Administração Central da UFSC anuncia medidas e comitês para nortear retorno às atividades

04/05/2020 12:24

O reitor Ubaldo Cesar Balthazar divulgou, nesta segunda-feira, 4 de maio, um vídeo no qual afirma haver chegado o momento de “avaliar, planejar e propor medidas que permitam à UFSC verificar as condições de continuidade ou retomada de suas atividades, diante da nova realidade”. O plano, segundo detalha a Administração Central, é formar comitês para planejar os diferentes aspectos de uma retomada, ainda sem data para acontecer.

>> Assista aqui ao vídeo do reitor Ubaldo Cesar Balthazar

O reitor, no vídeo, ressaltou o importante papel que a UFSC vem conduzindo no enfrentamento à Covid-19, destacando mais de 200 matérias publicadas pela Agecom, resultado do “trabalho de nossos docentes, técnicos e estudantes, em ações de solidariedade, produção de insumos e equipamentos que ajudaram e continuam ajudando no combate à Covid -19”, disse. “Nossos trabalhadores do Hospital Universitário – que aliás, completou 40 anos – fizeram toda a diferença: acolhendo, atendendo, cuidando da vida das pessoas e valorizando ainda mais o sistema público de saúde. Tudo isso nos deixa muito orgulhosos”, salientou.

As medidas a serem tomadas pela UFSC serão norteadas pela ciência, afirma o chefe de Gabinete Áureo Moraes. “As premissas para o retorno às atividades presenciais derivam de um exaustivo e rigoroso estudo já realizado por um grupo de pesquisadores (das áreas de Engenharia, Infectologia, Matemática, Física, Estatística), que vêm fornecendo elementos objetivos e de apoio a decisões”, salienta. Outros pesquisadores poderão fazer parte desse comitê para dar embasamento científico às decisões.

>> Confira aqui algumas das diretrizes científicas para a tomada de decisão da UFSC

Nas últimas semanas, pró-reitores, secretários e equipe do Gabinete da Reitoria tem estudado o perfil epidemiológico da Covid-19, com auxílio dos pesquisadores, e confrontado as recomendações da ciência para este momento com estudos sobre a UFSC: infraestrutura, questões acadêmicas e dos discentes e o panorama administrativo, entre outras questões. A resposta será, segundo aponta a Administração Central, um processo de planejamento de ações, encaminhamento de propostas para a devida normatização de procedimentos e rotinas, nas diferentes instâncias deliberativas da instituição.

O reitor assegurou que os comitês, que serão “um comitê central e um comitê assessor; e cinco comitês temáticos: científico, de comunicação, administração e infraestrutura, um acadêmico e um de assistência” terão a participação “de gestores e representantes das entidades de docentes, técnicos e estudantes”. 

“A hora é de estarmos, todos juntos, para pensar a Universidade, com participação e colaboração de todos e todas”, salientou o reitor em seu vídeo. 

Premissas e propostas

A intenção neste momento, segundo o chefe do Gabinete da Reitoria, Áureo Moraes, é ter uma base sobre a qual começar a planejar o retorno às atividades. Mas, ele ressalta, é preciso ter flexibilidade, pois a situação da pandemia ainda é incerta. “Não estamos trabalhando com uma data de retorno, apesar de termos uma portaria em vigor que estipula a suspensão até 31 de maio”, salienta. “Toda e qualquer decisão deve considerar que o processo em torno da doença está em andamento, não se esgota no curto prazo, e as medidas adotadas devem considerar essa transitoriedade, assumindo sempre o caráter de reversibilidade”, complementa.

“As condições de retorno devem ser consideradas numa perspectiva inteiramente inédita: não é possível voltar ao normal! Há que se estabelecer um ‘novo’ normal: adaptado, adequado e inserido em outra realidade. É necessário que se entenda a situação como um marco na cultura organizacional e nos ambientes de trabalho”, explica Áureo. 

A UFSC deverá trabalhar seu planejamento em fases: uma transição inicial, a consolidação das atividades neste novo panorama e, aos poucos, a restituição desta “nova” normalidade. E todas as decisões deverão seguir o caráter científico e o papel dos pesquisadores no processo decisório.

Por isso será necessário estudar todos os aspectos da instituição. Em entrevista à Agecom, o pesquisador Oscar Bruna-Romero falou um pouco sobre a importância em se obter informações sobre todos os processos da instituição, para que, munidos de informação, os dirigentes possam tomar as decisões com embasamento. 

>> Confira vídeo da entrevista com o pesquisador Oscar Bruna-Romero

O estudo desses aspectos, explica o chefe de Gabinete, será delegado aos comitês e subcomitês que serão formados nos próximos dias. “Será um esforço que demandará uma ampla conformação de toda a comunidade universitária, associado ao diálogo institucional com prefeituras e governos – estadual e federal – permitindo que a retomada de atividades seja combinada com medidas externas à UFSC, sob pena de não ser possível estabelecer a nova normalidade como um todo”, salienta Áureo.

Nesta semana, o reitor voltará a reunir-se com sua equipe de gestão e outras instâncias para apresentar as propostas. Uma Portaria Normativa será apresentada com o detalhamento sobre o Comitê de Combate à Pandemia de Covid-19 e as atribuições dos subcomitês. 

 

 

Acompanhe as notícias sobre o combate ao Coronavírus na UFSC no site http://coronavirus.ufsc.br 

 

Tags: Administração CentralComitê de Combate à Pandemia do Covid-19coronavírusreitor Ubaldo Cesar BalthazarUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina