UFSC recebe calouros para matrícula presencial, que se encerra nesta sexta-feira

07/02/2019 12:51

Pedro Henrique Teodoro e a mãe Fabiane.

Às 8 horas e trinta minutos de quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019, Pedro Henrique Teodoro circulava pela primeira vez no Campus Florianópolis da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Os olhos brilharam a cada nova descoberta: ‘aqui fica a Reitoria, aqui o Centro de Comunicação e Expressão (CCE), aqui a Biblioteca Universitária (BU), mais a frente o Hospital Universitário (HU)’, dizia eu ao guiar o calouro, um amigo e a mãe Fabiane Justino Teodoro até o Centro de Ciências da Saúde (CCS).

O futuro estudante de Educação Física vem de uma família simples, é o primeiro a ingressar no Ensino Superior e espera ser exemplo para o irmão de três anos que ficou em casa com o pai, pescador em Laguna. “Não me vejo em outro curso. O campus é bem diferente de tudo que estou acostumado, é grande e muito legal”, relata ela.

Pedro é um dos mais de 4.600 candidatos aprovados no Vestibular 2019, ou Sisu 2019, ou na Reopção de vagas ociosas do Vestibular 2019 ou, ainda, no edital de Vagas Suplementares Negros que devem comparecer nos campi de Araranguá, Blumenau, Curitibanos, Florianópolis e Joinville para realizar a matrícula presencial de 5 a 8 de fevereiro, das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas.

Ana Victória de Camargo tem 18 anos e cursará Ciências Contábeis. Acompanhada da mãe, Sandra de Camargo e Silva, aguardava ser chamada pela Comissão de Validação da Autodeclaração para a ação afirmativa Negros. Depois da matrícula, Ana fica e Sandra volta para São José dos Campos (SP). “O meu coração está apertado um pouco, por causa da distância, mas estou muito feliz porque é o primeiro vestibular dela e, se é isso que ela quer, eu dou apoio”.

Para a jovem estudante, a Política de Ações Afirmativas nas universidades federais é muito importante para dar espaço e voz ao negro. “Inserir o negro na universidade é possibilitar que o seu colega, branco e privilegiado, conheça o negro desprivilegiado, que sofreu preconceito. Assim, podemos disseminar a diversidade, ou seja, a cultura de ser negro e ser brasileiro”.

Leonardo Peçanha Stutz e a família.

Leonardo Peçanha Stutz, 37 anos, estava acompanhado da família, esposa e dois filhos, enquanto aguardava atendimento na Comissão de Validação da Autodeclaração para Pessoa com Deficiência. O futuro estudante de Psicologia está otimista com o curso e considera uma influência positiva os filhos conhecerem a UFSC desde pequenos. “Parte da família da minha esposa acha errado estudar, então os meus filhos está tendo a oportunidade de ter outra mentalidade, de crescer vendo a importância do estudo e da existência de uma instituição pública que vai além do ensino, pois também tem função social, atende a população e presta serviços (HU, ações sociais). Acho que eles terão a oportunidade de ver uma experiência totalmente diferente que vai ajudar na formação deles como seres humanos, vindo a estudar aqui ou não”, enaltece ele.

Lívia, filha de Leonardo, tem 13 anos e conheceu a UFSC ao acompanhar o pai na matrícula. “A universidade é grande, eu me perderia se estudasse aqui, mas a estrutura é maravilhosa e eu ficaria muito feliz em estudar aqui”.

As matrículas presenciais serão realizadas até sexta-feira, dia 8 de fevereiro, nos campi da UFSC. Verifique mais informações sobre o assunto na reportagem UFSC realiza matrícula presencial de calouros de 5 a 8 de fevereiro.

 

Nicole Trevisol / Jornalista da Agecom / UFSC

Fotos: Henrique Almeida / Agecom / UFSC e Nicole Trevisol.