Fortalezas 40 anos: UFSC realiza gestão das fortificações há quatro décadas

18/04/2019 11:38

Em 21 de novembro de 1979 a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) assumiu a gestão da Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, hoje na área de jurisdição do município de Governador Celso Ramos. Ao assumir a administração do espaço histórico o Reitor Caspar Erich Stemmer enalteceu a importância da preservação da fortificação: “Dentro das limitações usuais do orçamento da Universidade fiquei temeroso de assumir a responsabilidade pela manutenção da Ilha de Anhatomirim.  (…) Somente depois de sentir, através da operação “Chapéu na Mão”, o carinho e o interesse que todo o povo florianopolitano dedica a Anhatomirim, é que compreendi que a Universidade não poderia deixar de dedicar-se de corpo e alma à (essa) tarefa (e nem) poderia fugir da missão de administrar, manter e utilizar estas construções históricas, no cenário desta ilha de deslumbrante beleza natural”.

A Fortaleza de Santa Cruz na Ilha de Anhatomirim foi a primeira assumida pela UFSC. Foto Henrique Almeida/Agecom

A fortaleza foi aberta à visitação pública em 1984, na sequência a Fortaleza de Santo Antônio de Ratones passou à guarda da UFSC em 1991 e foi aberta ao público no ano seguinte. Por fim, a Fortaleza de São José da Ponta Grossa, aberta ao público em 1992, também vem sendo gerenciada pela UFSC desde essa data.

Construídas pela Coroa Portuguesa a partir de 1739 com a função de guarnecer a entrada da Barra Norte da Ilha de Santa Catarina, as fortalezas foram declaradas Patrimônio Histórico Nacional em 1938 e as Fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim e de Santo Antônio de Ratones estão entre as 19 fortificações brasileiras indicadas à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) para tornarem-se Patrimônio da Humanidade. A atuação da UFSC, que mantém as três fortificações abertas à visitação durante o ano todo, busca preservar e tornar acessíveis elementos da história e da cultura catarinenses.

Comissão organiza atividades alusivas aos 40 anos de gestão  

Atualmente, as fortalezas são geridas por meio da Coordenadoria das Fortalezas de Santa Catarina (SeCArte/UFSC), coordenada pelo servidor, Salvador Norberto Gomes, que destaca o trabalho que está sendo desenvolvido pela UFSC. “Estamos trabalhando em projetos para receber cada vez melhor os cerca de 190 mil visitantes que frequentam as fortalezas ao longo do ano e têm a oportunidade de acessar a nossa cultura e a nossa história”.

Para marcar a passagem dos 40 anos de gestão das Fortalezas pela UFSC, o reitor Ubaldo Cezar Balthazar, instituiu uma comissão composta pelo chefe de gabinete, Aureo Mafra de Moraes e pelos servidores Ricardo José Torres (Agecom), Jonatan dos Santos, (TV UFSC), Roberto Tonera (Fortalezas) e Ivo Caoe Baptiston (SeCArte). A comissão está organizando um cronograma de atividades comemorativas que será divulgado em breve e contará com uma série de ações.

O ato de assinatura do Termo de Cessão da Fortaleza de São José da Ponta Grossa ocorreu na  sede da Superintendência do Patrimônio da União (SPU-SC) no dia 15 de abril de 2019. Foto Jair Quint/Agecom

Dentre as principais atividades organizadas para marcar a atuação da UFSC nas Fortalezas está a assinatura do Termo de Cessão da Fortaleza de São José da Ponta Grossa. O ato que oficializou a cessão de uso da área de mais de 17 mil metros quadrados ocorreu no dia 15 de abril de 2019 na sede da Superintendência do Patrimônio da União (SPU-SC) e contou com a presença do reitor Ubaldo Cezar Balthazar, do pró-reitor de pesquisa da UFSC Sebastião Roberto Soares, do coordenador das Fortalezas Salvador Norberto Gomes, do arquiteto da UFSC Roberto Tonera, do responsável pela regularização fundiária e predial da UFSC, Ricardo César dos Passos e dos servidores da SPU, Marco Aurélio Testoni, Coordenador de Destinação – Substituto e João José dos Santos, engenheiro. O vereador Afrânio Boppré também esteve no evento.

O reitor da UFSC enalteceu a importância do que classificou de momento histórico. “Esse é um momento muito importante, a Universidade vinha trabalhando há muito tempo para que a cessão de uso fosse oficializada. Esse é o começo de um processo que vai nos permitir, a médio prazo, ter sob a administração direta da UFSC as três fortalezas”, explicou.

O arquiteto da UFSC, Roberto Tonera, que atua com esses monumentos há cerca de 30 anos evidenciou a importância desse patrimônio histórico para a sociedade. “As fortalezas precisam ter o apoio de toda a sociedade, a UFSC já vem trabalhando há 40 anos nesses monumentos, tirou as fortificações do arruinamento e as transformou em atrações turísticas e pontos de ações de cultura, pesquisa e extensão. Todos os entes da sociedade precisam estar engajados em prol da preservação e valorização dessas fortificações”.

Saiba mais sobre as Fortalezas nos três blocos do programa “UFSC Entrevista” produzido pela TV UFSC:

Mais informações  

Informações adicionais sobre as demais fortificações de Santa Catarina, do Brasil e de outros países podem ser acessadas na página fortalezas.org, base de dados internacional sobre patrimônio fortificado, também desenvolvida e gerenciada pela UFSC.

A Coordenadoria das Fortalezas está localizada no pavimento térreo do Centro de Cultura e Eventos da UFSC e o contato com o setor pode ser estabelecido pelo e-mail ou pelo telefone (48) 3721-8302.

Ricardo Torres/Agecom/UFSC

Tags: #FortalezasUFSC40anosCoordenadoria das Fortalezas da Ilha da Santa CatarinaFortaleza de AnhatomirimFortaleza de Santo Antônio de RatonesFortaleza São José da Ponta Grossa