Pesquisa demonstra bons índices de satisfação de usuários do Hospital Universitário

05/10/2018 15:02

Uma pesquisa realizada no Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (HU-UFSC) mostrou que os índices de satisfação dos seus usuários estão na faixa de “bom” e “ótimo”, com destaque para a assistência prestada. O levantamento foi realizado de 4 de junho a 17 de julho, pelo Grupo de Trabalho de Humanização (HUmaniza).

A Pesquisa de Satisfação dos Usuários dos Hospitais Universitários Federais apontou que 97,5% dos usuários indicariam o hospital para algum familiar. Do total de entrevistados, 95,96 consideram o atendimento geral bom; 93,08% aprovam o atendimento da equipe de saúde em termos de gentileza e tratamento de saúde recebido; 90,96% avaliaram positivamente o atendimento da recepção, entre outros itens. Os participantes puderam opinar sobre diversos temas como limpeza, conforto, além de fazer uma avaliação geral da respectiva instituição. Dentre as categorias abordadas, a pesquisa avalia o tempo de espera, a estrutura e o atendimento, visando contribuir para a qualidade dos serviços prestados ao cidadão.

De acordo com a psicóloga Anne Luisa Nardi, coordenadora do HUmaniza, foram ouvidas 629 pessoas, sendo 371 do ambulatório e 258 da internação. Foram ouvidos usuários de todas as áreas ambulatoriais e da cirurgia ambulatorial. Na parte da internação, os pesquisados foram da Ginecologia, Pediatria, Clínica Médica 2, Alojamento Conjunto, Clínicas Cirúrgicas 1 e 2 e UTD. A Clínica Médica 1 e a UTI não são abrangidas em função da restrição de entrada de pessoas.

A Pesquisa de Satisfação dos Usuários dos Hospitais Universitários Federais é uma iniciativa da Ouvidoria-geral da Rede Ebserh e tem por objetivo avaliar a percepção dos usuários, com vistas ao aprimoramento da qualidade do atendimento, além de cumprir determinação legal que assegura a participação do cidadão na avaliação dos serviços realizados pelos órgãos públicos federais.

O Grupo de Trabalho de Humanização do HU atua em várias frentes no hospital, realizando ações para atender demandas de humanização, participando de cursos de capacitação e estruturação do espaço físico para o atendimento.