Comunidade universitária se mobiliza em defesa da Educação

15/05/2019 09:55

Estudantes distribuíram panfletos convidando comunidade universitária para mobilização do dia. Foto: Pipo Quint/Agecom

A manhã desta quarta-feira, 15 de maio, foi atípica na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Com movimentação menor que a de costume, diante da paralisação de muitos cursos de graduação, todos os que compareceram ao campus Trindade se depararam com pessoas distribuindo panfletos convidando para os atos em defesa da Educação, que ocorrem nesta data. A panfletagem realizada por estudantes, técnicos-administrativos em Educação (TAEs) e docentes da UFSC teve boa receptividade e, em alguns casos, pessoas que receberam o panfleto se dispuseram a auxiliar a distribuí-lo.

Astrid Baecker Avila, professora do Departamento de Estudos Especializados em Educação (EED), afirmou que a panfletagem da manhã desta quarta-feira teve o objetivo de mobilizar a comunidade universitária para o Dia de Luta pela Educação. Segundo a docente “esta data é uma demanda dos trabalhadores da Educação Básica, diante dos cortes que sofreram recentemente. Quando esses cortes foram anunciados também aos Institutos e Universidades Federais, o movimento foi ampliado, com indignação agora avolumada. A pauta não é, no entanto, restrita aos profissionais da Educação, básica e superior, mas em defesa dos direitos sociais que vem sendo atacados. A reforma trabalhista, a reforma da previdência e os ataques contra a educação em todos os seus âmbitos são parte de um projeto que só prejudica a população brasileira. Um país que abre mão de sua ciência e pesquisa, abre mão de seu futuro.”

Antonella, estudante de graduação da UFSC, afirma que o ato de hoje é ainda preparatório para uma mobilização marcada para 14 de junho, e alerta que “diante de uma crise econômica global, no Brasil são as populações mais pobres e os trabalhadores que estão sendo sacrificadas. É fundamental fazermos esses atos para que os estudantes se somem a essas lutas pelo futuro de todo o país, e a panfletagem de hoje é parte deste amplo movimento.”

Comunidade foi receptiva aos manifestantes. Foto: Pipo Quint/Agecom

A atividade foi avaliada por André Ruas, TAE da UFSC, “a panfletagem foi muito boa, e ajuda a criar o clima para o ato de hoje, que deve ser muito grande, principalmente considerando a assembleia do Diretório Central dos Estudantes (DCE), realizada ontem no Centro Socioeconômico (CSE), e que lotou um hall imenso não somente de estudantes de graduação, como também de pós-graduação e de trabalhadores da UFSC. A ação das entidades (DCE, APG, Sintufsc e Apufsc) dá corpo a uma movimentação que é muito mais antiga, e que inicia com a Emenda Constitucional 95 do governo Temer que estabeleceu um teto de gastos para áreas como a saúde e a educação. Esse movimento, contudo, se intensificou com o anúncio dos cortes de gastos para e Educação básica e superior. Para as Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), os cortes são ainda mais perniciosos, pois são direcionados a algumas rubricas e atingem o desenvolvimento do país, impedindo a pesquisa e a extensão, isolando a universidade do restante da sociedade. Esses cortes só favorecem as universidades privadas, que já têm suas ações na bolsa valorizadas desde os cortes, não porque são melhores, porque não são, mas porque esses cortes comprometem todo o funcionamento das universidades públicas e só prejudicam o conjunto da população. É sempre relevante destacar que não estamos lutando por nossos salários aqui, que não foram atingidos nesse momento, mas por toda a estrutura de ensino, pesquisa e extensão, que é o que faz da universidade pública esse centro de excelência e desenvolvimento nacional, agora colocado em risco.”

Próximas atividades

A panfletagem desta manhã é a primeira das atividades programadas para hoje, após o anúncio realizado pelo Ministério da Educação (MEC) de contingenciamento de mais de 2 bilhões de reais ao do conjunto das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES). Na UFSC esse impacto será de cerca de 35% do seu orçamento, em cifras que superam os R$ 60 milhões.

As demais atividades programadas para o dia são:

– 9h30: Passeata com os instrumentos da Banda Parei pela UFSC, em chamado à comunidade para as atividades do dia;

– 10h às 10h30: Ato unificado em frente à Reitoria: “30 minutos juntos contra os 30% de cortes”;

– 11h às 13h: Atração musical na tenda em frente à Reitoria;

– 11h30: Passagem da passeata e Banda pelo Restaurante Universitário, com panfletagem e chamado para assembleia geral da UFSC;

– 12h: Assembleia Geral da UFSC, no hall da Reitoria;

– 13h: Saída para o centro em ato, passando pela Escola de Educação Básica Simão Hess, somando o ato com os atos da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC);

– 17h: Ato pela Educação, em frente à Catedral de Florianópolis.

 

Gabriel Martins/Agecom/UFSC

 

Tags: cortes orçamentáriosUFSC