Vestibular UFSC 2019: colaboradores aplicam provas em clima de boas-vindas

11/12/2018 09:21

É no primeiro dia de prova do Vestibular que muitos candidatos, ao adentrarem os portões, conhecem a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Do lado de cá estão servidores e estudantes que conhecem a rotina e a cultura da instituição. Neste momento, cada um desempenha um papel importante no processo que resume boa parte da essência da universidade federal, pública e gratuita: o ingresso de estudantes.

Candidatos e colaboradores se espalham pelos locais de prova com objetivos distintos: os primeiros almejam uma vaga de curso superior e os segundos realizarem o trabalho da melhor maneira possível. No Vestibular UFSC 2019 2.850 pessoas atuaram nos três dias de provas, dias 8, 9 e 10 de dezembro. Desses, 530 são servidores da Universidade (450 técnico-administrativos e 80 docentes), 580 são estudantes (340 de graduação e 240 de pós-graduação) e 1.740 são terceirizados (servidores de outras instituições de ensino).

Cada um assume uma função distinta na aplicação das provas em 53 setores distribuídos em 23 cidades catarinenses, sendo elas: coordenador de Ala, coordenador do Setor, segurança, fiscal de Corredor, fiscal de Grupo/Sala e Equipe de Apoio.

Sérgio Machado Wolf é servidor técnico-administrativo e atua no Vestibular da UFSC desde 1988. “Comecei como fiscal de Corredor em 1988, enquanto ainda era estudante de Administração”. Trinta anos depois, Wolf é coordenador de Ala no Centro de Comunicação e Expressão (CCE) e lembra alguns aspectos que mudaram de lá para cá. “Mudou muita coisa. Antes as provas eram de manhã e por quatro dias, mas a organização e a seriedade do processo continuam os mesmos”. Wolf se sente lisonjeado em participar do Vestibular da UFSC. “O processo é muito sério e a sociedade vê isso. Florianópolis se transformou por conta da Universidade, sendo que o vestibular é um evento de grande porte que muda a logística da cidade”.

As amigas Joice Kaufmann, técnica-administrativa no Núcleo de Estudos da Terceira Idade (Neti), e Marina Hoffmann, docente no Departamento de Engenharia Mecânica, enaltecem a oportunidade de receber com atenção e carinho os futuros estudantes da UFSC. “Essa é a entrada deles, é quando dizemos ‘sejam bem-vindos’, por isso acho legal trabalhar no Vestibular”, diz Joice. Marina, que participou duas vezes do Vestibular, diz que o que a motiva a contribuir no processo é a vivência com os candidatos. “Nós já vivemos isso e sabemos como é difícil para os candidatos estar aqui fazendo a prova, por isso, vejo em nós, colaboradores, a oportunidade de dar apoio e ser uma mão amiga nessas horas. Participar disso tudo é muito bom”.

O estudante de mestrado no Programa de Pós-graduação em Engenharia de Automação e Sistemas, Sergio Mauricio Prolo Santos Júnior, atuou como colaborar pela primeira vez este ano e avalia a experiência como uma forma de criar uma ligação com as pessoas. “Você está com os candidatos por três dias e isso faz com que um laço seja criado, mas quando não há a conversa. Através de um sorriso ou gesto, você consegue passar um pouco de calma para os candidatos neste momento de pressão”, diz o fiscal de grupo. Os primeiros dias de provas foram tranquilos e os candidatos que estavam em sua sala acabaram cedo. “Se eu não sair para intercâmbio ano que vem e estiver na UFSC, vou participar novamente sim”.

Mais

Total de 2.850 colaboradores;

80 Docentes

450 técnico-administrativos

340 estudantes de graduação

240 estudantes de pós-graduação

1.740 terceirizados (servidores de outras instituições de ensino)

Os colaboradores passam por uma capacitação no primeiro dia antes de aplicação da prova do Vestibular e, nos outros dois dias, se encontram antes de iniciar a prova para socializar problemas, sanar dúvidas e solicitar esclarecimentos.

São os fiscais de Grupo/Sala quem recebem, diariamente, os pacotes lacrados que constam os cadernos de prova, cartões-resposta e os cadernos com folhas oficiais para a redação e para a resposta das questões discursivas.

Cada um dos colaboradores utilizam coletes com cores distintas, sendo que os coordenadores de Ala e do Setor usam verde, os seguranças usam vinho, os fiscais de Corredor e de Grupo/Sala usam azul e as Equipes de Apoio usam amarelo.

Nicole Trevisol / Jornalista da Agecom / UFSC

*Fotos: Pipo Quint / Agecom / UFSC