Projeto de audiolivros da UFSC lança campanha para financiamento coletivo

25/09/2019 16:29

O Projeto “Releituras” (Livro Acessível) é uma iniciativa da graduanda Maria de Fátima Medeiros e Silva, do curso de Letras Português da UFSC, e busca desenvolver ações no sentido de promover acessibilidade e inclusão social a pessoas de baixa visão e cegas. Com o objetivo de humanizar, o projeto Releituras realiza gravações de audiolivros didáticos e de literatura (brasileira e mundial). A iniciativa é inédita e realizada por 158 voluntários. O material produzido é disponibilizado gratuitamente para smartphone, programas de rádio e no site do Releituras.

Este material também beneficia outras pessoas com necessidades especiais como: TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade), TEA (Transtorno do Espectro Autista), dislexia, pacientes de hospitais (ajudando na recuperação de crianças e adultos), idosos, analfabetos, analfabetos funcionais e pessoas que gostam de ouvir audiolivros em geral.

Para continuar realizando este trabalho, o Projeto Releituras lançou uma campanha em uma plataforma digital de financiamento coletivo. Confira e participe! 

Saiba mais

De acordo com o IBGE, 21% da população do Estado de Santa Catarina possui algum tipo de deficiência visual. No Brasil são 6,5 milhões de pessoas com baixa visão ou cegos (deficiências causadas por doenças degenerativas como glaucoma, diabetes, hepatites e outras). São pessoas que vivem em uma sociedade que não está adaptada aos conceitos de acessibilidade. Além de enfrentar dificuldades em seu dia a dia, este público tem acesso limitado a educação básica, fundamental e ensino superior.

Atualmente, essas pessoas utilizam o sistema braille, que na sua maioria é mais eficiente para as que nasceram cegas. Este sistema é de alto custo, o que ocasiona na maioria das vezes falta de material didático nas instituições de ensino para atender este público.

Segundo relatos de alunos cegos, há a necessidade da ajuda de colegas de sala, amigos e voluntários para a leitura do material didático, o que é um fator limitante para a conclusão dos estudos. Outra ferramenta utilizada atualmente pelos deficientes visuais são softwares que fazem a leitura de material em PDF com voz robotizada. Existem também no mercado audiolivros com leitura narrativa, o que a torna pesada e cansativa, desestimulando assim o ouvinte (leitor).

Para participar da campanha, clique neste link. Interessados podem colaborar com doações ou compartilhando o link.

Mais informações:

Maria de Fátima Medeiros e Silva: (48) 99914-7774
facebook.com/pg/projetoreleiturasaudiolivro
Instagram:#projeto.releituras

Tags: Projeto releiturasUFSC