo Prepesusfsc mais de 500 trabalhadores, mas a coordenação acredita que ainda há muitos para serem atendidos. No ano passado, 80 técnico-administrativos participaram regularmente dos cursos. No HU é onde está o maior número de trabalhadores interessados mas é também lá que estão os maiores problemas de liberação. Como o quadro é reduzido a saída de um funcionário causa problemas e muitos acabam desistindo de entrar para o programa que exige uma dedicação continuada.

As aulas iniciam no dia 11 de março de 2002 e são ministradas por um quadro de 20 professores, todos trabalhadores aposentados da UFSC.

Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros

13/02/2002 14:17

Credenciada pelo MEC para aplicação do exame de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros, a UFSC está com inscrições abertas para realização da prova que concede o Certificado de Proficiência a estudantes de outros países cuja língua oficial é o português. O curso é requisito indispensável ao ingresso de estudantes-convênio em instituições de ensino superior brasileiras. Na UFSC, a responsabilidade pela execução do exame é do Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras, do Centro de Comunicação e Expressão.

Além de ser cidadão de país cuja língua oficial é o português, o candidato deve ter idade mínima de 16 anos e escolaridade equivalente ao ensino fundamenal. Com o objetivo de avaliar a competência de uso oral e escrito da língua através de atividades comunicativas, o exame será composto por parte coletiva – avaliação da leitura, compreensão oral e produção escrita – e outra individual – para demonstração de opiniões e expressão oral em situações do cotidiano. Informações 331 9288 e 331 9703.

Inscrições: Até 15/03/2002

Data do Exame: 29 e 30 de abril de 2002

Local: Depto de Língua e Literatura Estrangeiras – Centro de Comunicação e Expressão – Prédio B, sala 102

Mais informações: www.mec.gov.br

UFSC oferece curso sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal

13/02/2002 13:38

Estão abertas na UFSC as inscrições para o curso de Sistemas de Custos

Para Pequenos Municípios, que será oferecido nos dias 17, 18 e 19 de abril. O objetivo é difundir as exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal e as vantagens de adoção de um modelo simplificado do sistema de custeio baseado em atividades (ABC).

O curso é dirigido a prefeitos, vereadores, secretários municipais, assessores partidários e ocupantes de cargos comissionados, administradores, advogados, contadores, técnicos em contabilidade, entre outros profissionais. A promoção é do Núcleo de Indicadores Contábeis Brasileiros (NICB), vinculado ao Departamento de Ciências Contábeis da UFSC, com apoio da Fundação de Estudos e Pesquisas Sócio-Econômicos (FEPESE). O custo é de R$ 300,00 ou R$ 270,00* (duzentos e setenta reais) para membros do Conselho Regional de Contabilidade (CRC) ou do Conselho Regional de Administração (CRA),. Informações http://www.nicb.ufsc.br, E-mail: ou Fone:(0xx48)234-3407

UFSC quer reduzir problemas na detecção da Doença de Chagas

08/02/2002 14:09

Cerca de 50% dos exames para detecção da Doença de Chagas realizados em Santa Catarina e encaminhados para confirmação na UFSC podem estar incorretos. É o que indicam os exames confirmatórios realizados pelo Laboratório de Protozoologia, ligado ao Departamento de Microbiologia e Parasitologia do Centro de Ciências Biológicas da UFSC (www.proto.ufsc.br). Através de uma parceria desenvolvida entre a UFSC e a Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina (SES/SC), o Laboratório de Protozoologia passou a ser referência estadual para o diagnóstico da doença de Chagas e Leishmanioses. Reconhecido pela Portaria 754/2001 SES/SC, o laboratório investiga estas doenças através de técnicas sorológicas, parasitológicas e moleculares, sendo responsável pela realização de diagnóstico complementar, por estudos epidemiológicos e pelo encaminhamento para tratamento, quando indicado.

Levantamentos recentes realizados pelo Laboratório demonstram dados que merecem atenção tanto da população quanto dos órgãos de saúde pública. No caso da Doença de Chagas, entre 170 pacientes encaminhados à UFSC no período de 1992 a 2001, somente 87 eram de fato portadores da doença. “O fato merece atenção uma vez que alerta para a existência de exames com resultados falso-positivos” explica o professor Edmundo Grisard do Laboratório de Protozoologia. O levantamento revela ainda que, dentre os pacientes positivos, 45% relataram ter realizado mais de uma doação de sangue, “o que levanta a possibilidade da ocorrência de transmissão da doença de Chagas por via transfusional no Estado de Santa Catarina”, alerta o professor Mário Steindel, Coordenador do Laboratório de Protozoologia da UFSC.

No caso da Leishmaniose tegumentar ou cutânea, no período de 1994 a 2001 foram recebidos pela UFSC 55 casos para avaliação, sendo 53 confirmados. Um dado relevante é que entre os portadores, 12 contraíram a doença no próprio Estado, tradicionalmente considerado livre da doença. De acordo com o professor Edmundo, qualquer médico de qualquer localidade do Estado, ou paciente que desejar realizar o exame ou confirmação de testes já realizados, deve procurar uma unidade da Secretaria Estadual de Saúde e solicitar o encaminhamento a universidade. “Nossa preocupação agora é divulgar em todo o Estado de Santa Catarina a implementação deste serviço. Em um futuro próximo, será implementada uma rede estadual de informação, formação e orientação de profissionais de saúde para a melhoria do sistema de diagnóstico e notificação de casos”, informa o professor Mário.

Atualmente, 27 pessoas – 2 professores e 25 alunos de graduação e pós-graduação – trabalham no Laboratório de Protozoologia da UFSC. Mais informações com os professores Edmundo Grisard e Mário Steindel, fone 331 9512 ou pela internet: www.proto.ufsc.br e

SAIBA MAIS

DOENÇA DE CHAGAS

O Trypanosoma cruzi, agente etiológico da doença de Chagas, é um parasita amplamente distribuído nas Américas Central e do Sul. No território brasileiro infecções humanas têm sido registradas em todos os Estados. Em nível global, 80% dos casos da doença são provenientes da transmissão por insetos popularmente chamados de barbeiros, chupança ou fincão. O T. cruzi também pode ser transmitido via transfusão de sangue, congênita, oral, transplante de órgãos e de forma acidental em laboratório.

INCIDÊNCIA

Dados obtidos junto aos Hemocentros e centrais sorológicas de Santa Catarina no período de 1994 a 1997 mostram que a percentagem de doadores positivos para doenças de Chagas vem crescendo substancialmente – 0,3% em 1994 para 0,52% em 1997. Considerando-se a prevalência sorológica desta doença em bancos de sangue nos diferentes países latinoamericanos, uma incidência de 20 mil novos casos/ano é esperada.

PREJUÍZOS

No Brasil, a estimativa do custo direto e indireto da doença de Chagas (tratamento médico e hospitalar, ausência ao trabalho, aposentadoria precoce, etc), por grupo de 100 mil infectados pode ultrapassa 50 milhões de dólares/ano.

LEISHMANIOSE

A Leishmaniose afeta cerca de 12 milhões de pessoas de todo o mundo e estima-se que cerca de 330 milhões de pessoas vivem em áreas de risco de transmissão. No Brasil a doença vem crescendo de forma marcante e casos humanos já foram assinalados em todos os Estados da federação, com exceção do Estado do Rio Grande do Sul.

Tradicionalmente, o Estado de Santa Catarina era considerado como um estado indene para as Leishmanioses. Entretanto, no ano de 1987 um foco de transmissão de leishmaniose cutânea foi detectado na região oeste do Estado, nos antigos Municípios de Quilombo e Coronel Freitas. No período de 1997 a 2001, nove casos autóctones (com origem na própria cidade) de Leishmaniose cutânea foram confirmados no Município de Piçarras, litoral norte do Estado, sendo cinco em crianças e quatro em adultos.

NDI divulga listagem de sorteados para 2002

07/02/2002 17:44

GRUPO I

DOCENTE

1.DANIEL N. S. GONÇALVES

2.ENZO DE G. RAMOS

3.ANTONIO M. LOCATELLI

4. SOFIA DA S. ALVES

TÉCNICO

1.VITÓRIA R. REGIS

2.KEVIN B. DE OLIVEIRA

3.GUSTAVO P. COELHO

4.ISADORA C. TRINDADE

5.NATHALIA ESPINDOLA

6.JÚLIA DOS P. RODRIGUES

ESTUDANTE

1.ISABELLY C. E. RODRIGUES

2.LETÍCIA M. DA SILVA

3.ANA CLARA F. LEONETTI

4.JÚLIA CHAGAS

GRUPO II

DOCENTE

1.ALEK FROHLICH

2.EDUARDO V. GIACOMELLI

TÉCNICO

1.AMANDA V. BARBOSA

2.TIAGO F. MELLO

3.LUIZ CLAÚDIO M. JANUÁRIO

4.JÚLIO G. RAMOS

ESTUDANTE

1.LUIZ GUSTAVO L. DE CAMARGO

2.MIGUEL DOS MACHADO

3.RAÍ F. B. CARVALHO

GRUPO III

DOCENTE

1.GABRIEL G. BARRETO

2.DAVID S. SAND

TÉCNICO

1.MARIA JÚLIA C. DE SOUSA

2.CECÍLIA D. BRENNER

3.EMANUELL H. ORO MACHADO

4.MARCOS G. DA SILVA

5.JOÃO PEDRO V. GOULART

6.MARINA M. B. DA ROSA

7.GABRIEL ASSINO DE CARVALHO

ESTUDANTE

1.MARCOS VINÍCIUS M. VIDAL]

2.GABRIELA K. PERES

3.GABRIEL S. COUTINHO

4.GABRIEL S. EDISON H. ZILIOTTO

5.RENATA C. PRIN

GRUPO IV

DOCENTE

1.AMANDA P. DE CARVALHO

2.GABRIELA G. ZIEGLER

3.SOFIA J. DA CUNHA

TÉCNICO

1.ANTÔNIO GABRIEL DE M. VILLALVA

2.GRAZIELE DA SILVEIRA

3.GABRIEL OLIVEIRA EFFTING

ESTUDANTE

1.GABRIEL P. GOTTSCHALK

2.JÚLIA S. BROERING

3.MILLA D. ANDRADE

4.LISSANDRA WALTRICH

5.LUIGI LINHARES

GRUPO V

DOCENTE

1.ANA CLAUDIA T. CHARÃO

TÉCNICO

1.JÚLIA POZZETTI

ESTUDANTE

1.DANIELA CAROLINA DA S. MORGANTI

GRUPO VI

DOCENTE

1.INÁCIO B. DA SILVEIRA

2.LUCAS B. BALDANÇA

ESTUDANTE

1.CAROL GOMEZ

2.ANA LUIZA P. RAMOS

GRUPO VII

DOCENTE

1.MARINA M. DA PAZ

2.ARIEL J. INÁCIO

TÉCNICO

1.GABRIELLE DOS S. THEISGES

2.STEFANO ROBERTO MOYSÉS

ESTUDANTE

1.LUCAS HAZIME B. NAKAZIMA

Inscrições para representantes no Conselho Universitário

07/02/2002 17:06

EstãO abertas até o dia 7 de março as inscrições para eleição de representantes dos servidores técnico-administrativos no Conselho Universitário e Conselho de Curadores. A eleição será realiza no dia 14 de março na Reitoria (8h às 18h), Hospital Universitário (7h à 19h), Colégio Agrícola de Camboriu (8h às 15h) e Colégio Agrícola Senador Carlos Gomes de Oliveira (8h às 15h). Os eleitos cumprirão um mandato de dois anos. As inscrições dos candidatos devem ser realizadas até o dia 7 de março, na secretaria dos conselhos, localizada no térreo da Reitoria, das 8h às 12h e das 14h às 17h. Informações 331 9419

Macas adaptadas melhoram atendimento de pacientes

07/02/2002 16:27

A adaptação de macas feita pelo Centro Local de Engenharia Clínica, ligado ao Instituto de Engenharia Biomédica da UFSC, está permitindo o transporte de pacientes com mais segurança e agilidade pelos corredores do Hospital Celso Ramos.

Antes das macas adaptadas, para o transporte de emergência eram necessárias, pelo menos, três pessoas: duas para conduzir a maca e outra para bombear oxigênio. O cilindro de oxigênio ficava pendurado na estrutura da maca, dificultando o transporte. A adaptação permitiu a inclusão de um ventilador portátil no modelo adaptado e eliminou a necessidade do bombeamento manual de oxigênio, aumentando a segurança porque os pacientes passaram a receber a quantidade adequada de ventilação. Além disso, os parâmetros de ventilação são os mesmos do ventilador fixo, ao qual o paciente estava ligado na UTI, por exemplo. Isso permite que a quantidade de oxigênio fornecida ao paciente seja monitorada continuamente, evitando complicação das funções vitais.

De acordo com Marcolino Cabral, médico da Emergência, a nova maca proporciona conforto e segurança para os pacientes e praticidade no transporte. Para ele, a adaptação é importante porque facilita o atendimento de pacientes em estado grave que precisam ser locomovidos para exames por quase 600 metros entre a emergência e a sala de tomografia do hospital. O médico lembra que o Hospital Celso Ramos atende, em média, 15 pessoas por dia que necessitam desse tipo de exame, em sua maioria vítimas de acidentes de trânsito.

Para construir as novas macas, o hospital gastou apenas 120 reais, ou seja, os recursos necessários para pintar as macas. O restante do material foi retirado do depósito da manutenção e reaproveitado. Com isso, o hospital resolveu o problema de transporte com uma grande economia. Segundo o técnico Sandro Vieira, somente a compra de um ventilador novo, do mesmo modelo, custaria em torno de 4 mil reais. A soldagem de uma grade para acomodar o ventilador pulmonar e o cilindro de oxigênio na maca não teve custos porque foi feita por um funcionário da própria manutenção.

Os resultados obtidos foram tão bons que a Emergência e a UTI já solicitaram a construção de mais duas macas. Segundo o coordenador do CELEC, engenheiro Gladston Hirawa, outros estabelecimentos (Hospital de Caridade, Hospital Florianópolis e Hospital Infantil Joana de Gusmão) também têm interesse em fazer as adaptações que têm baixo custo e tornam a rotina hospitalar mais prática e segura.

UFSC integra seminário regional da Agenda 21 Catarinense

06/02/2002 17:55

Será realizado nesta quinta-feira 07/02 o primeiro seminário regional para elaboração da Agenda 21 Catarinense, documento que deverá apontar diretrizes e subsidiar políticas públicas para o desenvolvimento do Estado a médio e longo prazo. O encontro será realizado em Santo Amaro da Imperatriz, no Jomar Hotel Fazenda entre 8h e 18h. Os seminários regionais envolvem todos os assuntos da Agenda, sendo que a UFSC é responsável pelo tema Ciência, Tecnologia & Inovação, que vem sendo discutido em reuniões específicas na UFSC desde janeiro de 2001.

No dia 25 de fevereiro, o grupo Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Sustentável, coordenado pelo diretor do Centro Tecnológico, professor Ariovaldo Bolzan, volta a se reunir, a partir de 14h, no auditório do CTC/UFSC. O objetivo será a realização de uma avaliação do 1o Seminário Regional. Mais informações sobre o assunto com professor Ariovaldo Bolzan, coordenador do assunto Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Sustentável da Agenda 21 Catarinense – fone 331 33 – ou com Sueli Amália de Andrade, fone 9971 0859 ou 222 4934

Acompanhe abaixo o material que será apresentado nos Seminários Regionais em Santa Catarina

AGENDA 21 CATARINENSE PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

SEÇÃO A- SUSTENTABILIDADE DO DESENVOLVIMENTO

CIÊNCIA, TECNOLOGIA & INOVAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA – UFSC

COORDENADOR: Prof. ARIOVALDO BOLZAN

COLABORADORA: Profª. SUELI AMÁLIA DE ANDRADE

PRINCÍPIOS, OBSTÁCULOS E DESAFIOS EM C&T&I PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE SC

Ariovaldo Bolzan, Sueli Amália de Andrade e Sérgio Boeira

Para subsidiar as propostas em C&T&I para o desenvolvimento sustentável de SC, é importante que se considere alguns princípios básicos. São de importância vital e pertinentes para comporem um Paradigma Sustentável e Humanizador em C&T&I os seguintes princípios:

PRINCÍPIOS:

· Sustentabilidade Multidimensional do Desenvolvimento e da Sociedade.

· Concepção Sistêmica e Dinâmica do Meio Ambiente (meio físico-químico, biológico e social-humano).

· Solidariedade sincrônica (com as gerações presentes) e diacrônica (com as gerações futuras).

· Responsabilidade Social e Ambiental de empresários, cientistas, pesquisadores e técnicos, voltada para o Bem Comum (Humano e da Natureza).

· Ética Multidimensional.

· Comprometimento Humano e Social.

· Educação como a base do desenvolvimento.

Em C&T&I para o desenvolvimento sustentável, alguns obstáculos precisam ser superados:

OBSTÁCULOS:

· Desvinculação dos setores de C&T&I em relação ao conjunto da Sociedade.

· Defasagem entre a cultura científica-tecnológica e a cultura das áreas sociais-humanas, com amplo predomínio da primeira, gerando a tecnociência eticamente desorientada e marginalizando as ciências humanas.

· Forte ênfase na disciplinaridade (fragmentação dos saberes) e fraca capacitação para a multi, a inter e a transdisciplinaridade (religação dos saberes).

· Forte manutenção e reprodução de sistema de aprendizado tecnológico passivo ou mimético.

· Fraco entrosamento entre Instituições de Pesquisa e Setor Produtivo.

Os desafios para se construir e desenvolver a C&T&I no estado catarinense, baseada na sustentabilidade multidimensional, capaz de gerar benefícios relevantes para a sociedade e para o meio ambiente como um todo, e que possam ser extrapolados para o País e o Mundo, são vários. Os principais são:

DESAFIOS:

· Construir uma C&T&I que considere, conjuntamente, as dimensões ecológica, social e econômica, protegendo o meio ambiente, melhorando a qualidade ambiental e de vida das pessoas e garantindo o bem-estar da sociedade.

· Substituir o sistema de aprendizado tecnológico passivo ou mimético por um ativo e complementá-lo com um sistema de inovação tecnológica.

· Substituir a estratégia de competitividade espúria (baseada em baixos salários e degradação ambiental) por uma estratégia de competitividade autêntica (baseada em melhoria da produtividade e na multi-sustentabilidade do desenvolvimento).

· Fortalecer os mecanismos de transferência de tecnologia, da academia para o setor produtivo, e os processos de interação criativa entre pesquisadores, educadores e empresários.

· Estimular o desenvolvimento de uma “ciência-cidadã”, que busque diminuir as desigualdades sociais e amplie a inclusão social das pessoas desfavorecidas na sociedade.

· Promover a interação entre Ciência & Tecnologia & Inovação com a Sociedade, não considerando-as como independentes e isoladas.

· Assumir a responsabilidade social/ambiental em C&T&I.

· Considerar a não-neutralidade axiológica da C&T&I.

Tese da UFSC vence Concurso Nacional de Ensaios

06/02/2002 17:53

Stélio Furlan, doutorado em Teoria Literária pela UFSC, concorreu no Concurso Nacional de Ensaios no gênero Crítica Literária no Brasil. O trabalho inscrito foi sua tese,‘Machado de Assis, o Crítico: Seduções e Desencantos’, defendida em fevereiro de 2001. O trabalho orientada pela professora Tânia Regina de Oliveira Ramos, do Departamento de Língua e Literatura Vernácula – LLV- é um estudo sobre o discurso crítico produzido por Machado de Assis no período de 1860 a 1880. A entrega do prêmio aconteceu no dia 17 de dezembro do ano passado, na sede da Nestlé, em São Paulo.

Estudo comprova eficácia do cálcio para dentição de leite

06/02/2002 15:06

Levando em conta que a primeira dentição é fundamental para o desenvolvimento da criança, uma pesquisa desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Odontologia da UFSC comprovou que o uso de materiais liberadores de flúor podem ser decisivos para a manutenção dos dentes de leite. O estudo com o título “Influência de materiais restauradores liberadores de flúor, na evolução de lesões de cárie em esmalte de molares decíduos. Estudo in vitro”, foi a primeira Tese de Doutorado na área de Odontologia da UFSC. Desenvolvido na área de Odontopediatria, o estudo permitiu a comparação dos resultados obtidos com restaurações que usaram materiais liberadores de flúor e os tradicionais, que não contam com essa proteção.

“Outros estudos já haviam comprovado a importância destes materiais em dentes permanentes. A originalidades deste trabalho foi estudar os efeitos sobre a dentição de leite, comprovando que os materiais que liberam flúor realmente podem prevenir e até reverter os processo de cárie”, explica o professor Ricardo de Sousa Vieira, orientador do trabalhodesenvolvido pela dentista Lucineide de Melo Santos, natural de Maceió-Alagoas. O professor explica que o material liberador de flúor atua na prevenção e reversão da cárie secundária – aquela que surge a partir da fenda existente entre o material de restauração e o próprio dente. Segundo o professor, a cárie secundária é a maior causa de substituição de restaurações.

“A partir desse trabalho pode-se dizer que em crianças que não têm uma higiene muito adequada e que consomem alimentos cariogênicos como balas, chocolates e salgadinhos são mais protegidas com rstaurações com material que libera flúor. Segundo ele, este tipo de material não implica em custo mais lato do que os convencionais, mas ainda é pouco usado pelos dentistas pois tem como inconveniente não ser tão resistente quanto a amálgama tradicional, exigindo maior controle das condições da restauração.

Segundo o professor, é fundamental manter a dentição de leite até que ela realmente ela cai, por volta de sete anos até 12. “O dente decíduo faz parte do desenvolvimento da criança. Sem dente a criança mastiga mal, os músculos e ossos da face não têm um desenvolvimento adequado, a perda prematura pode provocar o encurtamento do arco e a falta de espaço para os dentes permanentes”, explica. O professor ressalta ainda que a perda precoce dos dentes de leite pode provocar inclusive problemas psicológicos, “Para a criança a aparência também é muito importante. Pode-se perceber que a criança sem nem ri muito”. Informações com o professor Ricardo de Sousa Vieira, fone 0**48 331 9920

Motoristas poderão ser multados no campus

05/02/2002 17:46

Em reunião realizada nesta terça-feira, o Fórum Permanente de Segurança do Campus definiu a data de 27 de fevereiro como limite para o processo de conscientização dos motoristas dentro do campus. A partir dessa data, motoristas que não respeitarem as sinalizações de transito dentro do campus universitário poderão ser autuados pela Polícia Militar, que será acionada pela Segurança do Campus.

O Fórum tem nova reunião agendada para o dia 27/02, às 9h, na Sala dos Conselhos, para tratar do tema segurança das pessoas dentro do campus. O objetivo será discutir projetos que auxiliem na redução de ocorrências como pequenos furtos, arrombamentos de veículos e tráfico, realizada na área da instituição. De acordo com levantamentos da Segurança do Campus, foram registradas em 2002 três furtos, 10 arrombamentos de instalações e apreensão de 400g de drogas, entre outras ocorrências.

Primeira defesa em Engenharia de Alimentos

05/02/2002 17:33

A dissertação “Nitrificação de Efluentes da Indústria Frigorífica” é de autoria de Angelina Maria de Lima Phillips, será a primeira defesa de mestrado do Curso de Pós-graduação em Engenharia de Alimentos da UFSC. O trabalho será apresentado à banca nesta quarta-feira – 06/02 – a partir das 9h, no auditório do Departamento de Engenharia Química da UFSC. O trabalho foi orientado pelos professores Hugo Moreira Soares e Jorge Luiz Ninow.

O Curso de Pós-graduação em Engenharia de Alimentos foi criado em março de 2000. As pesquisas estão concentradas em três áreas: (1)

Desenvolvimento, Simulação e Controle de Processos Biotecnológicos, (2)Fenômenos de Transporte no Processamento de Alimentos e (3) Processos de Separação. Mais informações com o professor Jorge Ninow, fone 0**48 331 9448, e-mail:

Biblioteca Universitária amplia sala de estudos individuais

05/02/2002 16:04

Será reinaugurada nesta quarta-feira a Sala de Estudos Individuais da Biblioteca da UFSC. O ambiente foi ampliado de 130 para 180 lugares e agora está climatizado. Localizado no andar térreo da BU, a sala é direcionada a pessoas que têm preferência pelo estudo individual e sem silêncio. Mais informações pelo fone 331 9310.

Universidade oferece curso de Atualização em Agronomia

05/02/2002 15:27

Mostrar as inovações da ciência e da tecnologia para evitar danos e assim diminuir os impactos ambientais que vêm acontecendo. Com esse objetivo, o professor José Antonio Ribas Ribeiro, do Centro de Ciências Agrárias da UFSC, implantou o “curso de Atualização em Agronomia”, destinado aos profissionais que pretendem prestar concursos públicos em órgãos como o Ibama, Fatma, Cidasc entre outros.

Para capacitar aqueles que irão inscrever-se de 4 a 22 deste mês no concurso público da Epagri, no Auditório do Departamento de Ciência Tecnologia de Alimentos, do Centro de Ciências Agrárias da UFSC, será realizado um curso intensivo, das 19 às 22 horas, no período de 14 de fevereiro a 22 de março. Estarão envolvidos cerca de 45 professores do CCA/UFSC, dos Departamentos de Fitotecnia e Desenvolvimento Rural, Engenharia Rural e também professores de outros estabelecimentos, que irão abranger as áreas relativas ao desenvolvimento rural; agricultura e pecuária sustentáveis e manejo agro-florestal.

As mudanças que correm na agronomia, com impactos ambientais, perda da diversidade genética/biológica e transformações na vegetação, trazem preocupações que atingem inclusive o homem do campo e, principalmente, a população consumidora. “Sem esquecer-mos da biotecnologia e transgênicos”, ressalta o professor Ribeiro, que pensa em preparar o profissional que após ser aprovado num concurso destinado para estas áreas deverá estar apto para desenvolver suas atividades e “ligado em ações que só devem contribuir para a melhoria da qualidade de vida”.

As inscrições podem ser feitas no site www.fapeu.ufsc.br e os valores cobrados são: R$ 350,00 para profissionais e R$ 150,00 para estudantes e recém formados. Contatos podem ser feitos com o professor José Antonio Ribas Ribeiro, pelos fone 99072006 e 331-5361, no período da tarde.

Implantada Pós em Educação Científica e Tecnológica

05/02/2002 13:58

Em reunião realizada nos dias 13 e 14 de dezembro o CTC da CAPES aprovou a recomendação do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da UFSC, nos níveis Mestrado e Doutorado. Sob responsabilidade conjunta do Centro de Ciências Físicas e Matemática(CFM) e do Centro de Ciências da Educação (CED), e contando ainda com docentes do Centro de Ciências Biológicas (CCB) e do Centro Tecnológico (CTC), o Programa tem por objetivo principal desenvolver atividades de ensino e pesquisa sobre a relação entre educação e ciência, especificamente sobre a compreensão do processo ensino-aprendizagem, ou seja, o domínio das estruturas de pensamento

exigido pela ciência e pela tecnologia, e sua inserção na sociedade brasileira para,à luz desse, promover um ensino mais adequado.

O espaço fundamental destas atividades é o ensino formal em seus vários níveis, sendo sua preocupação primeira a apreensão dinâmica e crítica do conhecimento científico e tecnológico pela maioria da população brasileira. A preocupação com o ensino formal, apesar de prioritária, não terá caráter exclusivo, sendo complementada por estudos que tenham como foco os processos informais de aquisição da cultura científica e tecnológica.

O Programa priorizará a formação de educadores e pesquisadores capazes de entender e investigar: a) a produção da ciência e suas formas de socialização através da apropriação produtiva do conhecimento científico e tecnológico pelo educando e b) a dinâmica social da ciência e da tecnologia e a contextualização do seu ensino. As inscrições para a seleção de até 20 estudantes de mestrado e 10 de doutorado, acontecerão de 10 a 15 de março, e os cursos terão seu início em 13 de maio de 2002. Informações com o coordenador do programa, professor Arden Zylbersztajn () ou wwww.ced.ufsc.br ou www.cfm.ufsc.br

A Catástrofe Anunciada

01/02/2002 17:25

Muito se comenta a respeito das mudanças climáticas e suas imprevisíveis conseqüências. Secas prolongadas numa região, cheias avassaladoras em outras, verões frios, invernos quentes, enfim o “tempo” esta louco, comenta-se a cada notícia de nova calamidade pública gerada pelos fenômenos climáticos. No entanto, precisamos entender que louco, irracional, ilógico e predador foi o modo de interferência que o chamado progresso tecnológico nos brindou a partir do advento da revolução industrial. Desde o seu início, mais de um trilhão de toneladas de dióxido de carbono, provenientes da queima de combustíveis fósseis, foram lançados na atmosfera. Este carbono, que vem se acumulando na forma de depósitos de petróleo, carvão e gás ao longo de milhões de anos, passou a ser repentinamente retirado da crosta terrestre e lançando de volta na atmosfera, promovendo uma das mais drásticas alterações nos processos naturais decorrentes da interferência antrópica, e cujas conseqüências estão se mostrando calamitosas.

Com o propósito de buscar a redução do lançamento de gases que poluem e aquecem a atmosfera terrestre, especialmente o dióxido de carbono – CO2, no final de 1997, na cidade japonesa de Quioto, foi assinado por diversos países um protocolo de intenções visando reverter a atual tendência de comprometimento da qualidade atmosférica do planeta. O Protocolo de Quioto prevê que até 2012, os países industrializados devem reduzir em 5%, em relação aos índices registrados em 1990, as taxas de emissões dos gases que aquecem a atmosfera. Encontros posteriores foram realizados em Bonn – Alemanha e Marrakesh – Marrocos, visando um entendimento final, e a adesão definitiva mínima de 55 países que somem pelo menos 55% da emissão de poluentes atmosféricos, para que o acordo possa entrar em vigor.

O Presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que se autoproclama escudeiro-mor do bem na luta contra o mal, vem reafirmando sistematicamente sua retirada do protocolo de Quioto. Bush alega que o protocolo é injusto, pois não inclui países em desenvolvimento, como a China e Índia, e irrealista, porque diversas nações não conseguirão cumprir as metas estabelecidas, e que a implementação do mesmo seria prejudicial à economia norte-americana. Na prática, a resistência de Washington significa que será mantido o lançamento de sete bilhões de toneladas de carbono pôr ano na atmosfera: 25% das emissões do planeta.

A Agência Européia de Meio Ambiente projeta uma diminuição no lançamento de gases causadores do efeito estufa de apenas 1% em 2010. A meta do Protocolo é atingir uma redução das emissões de gases causadores do efeito estufa em 5% até 2012, em relação aos níveis de 1990. As esperanças concentram-se agora nas energias renováveis, que aumentam na Europa a um ritmo anual de 3%, com destaque para Espanha, Áustria, Suécia, Portugal e Finlândia.

A União Européia mantém a intenção de ratificar o Protocolo de Quioto, mesmo sem os Estados Unidos, contudo também exigiu concessões ao assinar o protocolo em abril de 1998. Em Marrakesh o mesmo fizeram Rússia, Japão e Austrália, adquirindo o direito de continuarem emitindo gases do efeito estufa acima do que a comunidade internacional pretendia autorizar. A partir do encontro de Marrakesh, realizado entre 29 de outubro a 9 de novembro de 2001, aguarda-se a adesão definitiva mínima para a implementação do acordo. Das 43 adesões definitivas, antes da reunião no Marrocos, nem uma sequer era de país altamente industrializado e apenas um único país europeu, a Romênia, aderiu. A França, mesmo sem ratificar o protocolo até agora, já fez uma ressalva, quando o assinou em abril de 1998: impôs a condição de que só o ratificará se suas colônias forem mantidas fora das metas do tratado. A vinda da Usinor para a ilha de São Francisco do Sul, nos mostra que a noção francesa de colonialismo é um pouco mais ampla do que imaginávamos, e como um modelo de desenvolvimento sabidamente insustentável e predador ainda encontra amparo junto as lideranças políticas do século XXI.

Uma das mais inquietantes consequências do efeito estufa é a elevação do nível dos mares, podendo promover a submersão de ilhas oceânicas, em especial na Oceânia. Um caso concreto é Tuvalu que já começa a ter suas terras baixas invadidas pelo oceano. Seus 10 mil cidadãos são assim impelidos a migrar deixando para trás uma estrutura de vida milenar. Mais afinal quem já ouviu falar de Tuvalu, não é mesmo.

Contudo a água pode bater nas nossas canelas, já que o problema se estende a curto prazo para outras nações insulares: Ilhas Cook, Fiji, Micronésia, Nauru, Niue, Palau, Samoa, Vanuatu, Maldivas, Ilhas Maurício, Chipre. E mesmo algumas mais próximas a nós como Bahamas, Barbados, Jamaica, Trinidad e Tobago já mostram-se igualmente apreensivas.

Pela gravidade global que representa o efeito estufa, é urgente que algum acordo passe a vigorar, desacelerando a vertiginosa deterioração atmosférica produzida pela sociedade industrial, e contribuindo para uma crescente conscientização da humanidade sobre a gravidade do problema. Uma opinião pública mundial alerta poderá servir de elemento de pressão sobre os interesses comerciais e industriais que ainda preferem produzir de forma ambientalmente suja e ignoram o risco de uma tragédia planetária, que inclusive pode significar o fim iminente de várias nações. Como se vê um verdadeiro terrorismo das nações industrializadas vem se perpetrando, paulatina e silenciosamente, mostrando-se impiedoso e fatalista, com a complacência do moderno mundo globalizado, que parece não perceber que mantendo a atual tendência, talvez dessa civilização só restem as torres e chaminés.

* Biólogo, Diretor do CCB – UFSC

Departamento de Matemática oferece minicursos gratuitos

01/02/2002 15:38

O Departamento de Matemática está com inscrições abertas para uma série de minicursos avançados na área. Os cursos são dirigidos a estudantes universitários com formação em matemática, ou seja, os cursos de cálculo e álgebra linear. A inscrição é gratuita, bastando envio de email com o formulário (http://www.mtm.ufsc.br/~verao2002/form-inscr.html) devidamente preenchido para o professor Antonio Leitão: >

Os ministrantes são, quase todos, pesquisadores estrangeiros de enorme

experiência na área. Todos, sem exceção, são autores de livros e possuem extensa lista de publicações cientificas.Informações detalhadas sobre os cursos (ementa, bibliografia, …) podem ser encontradas na página

http://www.mtm.ufsc.br/~verao2002/progr.html

Inscrições para NDI iniciam nesta segunda

01/02/2002 14:39

O Núcleo de Desenvolvimento Infantil do Centro de Educação da UFSC abre a partir dessa segunda-feira – 04/02 -inscrições para 61 vagas destinadas ao ingressso de crianças na faixa etária de no mínimo 3 meses a, no máximo, 6 anos e 7 meses completos em 01/03/2002. Serão 20 vagas para filhos de estudantes, 15 para filhos de docentes e 26 vagas para filhos de técnico-administrativos da instituição. As inscrições devem ser realizadas nos dias 4 e 5 de fevereiro.

A documentação necessária inclui comprovante de vínculo com a UFSC, xerox da certidão de nascimento da criança, comprovando a filiação na forma da lei e comprovante de pagamento da taxa de inscrição, paga em uma das agências do Campus (Banco do Brasil, CEF ou BESC). O horário das inscrições é de 8 às 11h30min e de 14h às 17h30min na secretaria do NDI.

O sorteio acontece às 15h do dia 7 de fevereiro, no auditório do NDI e a divulgação dos resultados será no mural de entrada do NDI

A matrícula acontece no mesmo horário da inscrição e também na secretaria do NDI. O não comparecimento na data prevista para a matrícula, implicará na perda da vaga, sendo que cada candidato (a) poderá ter apenas uma inscrição. Informações 3319432