Fotovoltaica UFSC e Nissan levam baterias de lítio de segunda vida para o Salão do Automóvel 2018

07/11/2018 16:19

Baterias usadas do Nissan LEAF estão sendo utilizadas no Salão do Automóvel para iluminar a sala VIP do stand da Nissan. (Foto: Divulgação)

Laboratório Fotovoltaica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desenvolve, de 8 a 18 de novembro, atividades com a parceira Nissan do Brasil, durante o Salão do Automóvel 2018. A empresa e a UFSC firmaram uma parceria, em agosto, para o teste de baterias de segunda vida do veículo 100% elétrico mais vendido do mundo, o Nissan LEAF.

A parceria visa iniciar estudos de soluções futuras para as baterias de segunda vida. Para isso, a Nissan cedeu à UFSC, inicialmente, seis baterias de veículos Nissan LEAF, que foram usados como táxis em São Paulo e no Rio de Janeiro como parte de um projeto especial da empresa entre 2012 e 2016. A aplicação principal a ser testada é o armazenamento de energia solar fotovoltaica para uso durante o período noturno, quando a tarifa de energia elétrica é mais cara.

Para demonstrar a aplicação das baterias de segunda vida, durante o Salão do Automóvel, a iluminação da sala VIP do stand da Nissan será toda energizada com baterias retiradas de unidades do Nissan LEAF. Serão utilizadas 35 unidades de armazenamento (um carro possui 48) divididos em 5 módulos de baterias. A capacidade de armazenamento desses módulos é de 14kWh de energia elétrica, o suficiente para sustentar uma residência brasileira típica por mais de dois dias. Uma tela voltada para o corredor lateral do estande mostrará a quantidade de energia consumida em gráficos para que o público consiga ter parâmetros do sistema.

Como funciona

As baterias são conectadas à rede através do inversor, que converte a energia elétrica das baterias, que é contínua, para que possam suprir as cargas, que necessitam de corrente alternada. O sistema de armazenamento é composto de 5 módulos, que são a junção de 7 unidades de armazenamento de energia retiradas de unidades do Nissan LEAF. Cada um desses módulos tem uma tensão que varia de 42 a 58,8 V e tem uma corrente máxima de 150 A (30 A para cada módulo). Os cinco módulos de baterias estão conectados ao BMS (Sistema de Gerenciamento das Baterias) desenvolvido pela empresa AtlasPower. O BMS gerencia e monitora o carregamento e descarregamento de cada unidade de armazenamento, regulando tensão e corrente de todo o sistema.

O sistema está suprindo as luzes e TVs da Sala VIP Nissan, que totalizam 1,5 kW de potência, demonstrando a aplicação e confiabilidade das baterias de segunda vida.

Vehicle to Grid

Além da área VIP, as baterias fornecerão energia para uma das atrações do estande da Nissan, o LEAF to Phone. Nele, um Nissan LEAF está conectado a um carregador V2G da Enel X e alimenta de energia quatro estações de recarga de celular com a opção de carregamento por indução (para smartphones compatíveis) ou por cabos convencionais (dos próprios visitantes).

O uso do carro para passar energia para as áreas LEAF to Phone e Lounge NIM Immersive Experience é um exemplo do sistema Vehicle to Grid (V2G), que permite que a carga das baterias do Nissan LEAF seja utilizada para fornecer energia elétrica para residências e imóveis comerciais. Isso pode tornar a rede mais estável e sustentável, além de ajudar os consumidores a gerenciar seu abastecimento de energia. A Nissan já aplica o sistema na Europa e Japão.

 

com informações de FotovoltaicaUFSC e Nissan do Brasil