Grupo Cena 11 apresenta espetáculo com alunos da UFSC na 5ª Semana de Dança

24/05/2019 16:47

Ensaio do grupo Cena 11 Cia de Dança e estudantes da UFSC que serão performers no espetáculo de abertura da 5ª Semana de Dança da UFSC. (Foto: Maria Luiza Pires/Agecom/UFSC)

Continue suas relações com as pessoas com quem você está!” gritou Alejandro Ahmed, sentado em uma das 1.371 cadeiras do Auditório Garapuvu, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. À sua frente, 40 pessoas de mãos dadas caminhavam entre as cadeiras do auditório, tentando preencher os espaços vazios, divididos em diversos grupos. Alguns riam, outros conversavam; alguns apenas caminhavam, em silêncio, com seus parceiros.

O que acontecia, naquele momento, era o ensaio de abertura da 5ª Semana de Dança da UFSC. Alejandro Ahmed é diretor artístico da companhia de dança Cena 11, e responsável pela ação performática Colônia, mobilidade emergente de autonomia coletiva, o espetáculo de abertura da Semana, que é um dos principais eventos de arte da Universidade.

A apresentação do grupo será na segunda-feira, 27 de maio, às 20h, no Auditório Garapuvu da UFSC. A performance tem classificação indicativa de 18 anos. O elenco conta com 40 performers: sete compõem, de fato, o grupo “Cena 11” e 33 são alunos da UFSC.

Ação performática tem classificação indicativa de 18 anos e começa às 20h desta segunda-feira. (Foto: Maria Luiza Pires/Agecom/UFSC)

Um dos estudantes é Caio Rodrigues, de 24 anos, aluno do curso de Direito. Ele conta que já conhecia o grupo de espetáculos anteriores e, desde a primeira apresentação que assistiu, se apaixonou pela proposta da direção artística. “A questão que o diretor aborda muito é essa estranheza, o impacto com o normal. Quando assisti outro espetáculo deles chorei muito, aquilo mexeu comigo. Por isso senti vontade de fazer parte deste”, conta Caio.

A direção artística se mantém a mesma há 25 anos. Alejandro Ahmed montou o grupo porque se viu em um deserto profissional no estado de Santa Catarina. Sua vontade era vislumbrar uma companhia profissional, viver da dança e fazer da profissão um estado de investigação e pesquisa artística, vinculado com pesquisa teórica e prática.

“O grupo nasceu como um objeto de formação, então todo o elenco que foi criado no início, e mesmo depois, é um elenco moldado a partir da trajetória da companhia” ele relata. “O que a gente produz não é um modelo euro-centrado, é uma dança feita e fundamentada nas questões que a gente instaurou no Brasil e em Florianópolis.”

Colônia é uma adaptação de um projeto antigo da companhia, apresentado em 2013 na cidade de Santos (SP) e posteriormente em Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ). A apresentação era feita em espaço urbano, somente com o elenco principal. De acordo com Ahmed, com o convite da UFSC de fazer o espetáculo no palco, o grupo teve de ser ampliado, já que o público também é muito maior.

“A ideia foi fazer com pessoas de áreas diferentes, com estudantes da UFSC, e com essa base do trânsito entre a Universidade e saberes que não estão dentro da Universidade. Então a gente conseguiu agregar esse valor de formação ao valor de pesquisa artística, e também num momento onde a Universidade, de alguma forma, está sendo questionada por vários modelos de pensamento que não reconhecem o lugar da Universidade como objeto de pesquisa, até por não estarem dentro desse lugar. É uma data propícia para que a gente se vincule na defesa desses direitos e responsabilidades”, afirma o diretor.

Segundo ele, o que difere esse espetáculo de todos os outros já produzidos pelo Cena 11 é justamente o encontro com o outro, o exercício social e o entendimento de “como estar junto através de uma ferramenta de dança, onde a dança se apresenta como um instrumento de pesquisa e acolhimento desse pensamento.”

 

Maria Luiza Pires / bolsista de jornalismo da Agecom / UFSC

 

Sobre o Grupo Cena 11 Cia. de Dança:

O grupo desenvolve e compartilha ferramentas técnicas fundamentadas nas relações entre corpo, ambiente, sujeito e objeto como variáveis de um mesmo sistema vivo que existe enquanto dança. Seus projetos de pesquisa e formação confluem teoria e prática no entendimento de dança e atravessam as definições de corpo tratando tecnologia como extensão e expansão do corpo propriamente dito. A Companhia surgiu e é radicada na cidade de Florianópolis, e atua há 22 anos na produção artística de dança tendo se tornado referência nacional e internacional da área. Um núcleo de criação com formação em várias áreas compõe a base para uma produção artística em que a ideia precisa ganhar expansão num corpo e se organizar como dança.

Ficha técnica:

Direção Artística e Coreografia: Alejandro Ahmed

Grupo Cena 11 Cia. de dança: Alejandro Ahmed, Aline Blasius, Hedra Rockenbach, Karin Serafin, Kitty Katt, Luana Leite, Malu Rabelo, Marcos Klann, Natascha Zacheo

 

Serviço:

O quê: Ação Performática: Colônia – mobilidade emergente de autonomia coletiva, com Grupo Cena 11 Cia de Dança e performers convidados
Quando: 27/05 –  20h
Onde: Auditório Garapuvu | Centro de Cultura e Eventos – Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo
Duração: 30min.
Classificação: 18 anos
Ingressos: A entrada para essa atração está disponível na Secretaria de Cultura e Arte da UFSC (SeCArte), localizada nos fundos do Centro de Cultura e Eventos de segunda a sexta-feira das 9h às 12 e das 13 às 17h. Serão concedidos até 02 ingressos por pessoa.

 

Saiba mais:

A Semana da Dança | Programação | Facebook | E-mail

Tags: SeCArteSemana de DançaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina