Laboratório da UFSC disponibiliza gratuitamente guia dos répteis da Ilha de Santa Catarina

13/05/2022 14:30

O Laboratório de Ecologia de Anfíbios e Répteis da UFSC desenvolveu e disponibilizou gratuitamente para download o Guia dos Répteis da Ilha de Santa Catarina, um cartaz contendo fotos e os nomes de todos os répteis que ocorrem em Florianópolis. No documento fotográfico é possível visualizar as 43 espécies de lagartos, serpentes, anfisbaenias e tartarugas registradas na região insular do município. Além do nome científico, há o nome popular, o status de conservação e, para as serpentes, informações sobre riscos de acidente.

No guia, é possível ver, por exemplo, que espécies como a tartaruga-de-pente e a tartaruga-de-couro são consideradas criticamente em perigo pelo Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Ainda, é possível verificar três espécies peçonhentas de serpentes, que são perigosas e podem causar acidentes: a coral, a jararaca e a jararacuçu. Répteis maiores, como o jacaré de papo-amarelo também aparecem no guia.

De acordo com Pedro Lobato Indalêncio, um dos autores do guia, o trabalho não é periódico, mas é o segundo guia que o laboratório produziu. O primeiro guia foi sobre os Anfíbios da Ilha. “Esse guia fala apenas sobre répteis, mas dentro desse grupo podemos encontrar uma diversidade de animais. Em Florianópolis existem: tartarugas-marinhas, cágados, jacarés, lagartos, serpentes e anfisbenas”, explica. Ainda segundo ele, a lista foi elaborada a partir dos registros da Coleção Herpetológica da UFSC dos animais coletados em Florianópolis, ao longo do tempo.

“Esse é um guia com imagens de diversas espécies de répteis e seu estado de conservação, ele é de fácil leitura e acessível para todos. Ele pode ser utilizado por guias turísticos em passeios, por professores em suas aulas, por qualquer pessoa que queira ilustrar de forma prática a biodiversidade de répteis que temos em Florianópolis, além de mostrar quais as mais ameaçadas”, aponta Pedro. As fotos foram tiradas por diferentes pesquisadores do país, que concordaram em contribuir com suas fotos para compor o guia.

O pesquisador comenta que alguns dados chamam atenção no guia. Um deles é o estado de conservação de algumas espécies terrestres, como a Mussurana e a Lagartixa- da-areia. “Ambas as espécies estão ameaçadas de alguma forma, um fato preocupante que está relacionado ao crescimento das áreas urbanas, além da ocupação e destruição do habitat desses animais”, pontua. “Outro dado que chamou atenção, com relação às serpentes, é o fato de que mesmo serpentes não peçonhentas podem causar acidentes, ou seja, para evitar qualquer tipo de acidente é importante que as pessoas evitem chegar perto e estressar esses animais, mesmo que não possuam veneno”.

Tags: Guia dos Répteis da Ilha de Santa CatarinaLaboratório de Ecologia de Anfíbios e Répteis