Teatro da UFSC recebe espetáculo ‘A Garota da Capa’ neste fim de semana

28/06/2019 13:00

A Garota da Capa. Foto: Sérgio Vignes

O Teatro da UFSC (ao lado da Igrejinha) recebe a comédia visual “A Garota da Capa”, espetáculo teatral solo, sem fala, com Andréa Padilha e direção do inglês John Mowat, nos dias 28, 29 e 30 de junho (sexta-feira e sábado, às 20h, e no domingo, às 19h). “A Garota da Capa” é uma comédia visual sobre uma mulher sozinha em seu apartamento, vivendo a sua vida através de revistas. Os ingressos são gratuitos e serão distribuídos na bilheteria do teatro, que abre uma hora antes do início da sessão. A apresentação integra a programação do Projeto Cena Aberta, realizado pelo Departamento Artístico Cultural (DAC)/SeCArte da UFSC.

A Garota da Capa, segundo os produtores

O espetáculo estreou em agosto de 2011, na cidade de Florianópolis, sob a direção do inglês John Mowat. Tínhamos como ponto de partida um argumento: falar sobre fome. Mas fome de quê? As cenas foram criadas através do processo de improvisação, retratando a fome de forma mais abrangente. No intuito de dar continuidade à pesquisa da atriz Andréa Padilha, também manteve o recurso da não utilização da fala, apenas o gramelô (uma conversação improvisada sem sentido definido, técnicas dos atores da Commedia dell’Arte), como meio de valorização de alguns momentos da cena. O espetáculo recebe algumas pitadas de palhaçaria, e a atriz, como um espelho da plateia, reflete situações cotidianas, principalmente do universo feminino, provocando no público reflexões sobre temas que abordam a solidão, frustrações e amor.

Sinopse

“A Garota da Capa” é uma comédia visual sobre uma mulher sozinha em seu apartamento, vivendo a sua vida através de revistas. É uma história triste, mas ao mesmo tempo engraçada, que se passa no mundo secreto de seus sonhos e desejos, suas memórias do passado e suas esperanças para o futuro. A mulher cercada por amigos famosos, amada por dezenas de homens, convidada para muitas festas, viagens para lugares exóticos. Uma mulher que deseja ser eternamente jovem. Uma mulher.

Sobre a atriz

Andréa Padilha nasceu e vive em Florianópolis (SC) onde trabalha como atriz, produtora e arte educadora há 24 anos. É formada no Curso de Artes Cênicas da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e participou de diversos workshops no Brasil com profissionais de vários países como Hilary Chaplin (EUA), Ângela de Castro (Inglaterra), Ricardo Pucetti (Brasil), Laura Herts (França), John Mowat (Inglaterra), Jean Jacques Lemetrê (França) e Abel Saavedra (Brasil). Foi uma das fundadoras da Cia. Pé de Vento Teatro, de Florianópolis, e atriz durante oito anos do espetáculo ‘De Malas Prontas’, somando seiscentas apresentações em renomados teatros e festivais brasileiros, na Espanha, Portugal, Andorra, México, Áustria, Estados Unidos e Argentina.

Como arte-educadora e gestora do Projeto GRIOT (inspirado nos contadores de histórias de povos africanos), realizou nos anos de 2012 a 2014 atividades artísticas, culturais e educativas em comunidades menos favorecidas de Florianópolis, sendo comtemplada com o edital dos Correios para a execução desse mesmo projeto no primeiro semestre de 2015, estendendo-o para outras cidades do estado de Santa Catarina.

De norte a sul

Desde a estreia em 2011, o espetáculo tem sido apresentado todos os anos em mostras e renomados festivais nacionais e internacionais em várias cidades de Santa Catarina e de outros estados do Brasil, como 5ª Edição do Esse Monte de Mulher Palhaça – Festival Internacional de Comicidade Feminina – Rio de Janeiro (RJ); Festival Internacional de Teatro Isnard Azevedo – Florianópolis (SC); Janeiro Brasileiro da Comédia – São José do Rio Preto (SP); Maratona Cultural – Florianópolis (SC); Projeto Aldeias – Rio Branco (AC); XIV TENPO – Festival Nacional de Teatro de Porangatu (GO); V Festival de Teatro Tecendo o Riso – Concórdia (SC); Festival de Teatro Tecendo o Riso – Concórdia (SC); II Hilaridade Fatal – Festival de Brasília de Bom Humor Brasileiro, Teatro Plínio Marcos/ FUNARTE- Brasília (DF) ;1º FISGO – Festival Internacional de Solos de Goiás, Teatro do SESC Municipal, Goiânia (GO). Mostra de Comédia Física John Mowat, no Teatro Comunne, São Paulo (SP), com apresentações e debates teatrais com outros profissionais de teatro do Brasil.

Ficha Técnica:

Gênero: Comédia

Diretor: John Mowat

Atriz: Andréa Padilha (espetáculo solo)

Criação: Andréa Padilha e John Mowat (Inglaterra)

Iluminação: John Mowat e Jochen Pasternacki

Tradutora do Diretor: Adriana Padilha

Duração: 50 minutos.

Classificação Indicativa: 16 anos.

Sobre o diretor do espetáculo

John Mowat nasceu e cresceu em Londres, onde ocasionalmente vive. Aos dezesseis anos, por causa das dificuldades financeiras, foi obrigado a abandonar a escola tradicional e se tornou aprendiz de soldador, na indústria de aquecimento e ventilação. Depois foi estudar escultura e  na sequência participou da Royal Academy School, em Londres. Sua carreira no teatro começou em 1980, quando atuou em seu primeiro solo. Em 1994 tornou-se co-fundador da Odd Bodies Theatre Company, em Londres. Como ator e diretor, viajou por maios de 40 países, com seu estilo de comédia altamente visual. Sua primeira ida a Portugal foi em 1992, onde atuou em Lisboa, juntamente com a Companhia do Chapitô, em uma peça elaborada para a EXPO 98. A partir dessa data, passou a assinar a direção artística da companhia, dirigindo inúmeras peças, durante 20 anos. Mowat continua trabalhando, dividindo a maior parte do seu tempo entre Inglaterra, Portugal e Brasil. 

Projeto Cena Aberta

Durante este ano, o Projeto Cena Aberta realiza uma programação comemorativa dos 40 anos do Teatro da UFSC (1979-2019). O Projeto Cena Aberta surgiu da atuação do Departamento Artístico Cultural (DAC), da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na área artístico-cultural, junto à comunidade universitária e catarinense, nas últimas quatro décadas. Inserido no movimento cultural, a programação do Teatro da UFSC participa da agenda cultural de Florianópolis, contribuindo para a formação do público acadêmico e da comunidade. Como um espaço artístico já reconhecido, o Projeto Cena Aberta, coordenado por profissionais de teatro do DAC, vem tornar o Teatro da UFSC um lugar de acesso à comunidade universitária e externa para assistirem a espetáculos teatrais de referência, a preço popular. A comunidade tem acesso à agenda cultural, com uma programação anual, e os grupos teatrais participantes têm seus trabalhos divulgados e valorizados no meio acadêmico e na comunidade externa.

O Teatro da UFSC (ao lado da Igrejinha) está situado no conjunto arquitetônico de edifícios históricos do bairro da Trindade que foram adquiridos pela Universidade na década de 1970. Conjunto esse que abriga a sede do DAC, onde há quatro décadas são realizados diversos projetos artístico-cultuais abertos à comunidade.

Serviço

O quê: Apresentação da comédia visual “A Garota da Capa”, com Andréa Padilha (Florianópolis), e direção de John Mowat (Londres)

Quando: dias 28, 29 e 30 de junho de 2019 (sexta-feira e sábado, às 20h, e domingo, às 19h).

Onde: Teatro da UFSC (ao lado da Igrejinha), em frente à Praça Santos Dumont, na Rua Vítor Lima, nº 117 – Trindade, Florianópolis (SC).

Quanto: Gratuito e aberto à comunidade. Os ingressos devem ser retirados na bilheteria do teatro, que abre uma hora antes do início das apresentações.

Duração: 50 minutos.

Classificação Indicativa: 16 anos.

 

Contato: Andréa Padilha – e-mail:

Telefone: (48) 9 9156-9473

Skype andrea.padilha1

 

Textos Críticos: veja dois textos críticos sobre o espetáculo.

Sobre o Teatro da UFSC: www.dac.ufsc.br

 

Matheus Bonfim/Estagiário de Jornalismo/DAC/SeCArte/UFSC, com textos e fotos da produção do espetáculo.

Tags: A Garota da CapaTeatro da UFSCUFSC