Lançamento do livro ‘O Banquete’ no Espaço Cultural Gênero e Diversidades neste sábado, 24

22/11/2018 10:53

O evento de lançamento do livro “O Banquete — Escritos mínimos à Afrodite” organizado pelo Espaço Cultural Gênero e Diversidades (ECGD/UFSC) será realizado neste sábado, dia 24 de novembro, às 19h30 no espaço físico do ECGD. O evento congrega happening erótico-performático, rito gastronômico afrodisíaco e improvisações-gambiarras por Camila Durães (Cacá Aiyra Safi).

Sinopse

O Banquete – Escritos mínimos à Afrodite desvela-se em fragmentos ‘cônticos’ e poéticos acerca dos encontros e desencontros existenciais do amor. Nesses escritos, a autora depõe a favor de seus impulsos sensuais e de sua curiosidade sexual, depondo a favor da fúria contra o patriarcado que reprime e insiste em circunscrever a escrita da mulher ao reduto da poética açucarada e recatada. O Banquete de Luciana Lyra rechaça o melindre, o ciúme, o pecado, o castigo, a moral e também toda forma cerrada de poesia. Estes escritos surgiram exatamente em lampejos de liberdade da autora, no caleidoscópio de suas experiências e na apreensão sensível dos vestígios de estar viva, de sentir-se desejada e desejante. O mar de Afrodite é vasto nas sensações e é fonte incessante de prazer. Afrodite está no demorar da vida. Que seja viva e de prazer a leitura, carne que se espraia.

Sobre a autora

Luciana Lyra é atriz, performer, encenadora, diretora, dramaturga e escritora. Professora do departamento de Arte e Cultura Popular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), professora colaboradora do Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e do Programa de Pós graduação em Teatro da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). É pós-doutora em Antropologia, pela FFLCH/USP e em Artes Cênicas pelo DEART/UFRN, doutora e mestre em Artes Cênicas pelo IA/UNICAMP. É membro dos grupos de pesquisa NAPEDRA – Antropologia, performance e drama (USP/UNICAMP) e ÍMAN – Imagem, mito e imaginário nas Artes Cênicas (UFG). Líder do grupo de pesquisa MOTIM – Mito, Rito e cartografias femininas nas artes. É integrante da companhia de teatro OS FOFOS ENCENAM-SP e fundadora de seu estúdio de investigação, UNA(L)UNA – Pesquisa e Criação de arte. Com OS FOFOS, atuou nos espetáculos Assombrações do Recife Velho (2005), Memória da Cana (2009) e Terra de Santo (2012), premiados nacionalmente. Para além do trabalho com os Fofos, integrou as experiências da universidade a um fazer teatral autoral, desenvolvendo os espetáculos Joana In Cárcere (2005), Calunga (2006), Conto (2007), Guerreiras (2009) e Homens e caranguejos (2012), Obscena, Cara da Mãe e Fogo de Monturo (2015), Quarança (2017), Medeacústica (2017), Louise ou a desejada virtude da resistência (2018). Entre 2010 e 2018, também ingressou no universo da literatura com a publicação de quatro livros: o texto teatral Guerreiras, o romance infanto-juvenil De como meninas guerreiras contaram heroínas, a compilação dramatúrgica Dramaturgia Feminista: Fogo de Monturo e Quarança e o livro de poesia em prosa O Banquete – Escritos Mínimos a Afrodite

As inscrições podem ser feitas no site.