Calendário

ago
28
ter
Ciclo de Seminários ‘Mulheres na Ciência-SC’
ago 28 @ 16:00

O Ciclo de Seminários ‘Mulheres na Ciência-SC’, promovido pelo grupo Mulheres na Ciência-SC, ocorrerá no dia 28 de agosto, terça-feira, às 16h, no Auditório Elke Hering (Biblioteca Central). O propósito dos seminários é criar um espaço de fala exclusivo para mulheres cientistas, onde estas têm a liberdade de escolher o tema de suas palestras, desde sua experiência na academia até a comunicação de resultados de suas pesquisas.

Palestras confirmadas:

‘Mulheres na Ciência: uma verdade inconveniente’ com Marcia Barbosa (Departamento de Física-UFRGS)

‘Quem são as mulheres na ciência?’ com Rafaela Falaschi (Departamento de Biologia Estrutural, Molecular e Genética-UEPG)

O grupo ‘Mulheres na Ciência-SC’ dispõe de reuniões organizativas periódicas abertas a todas as mulheres que queiram participar do projeto. O próximo encontro acontecerá no dia 13 de agosto, às 12h, na sala Harry Laus (Biblioteca Central). Interessadas em participar do grupo de emails do projeto devem entrar em contato pelos seguintes endereços eletrônicos para solicitar seu cadastramento:  e 

 

Mais informações:

https://www.facebook.com/mulheresnacienciasc/

https://mulheresnacienciasc.wixsite.com/site

nov
13
ter
Cine Clube Sessão de Arte exibe Ran, de Akira Kurosawa
nov 13 @ 14:30
O Cine Clube Sessão de Arte exibe Ran, de Akira Kurosawa, no  Laboratório de Projeção, Bloco D do CCE, 1º andar, nesta terça, dia 13, às 14h30.
Sinopse
Japão, século XVI. Hidetora (Tatsuya Nakadai), o poderoso chefe do clã dos Ichimonjis, decide dividir seus bens entre os três filhos: Taro Takatora (Akira Terao), Jiro Masatora (Jinpachi Nezu) e Saburu Naotora (Daisuke Ryu). Com o primeiro fica a chefia do feudo, as terras e a cavalaria. Os outros dois ficam com alguns castelos, terras e o dever de ajudar e obedecer Taro. Saburu, prevendo as desgraças que viriam, se mostra contrário à decisão paterna. Expulso do feudo e acaba sendo acolhido por Nobuhiro Fujimaki (Hitoshi Ueki), de quem se torna genro. Hidetora vai ao seu antigo castelo, que agora é de Taro, e não é bem recebido. O mesmo acontece ao visitar Jiro e, isolado em seu ex-império, Hidetora se aproxima da insanidade
Este projeto é realizado por meio do bolsa cultura da SeCArte – Secretaria de Cultura e Arte da UFSC. Tem o apoio do LABORATÓRIO DE ESTUDOS DE CINEMA – LEC – Cinema UFSC , e é coordenado pelo professor Luiz Fernando Pereira do Departamento de Arte do Centro de Comunicação e Expressão – CCE.