Calendário

ago
24
sex
Cine Paredão exibe ‘Ascensor Para o Cadafalso’, de Louis Malle
ago 24 @ 20:00 – 21:30

Nesta sexta-feira, dia 24 de agosto, o Cine Paredão exibe o filme “Ascensor Para o Cadafalso”, de Louis Malle, às 20h, no Gramado da parte externa do Centro de Ciências da Educação (CED), entre os blocos A e B, ao lado do auditório. Em caso de chuva, o filme será exibido no Auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH).

Sobre o filme

Sinopse: Em uma trama para assassinar o próprio marido, Florence e seu amante, Julien, desencadeiam uma série de eventos que nenhum deles poderia prever.

Direção: Louis Malle

Roteiro: Louis Malle, Roger Nimier, Roger Nimier, Noël Calef

Elenco: Jeanne Moreau, Maurice Ronet, Georges Poujouly, Yori Bertin, Jean Wall

Ano: 1958

Duração: 1h31

Classificação indicativa: Livre

Sobre a Mostra de Cinema Noir

Durante as frias noites de sexta do mês de agosto, o Cine Paredão exibirá uma mostra de Cinema Noir. Com personagens que vivem em sociedades frias e cínicas, as histórias tratam de suspenses, crimes, romances e investigações policiais. A estética nasce de uma fusão de gêneros: traz traços dos filmes de terror da década de 30, do expressionismo alemão e da pintura. A imagem é tomada por contrastes preto e branco, com iluminações calculadamente estudadas; as tramas se desenrolam em grandes centros urbanos e tomadas por uma atmosfera niilista. Femme fatales, corrupção, cigarros, personagens dúbios e desconfiança perpassam quase todas as histórias.

Apesar de amplamente categorizado hoje, o estilo nunca foi encarado como estilo na sua época. Nasceu no pós-guerra, na década de 40 e se estendeu até, aproximadamente, a década de 60. Os filmes eram, geralmente, produzidos em ambientes urbanos realistas, por pequenos estúdios e atores não convencionais.

Serviço

O quê: Cine Paredão exibe o filme “Ascensor Para o Cadafalso”, de Louis Malle.

Onde: Gramado da parte externa do CED, entre os blocos A e B, ao lado do auditório. Em caso de chuva, no Auditório do CFH.

Quando: Sexta-feira, dia 24 de agosto, às 20h.

ago
30
qui
Cinema Mundo realiza sessão comentada de “Gattaca: experiência genética”
ago 30 @ 18:30

A próxima sessão do Projeto Cinema Mundo exibirá “Gattaca: experiência genética”,  ficção científica dirigida por Andrew Niccol. A sessão, de entrada franca, acontecerá no dia 30 de agosto, quinta-feira, às 18h30, no Auditório Elke Hering da Biblioteca Universitária da UFSC, e contará com os comentários Luiza Mazzola e Rafael Muniz.

Sinopse:

E se você pudesse ser controlado por sua genética? Se para arrumar emprego você precisasse ter um certo genótipo? Para entrar em Gattaca, uma corporação que desenvolve pesquisa e tecnologia avançada em astronomia, é necessário uma propensão genética favorável à saúde física e psíquica de um indivíduo. Para aqueles que não possuem dados genéticos favoráveis, sobram os empregos dados a classe social mais baixa nessa nova estratificação social, a classe daqueles que não possuem um genótipo saudável e produtivo intelectualmente. Vincent Freeman foi concebido biologicamente, isto é, não se escolheram os “melhores” genes para sua concepção dentro de um laboratório. Destinado a viver como um faxineiro, Vincent faz uma escolha perigosa para viver seu sonho de trabalhar como astronauta, por meios ilegais finge ser quem ele não é, um membro da elite.

Sobre os comentaristas:

Luiza Salgado Mazzola

Bacharela em Letras Francês pela UFSC, possui mestrado em Literatura e é, atualmente, doutoranda na mesma área, no PPGLit (UFSC). Estuda Crítica Genética e Estudos de Processos Criativo, com enfoque na criação literária, sobretudo, mas também na criação musical e fílmica. É integrante do NUPROC, Núcleo de Estudo de Processos Criativos (UFSC). Atua como professora de francês, tradutora e revisora.

Rafael Muniz de Moura

Graduado em Museologia pela Unirio, em 2007, atuou como museólogo no Projeto Ciência Móvel, vinculado ao Museu da Vida, Fiocruz, entre 2007 e 2008, e no Ecomuseu de Itaipu, de 2008 a 2010. Desde então é Técnico em Assuntos Culturais no Museu Victor Meirelles, Ibram. Tem experiência no setor de Museus e Patrimônio, com ênfase em gestão, comunicação e documentação museológica. Graduando em Letras-Português na Ufsc desde 2016.

ago
31
sex
Cine Paredão exibe ‘Crepúsculo dos deuses’, de Billy Wilder
ago 31 @ 20:00 – 22:00

O Cine Paredão exibe o filme “Crepúsculo dos Deuses”, de Billy Wilder, nesta sexta-feira, dia 31 de agosto, às 20h, no gramado da parte externa do Centro de Ciências da Educação (CED), ou, em caso de chuva, no Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O filme fecha a Mostra de Cinema Noir, realizada durante o mês de agosto. O Cinema Noir é um estilo de filme nascido no pós-guerra, na década de 40, e que se estende até, aproximadamente, a década de 60. Os filmes eram geralmente produzidos por pequenos estúdios, atores não convencionais e em ambientes urbanos realistas. Com personagens que vivem em sociedades frias e cínicas, as histórias tratam de suspenses, crimes, romances e investigações policiais.

Sobre o filme

Um roteirista é contratado para revisar o roteiro de um filme que marca a volta de uma antiga estrela do cinema mudo. Ele não sabia, contudo, da perigosa relação que desenvolveria com ela. Direção: Billy Wilder Roteiro: Billy Wilder, Charles Brackett, D.M. Marshman Jr.

Elenco: William Holden, Gloria Swanson, Erich von Stroheim, Nancy Olson

Ano: 1950

Duração: 1h50min

Classificação indicativa: Livre

 

Serviço

Onde: Gramado da parte externa do CED, entre os blocos A e B, ao lado do auditório. Em caso de chuva, no Auditório do CFH.

Quando: Sexta-feira, dia 31 de agosto, às 20h.

set
13
qui
Cinema Mundo apresenta ‘O homem duplo’
set 13 @ 18:30

O Projeto Cinema Mundo continua sua temática distópica exibindo o filme O homem duplo (A scanner darkly, EUA, 2006), animação dirigida por Richard Linklater. O filme ganhou visibilidade pelo efeito de animação computadorizada em cima de gravações originais. O enredo é baseado no livro homônimo escrito por Philip K. Dick., icônico autor de ficção científica. A sessão, de entrada franca, será realizada no dia 13 de setembro, quinta-feira, às 18h30, no Auditório Elke Hering da Biblioteca Universitária da UFSC, e contará com os comentários de Chris Mayer e Daniel Serravalle de Sá.

Sinopse:

Num futuro próximo, a guerra do governo norte-americano contra as drogas se juntou à guerra ao terror. Numa sociedade cada vez mais policiada, foi desenvolvido um novo sistema de disfarce, sob o qual trabalha o policial Bob Arctor (Keanu Reeves). Enquanto investiga seus amigos mais próximos, ele acaba recebendo ordens para investigar sua própria vida e embarca num estranho pesadelo, no qual identidade e lealdade não parecem mais ter um sentido claro.

Sobre os comentaristas:

Chris Mayer

Fotoarteira – fotógrafa, escritora e fotopoeta -, editora de fotografia e colunista do catarinas.info.

Daniel Serravalle de Sá

Professor do Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras da Universidade Federal de Santa Catarina. PhD em Latin American Cultural Studies (University of Manchester). Desenvolve pesquisa na área de literatura e outras artes, atuando principalmente nos seguintes temas: teoria e crítica literária e cultural, literatura e história, análise de filmes.

 

nov
8
qui
Projeto Cinema Mundo exibe ‘Salò ou os 120 Dias de Sodoma’
nov 8 @ 18:30

A próxima sessão do Projeto Cinema Mundo, promovido pela Biblioteca Universitária da Universidade Federal de Santa Catarina (BU/UFSC) apresenta “Salò ou os 120 Dias de Sodoma” (1975, Itália/França). Dirigido por Pier Paolo Pasolini, o filme remonta à época do fascismo de Mussolini e foi inspirado no livro “120 Dias de Sodoma”, escrito pelo Marquês de Sade. A exibição ocorrerá no quinta-feira, dia 8 de novembro, às 18h30min, no Auditório Elke Hering da Biblioteca Universitária da UFSC. O evento contará com Caroline Marins e Iur Gomez como debatedores da noite.

Sinopse:

Em 1944, na cidade de Saló ocupada por nazistas, no norte da Itália, quatro fascistas sequestram 16 jovens saudáveis e os aprisionam em um palácio perto de Marzabotto. Além deles, há quatro mulheres de meia-idade, sendo que três delas relatam as histórias de Dante e de Sade, e a quarta acompanha ao piano. Na mansão vigiada por guardas, os fascistas vão cometer todo tipo de experiências com os jovens, que passam a ser usados como uma fonte de prazer sexual, masoquismo e morte.

Mais informações sobre o evento no site.