Família e política social: obra lançada pela EdUFSC debate caráter regressivo do familismo

08/02/2021 12:13

A partir da última década do século XX o Estado brasileiro passa a adotar orientações regressivas às políticas sociais. Chamado de familista, este caráter das políticas públicas vem à tona no Brasil a partir das orientações neoliberais iniciadas naquele período e recebe um elucidativo debate atual na obra Família e política social: gêneros, gerações e cuidado, lançada pela Editora da Universidade Federal de Santa Catarina (EdUFSC).

Família e políticas sociais focalizadas

A família ocupa um espaço de disputa nas políticas públicas capitalistas. Se muitas vezes seu papel sofreu invisibilidade, em outros momentos a família acaba por ser colocada em papel de predominância e enquanto primeira instância de proteção social. Quanto a este último cenário, o caso brasileiro é emblemático.

A despeito do caráter universal dos direitos da Constituição Nacional de 1988, já a partir da aurora da década de 1990 as políticas públicas no país têm acentuado seu caráter focalizado, ou seja, direcionadas somente àqueles considerados mais vulneráveis e incapazes de assegurarem sua proteção via mercado. E é nesse contexto que a família ganha centralidade nas políticas sociais no país.

Esta centralidade, a despeito de inserir a família como participante da produção, reprodução e do bem-estar social, apresenta um caráter regressivo por promover o fortalecimento das funções protetivas desenvolvidas pelas próprias famílias, reforçando a tradicional divisão sexual do trabalho e as assimetrias de gênero e reduzindo o dever do Estado.

Sob diversas nuances, a obra lançada pela EdUFSC resgata a história, tendências e fundamentos do familismo e do neofamilismo na proteção social brasileira. Dividida em três partes e contendo 11 artigos, o livro foi redigido por pesquisadoras de diversas universidades brasileiras, a partir de debates nacionais entre núcleos de pesquisa em política social e família, sendo organizado pelas professoras Keli Regina Dal Prá e Liliane Moser, do Departamento de Serviço Social (DSS) da UFSC. Um panorama completo de síntese e análise, voltado a todos que estudam, trabalham e se interessam pelos debates sobre política social e família.

 

Serviço
O quê: Família e política social: gênero, gerações e cuidado, 299p.
Organizadoras: Keli Regina Dal Prá e Liliane Moser
Quanto: R$60,00 impresso e, durante a Feira do Livro, R$48,00
Mais informações na página da Edufsc

 

Gabriel Martins/Agecom/UFSC

Tags: EdUFSCFamíliaFeira do Livro da EdUFSCpolítica socialResenhaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina