Estudante da pós-graduação em Literatura da UFSC se apresenta na Flip 2019

10/07/2019 11:51

O mestrando da pós-graduação em Literatura (PPGLIT/UFSC) e escritor Dennis Radünz, se apresenta neste sábado, 13 de julho, a partir das 14 horas, na 17º Festa Literária Internacional de Paraty (Flip 2019). A apresentação será no Café Literário “Poesia em Outras Margens”, ao lado da poeta Flávia Peret (MG), com mediação do jornalista André Barcinski.

Realizado no Centro Histórico, o evento tem como tema “Dois autores fora do eixo e dos rótulos mostram a diversidade poética brasileira”. Dennis fala sobre seu livro de poemas “Ossama”, que está na segunda edição e contou com resenhas do crítico Luiz Costa Lima e da imprensa cultural de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Radünz publicou cinco livros, é editor e graduado em Letras – Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade Federal de Santa Catarina, com o trabalho de conclusão de curso “Translações da América na “Antologia da Página de Cultura Musa Paradisíaca (1996-2000), sobr a orientação da professora Susana Célia Leandro Scramim.

Mais informações em www.dennisradunz.com.

Euclides da Cunha é o Autor Homenageado da Flip 2019

Autor de uma das obras fundamentais sobre o Brasil – Os sertões – o escritor, jornalista e engenheiro Euclides da Cunha (Rio de Janeiro, 1866-1912) é o Autor Homenageado da Flip 2019, que inicia nesta quarta-feira, 10 de julho, e segue até domingo, 14, em Paraty. A editora Fernanda Diamant é a curadora responsável pelo Programa Principal, que tem direção-geral e artística do arquiteto Mauro Munhoz.

Publicado em 1902, Os sertões tem origem no trabalho de cobertura jornalística da revolta de Canudos (1896-97), ocorrida no interior da Bahia, que opôs o exército e o governo brasileiro ao movimento de cunho social, político e religioso liderado por Antônio Conselheiro. O conflito resultou no massacre dos seguidores de Conselheiro e em uma vergonhosa vitória do exército. Correspondente do jornal O Estado de S.Paulo, Euclides da Cunha iniciou a tarefa de reportagem com convicções morais e políticas que foram desafiadas ao longo da experiência. Isso se refletiu profundamente na obra. Dividido em três partes – “A terra”, “O homem” e “Aluta” –, Os sertões explora a influência do meio sobre o homem na procura de uma identidade nacional. Observador agudo tanto do ambiente quanto da alma humana, Euclides atravessa a história do Brasil desde a chegada dos portugueses, passando pela exploração dos bandeirantes, até a instituição da república, nessa obra monumental.

A Flip 2019 começa nesta quarta-feira, 10 de julho, com a aula magna da crítica literária Walnice Nogueira Galvão, professora emérita da Universidade de São Paulo (USP) e especialista em Euclides da Cunha (1866-1909) e Guimarães Rosa (1908-1967).

Confira a agenda AQUI.

*Com informações de Patrícia Galelli e Flip 2019

**Imagens: Flip 2019 / Divulgação

Tags: Flip 2019Literatura UFSCPPGLitPPGLIT na FlipUFSC