UFSC coordena criação de instituto de estudos contra câncer

19/09/2022 16:12

Professor Edroaldo Lummertz da Rocha lidera iniciativa que visa desenvolver novas tecnologias para diagnóstico, monitoramento e tratamento do câncer. Foto: Divulgação

Uma das quatro maiores causas de morte prematura no mundo, o câncer é ainda hoje o principal problema de saúde pública em diversos países. A mais recente estimativa, realizada em 2018, apontou 18 milhões novos casos e cerca de 9,6 milhões de óbitos em decorrência da doença, conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Somente no Brasil, a previsão é de 625 mil novos casos por ano.

As chances de cura, no entanto, aumentam consideravelmente quando os pacientes são diagnosticados em estágios iniciais. Neste sentido, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) trabalha na formação de uma entidade voltada a pesquisas de referência sobre a doença. A Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (Propesq) e o Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago (HU) lançaram nesta segunda-feira, 19 de setembro, uma iniciativa que convida servidores docentes e técnico-administrativos a manifestarem interesse em colaborar com a criação e o desenvolvimento do Instituto Multidisciplinar de Estudos contra o Câncer.

A ação é liderada pelo professor Edroaldo Lummertz da Rocha, do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia (MIP), do Centro de Ciências Biológicas (CCB) da UFSC. A proposta tem como missão central promover um esforço coordenado, multidisciplinar e de impacto para compreender os mecanismos da doença, assim como desenvolver novas tecnologias para diagnóstico, monitoramento e tratamento.

As manifestações de interesse em integrar a iniciativa podem ser apresentadas por formulário até o próximo dia 15 de outubro. O cronograma de ações prevê, em um primeiro momento, a discussão do tema em reuniões on-line, depois em um encontro científico a ser promovido no fim do mês de novembro. De acordo com Edroaldo, os detalhes para a constituição do instituto serão definidos a partir desse diálogo.

“O objetivo é nuclear pesquisadores que têm interesse em comum pra resolver vários aspectos nas pesquisas relacionadas ao câncer, de forma que a gente possa ter uma estrutura formalizada e competir por financiamentos de maior porte direcionados ao trabalho que fazemos aqui na Universidade”, explica o docente.

Universidade planeja formação de entidade voltada a pesquisas de referência sobre o câncer. Foto: Louis Reed | Unsplash

As pesquisas em câncer do laboratório do professor Edroaldo já foram contempladas com financiamentos iniciais fornecidos pela Fundação de Amparo à Pesquisa e inovação de Santa Catarina (Fapesc) e pelo Instituto Serrapilheira. A meta agora é aproveitar o estímulo para estabelecer esse que será o primeiro instituto de pesquisas com foco em ciência básica e translacional de cânceres infantis e adultos no território catarinense.

O câncer é uma doença complexa e multifatorial que acomete crianças e adultos, com cerca de 90% das mortes resultantes da metástase, que consiste na disseminação das células tumorais para outros órgãos. “Ainda hoje a doença é um problema de saúde pública global com incidência e mortalidade crescentes devido ao aumento da expectativa de vida, crescimento populacional e fatores de risco associados ao desenvolvimento socioeconômico, tornando o desenvolvimento de novos tratamentos um desafio”, conclui o pesquisador.

Mais informações pelo e-mail edroaldo.lummertz@ufsc.br.

Maykon Oliveira | Jornalista da Agecom | UFSC

Tags: câncerEdroaldo Lummertz da RochaFundação de Amparo à Pesquisa e inovação de Catarina (Fapesc)Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago (HU/UFSC)Instituto SerrapilheiraPró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (Propesq)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina