Confere UFSC: Floripa Sustentável usa informações inconsistentes para argumentar pelo retorno do ensino presencial na UFSC

24/08/2021 16:48

O Movimento Floripa Sustentável, nesta terça-feira, 24 de agosto, publicou uma Carta Aberta à Reitoria da UFSC em anúncio no Jornal Notícias do Dia, na qual faz uma série de afirmações para justificar um retorno imediato das aulas presenciais na UFSC. As afirmações não parecem estar baseadas nos atuais números da Pandemia, nem mesmo são verificadas por fontes confiáveis.

O Confere UFSC, projeto da Agência de Comunicação da Universidade Federal de Santa Catarina, analisou os conteúdos da carta e apresenta alguns contrapontos a respeito de dois itens em particular:

“É inaceitável a lentidão nas decisões, em um quadro de ampla vacinação, maior controle da Covid-19”.
Movimento Floripa Sustentável, em carta aberta à Reitoria da UFSC publicada no dia 24 de agosto
NÃO CONFERE

A afirmação de que estamos em um quadro de ampla vacinação e controle da covid-19 não tem amparo nos dados reais e atualizados. Pelo contrário, de acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde, apenas pouco mais de 30% da população adulta do Estado – ou seja, maiores de 18 anos – já recebeu as duas doses ou dose única da vacina. E os estudos científicos afirmam que é necessário um percentual de ao menos 70% da população totalmente vacinada para alcançar a imunidade coletiva. Em relação à população total, o número de vacinados em Santa Catarina corresponde a pouco mais de 25%.

As informações disponíveis também refutam a alegação do Movimento de que haveria atualmente “maior controle da covid-19”.  A Matriz de Risco Potencial divulgada no sábado, 21 de agosto, pelo Governo de Santa Catarina mostra que duas regiões do Estado ainda estão classificadas como de risco gravíssimo. São as regiões Nordeste, onde está localizada a cidade de Joinville, que abriga um campus da UFSC, e de Xanxerê, onde a situação inclusive se agravou recentemente.

Há que se levar em conta, também, a presença já detectada em várias cidades da variante Delta da Covid-19, que é considerada mais transmissível e traz um grau de incerteza sobre a evolução da doença no Estado. Em outros lugares do País, como no Estado do Rio de Janeiro, a variante Delta já fez aumentar o número de internações hospitalares. O mesmo acontece nos Estados Unidos, que enfrenta índices de contágio da doença similares ao mês de março.

As decisões da UFSC têm sido divulgadas regularmente nos meios de comunicação oficiais, bem como no site coronavirus.ufsc.br

“Como explicar, por exemplo, que o Instituto Federal de SC tenha 30% da comunidade acadêmica em aulas presenciais desde o dia 2 de agosto e a UFSC não?”
Movimento Floripa Sustentável, em carta aberta à Reitoria da UFSC publicada no dia 24 de agosto.
CONFERE, MAS…

A informação está parcialmente correta, no entanto leva o leitor a acreditar falsamente que as atividades de ensino presencial do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) estejam acontecendo em todos os campi. Atualmente nove dos 22 campi do IFSC aprovaram a transição para a Fase 2, como pode-se verificar no próprio site do Instituto. A Fase 2 do IFSC permite o retorno parcial às atividades administrativas e acadêmicas de até 30% da comunidade acadêmica. Destes, o campus de Palhoça Bilíngue programou o início da Fase 2 para 27 de setembro.

Em Florianópolis, o acionamento da Fase 2 foi realizado nesta segunda-feira, 23 de agosto. Sete cursos estão preparados para o retorno imediato de turmas e os outros cursos voltam a partir de outubro, quando inicia o segundo semestre letivo de 2021. “Mesmo dentro das turmas autorizadas, o retorno dos estudantes é opcional e, aqueles que não desejarem, poderão continuar em Atividades Não Presenciais (ANP)”, esclarece o site da instituição.

Outros dez campi do IFSC em Santa Catarina permanecem na Fase 1, situação em que as atividades acadêmicas presenciais estão totalmente suspensas. Entre essas unidades estão os campi de Criciúma, Florianópolis-Continente, Itajaí,  Jaraguá do Sul, Joinville, Lages e São José.

Na UFSC já há o planejamento para ingresso na Pré-Fase 2 a partir de 20 de setembro, quando os setores administrativos e acadêmicos serão autorizados a realizarem, com limitações, suas atividades presencialmente. Aulas práticas e teórico-práticas, bem como os estágios presenciais também foram autorizados e estão sendo retomados gradualmente, de acordo com cada curso.

Metodologia

O Confere UFSC é uma iniciativa da Agência de Comunicação (AGECOM) da UFSC. A metodologia do Confere UFSC começa com a observação diária do que é dito acerca da UFSC em jornais, revistas, rádios, programas de TV e na internet. Essas afirmações são a matéria-prima das checagens produzidas pela agência. Saiba mais.

Tags: atividades presenciaisConfere UFSCcoronavírusCovid-19Floripa SustentávelUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina