Gestão do HU apresenta resultados alcançados em 2018

18/01/2019 11:11

O Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC) encerrou o ano de 2018 com investimentos de aproximadamente R$ 12 milhões, tendo como destaques a renovação do parque tecnológico, a reforma de unidades assistenciais, a ampliação de serviços, a implantação de novos processos de gestão e a contratação de pessoal da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal que administra o HU.

De acordo com o relatório apresentado pela Unidade de Planejamento do hospital, estes investimentos foram disponibilizados, em sua maioria, pelo Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF). O gerente administrativo do HU-UFSC, Paulo Peixoto Portella, destacou o processo de implantação do Modelo de Gestão da Atenção Hospitalar como uma das realizações deste ano, com dois terços da estrutura organizacional da Ebserh implantados. Além disso, houve o ingresso de 280 trabalhadores da estatal, totalizando 306 novos concursados, com previsão de novas contratações em 2019, incluindo reposição de aposentadorias.

Ampliação de serviços

O ano foi marcado pela ampliação da oferta de serviços assistenciais. De acordo com a gerente de Atenção à Saúde, Francine Lima Gelbecke, houve reabertura de leitos, aumento da contratualização de exames, consultas e procedimentos com a Secretaria de Estado da Saúde, início da contratualização da oferta de exames de imagem para a Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis e a consolidação do Setor de Regulação e Avaliação em Saúde com aprimoramento do Modelo de Gestão de Leitos.

Na área assistencial, o HU-UFSC teve três mutirões: cirurgia plástica pós-cirurgia bariátrica; exames de colonoscopia e exames para detecção de câncer de mama – além de registrar, no ano, a marca do centésimo transplante hepático. Foi ampliada também a oferta de atendimento para vítimas de violência sexual com foco no público infantil e foram iniciados grupos de cessação do tabagismo para trabalhadores, com a meta de tornar o hospital uma área 100% livre de cigarro e similares.

A superintendente do hospital, Maria de Lourdes Rovaris, destacou três projetos que têm contribuído na melhoria do cuidado em saúde. Dentre eles, está o projeto Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala, cuja meta é reduzir, até 2020, casos de infecções associadas a procedimentos invasivos em unidade de tratamento intensivo (UTI).

Ao final de 2018, os resultados mostraram que a UTI adulto do HU não apresentou casos de pneumonia associada ao uso de ventiladores mecânicos, de infecções urinárias relacionadas ao uso de sondas vesicais e de infecções primárias de corrente sanguínea associada ao uso de cateteres venosos centrais. Além deste, receberam destaque da superintendente os projetos de Implantação Nacional da Estratégia Multimodal da Higiene das Mãos em Serviços de Saúde para a Segurança do Paciente e de Aprimoramento e Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrícia e Neonatologia, que busca implantar boas práticas obstétricas e neonatais em hospitais, destacando a maternidade do HU-UFSC como referência estadual.

Parque tecnológico

Na renovação do parque tecnológico, foram empregados R$ 8,9 milhões, com aquisição de mobiliário e equipamentos de uso geral, além da substituição de equipamentos médico-hospitalares, beneficiando as áreas administrativa e assistencial. “Comemoramos a finalização da compra centralizada pela Ebserh de um tomógrafo de 64 canais e um aparelho de cineangiocononariografia (angiógrafo), além de um mamógrafo digital, com previsão de recurso para projeto e obra de instalação destes aparelhos”, informou Maria de Lourdes Rovaris. A superintendente explicou que a renovação do parque tecnológico possibilita maior eficiência operacional, diagnóstica e assistencial, contribuindo para atender as demandas atuais do Sistema Único de Saúde (SUS).

Beneficiando as diferentes áreas assistenciais de internação e ambulatoriais do hospital, foram adquiridos novos equipamentos de suporte à vida, como monitores multiparâmetros, desfibriladores/cardioversores, além de berço aquecido, incubadora para recém-nascidos, mesas cirúrgicas, equipamento de ensaio por ultrassom para hemodiálise, microscópio binocular, oxímetro de bancada, caixa hospitalar aquecedora para banco de sangue, armários, mantas, bomba de seringa e outros.

Reformas de Unidades Assistenciais

Totalizando um investimento de cerca de R$ 3 milhões, foram concluídas as obras do Alojamento Conjunto e de duas unidades de Clínica Médica, além da reforma e de adequações estruturais da Unidade de Laboratório de Anatomia Patológica, da Unidade de Clínica Cirúrgica II e do Núcleo Interdisciplinar de Apoio ao Desenvolvimento Humano (Núcleo Desenvolver), que desenvolve atividades com crianças e adolescentes em dificuldades escolares.

Ensino

Em 2018, houve a implantação da estrutura física, operacional e de recursos humanos da Gerência de Ensino e Pesquisa (GEP), que sistematizou o processo de estágios curriculares no HU e, em parceria com a Ebserh, iniciou a capacitação de preceptores médicos e da equipe multiprofissional do HU-UFSC, além de garantir cursos de qualificação e de formação dos atuais gestores nos temas de liderança e gestão da mudança.

Além disso, foram ampliados os ambientes de ensino e iniciada a reforma do auditório, com previsão de conclusão em 2019, conforme informa a gerente de Ensino e Pesquisa, Rosemeri Maurici. A GEP também atuou na reorganização da submissão e tramitação de projetos de pesquisa no âmbito do Hospital Universitário, apoiando e auxiliando a atividade dos pesquisadores da UFSC.

Gestão hospitalar

O HU-UFSC foi escolhido como uma das cinco instituições da rede Ebserh, composta por 40 hospitais universitários, como piloto para implantação do Orçamento Base Zero (OBZ), um modelo de gestão que visa otimizar os investimentos dos recursos financeiros. Como destaque, está o processo de implantação do Aplicativo de Gestão para Hospitais Universitários (AGHU), sistema que padroniza as práticas assistenciais e administrativas dos hospitais universitários e facilita a adoção de projetos de melhorias para a rede, usando os indicadores nacionais do aplicativo.

O hospital faz parte também do projeto piloto de implantação do Modelo de Sustentabilidade, que tem por objetivo dar visibilidade e apontar alternativas para a melhoria da sustentabilidade nas dimensões de Assistência, Ensino e Pesquisa.

A adoção de novas de gestão de suprimentos, baseadas na Metodologia Lean, possibilitou a redução de aproximadamente 278 mil reais no estoque de materiais de alto custo, e trouxe melhorias no controle de estoque e de rotas de distribuição das dietas enterais do Setor de Hotelaria. “Tal experiência demonstrou a eficácia do uso da Metodologia Lean na saúde e a perspectiva de novos projetos com ampliação para outras áreas do hospital em 2019”, enfatizou a chefe da Divisão de Logística e Infraestrutura Hospitalar do HU, Heloisa Cristina Martins Amaral.

Desafios

A superintendente do hospital, Maria de Lourdes Rovaris, destacou que, com as conquistas nos últimos meses, o HU-UFSC inicia 2019 com o desafio de finalizar, ainda no primeiro semestre, a implantação da estrutura organizacional plena da Ebserh. Para ela, outro grande desafio é a implantação do sistema AGHU em todas as áreas administrativas e assistenciais.

Neste ano, o HU-UFSC espera manter a ampliação da oferta de serviços, a partir de novas habilitações e abertura de novos leitos. Entre as prioridades, estão a reforma e ampliação da emergência pediátrica, a reforma do centro cirúrgico, do ambulatório de pediatria, do setor de quimioterapia e do setor de cirurgia ambulatorial. Está prevista também a climatização dos ambulatórios, proporcionado a humanização dos espaços para trabalhadores, alunos e pacientes.

Como meta, os dirigentes do hospital estabeleceram a reestruturação da Política de Pesquisa e Inovação, com definição das linhas de pesquisa, a definição e implantação da política de educação permanente, e a instalação do escritório de projetos. “Isso possibilitará tornar o HU-UFSC um centro de excelência em pesquisa e inovação na região e dentro da rede Ebserh, contribuindo para sua inclusão em linhas de financiamento pelas esferas de governo”, conclui o relatório, que também estabelece como desafio para este ano a criação do Plano Diretor Estratégico 2019/2021, definindo as metas a serem alcançadas pela instituição em busca da melhoria da qualidade assistencial, de ensino, pesquisa e gestão.

Sinval Paulino/Jornalista do HU/UFSC