Estudantes negros do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução promovem mesa-redonda

08/08/2018 11:01

Os estudantes negras e negros do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PGET), convidam a comunidade universitária a participar do evento “Ações Afirmativas: Africanidades e Indianidades”, nesta quinta-feira, dia 9, às 16h, no Auditório Henrique Fontes, localizado no térreo, Bloco B, do Centro Comunicação de Expressão (CCE) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

O evento trará uma mesa-redonda com debates acerca da implementação da Política de Ações Afirmativas (PAA) no programa PGET, primeiro programa de pós-graduação do CCE implementar uma PAA. A política foi efetivada neste semestre de 2018-2 com o lançamento do edital de processo seletivo.

Durante o evento haverá a recepção das primeiras candidatas negras inscritas e aprovadas pela Política do PGET. Entre os objetivos do evento está a conscientização para as ações afirmativas, africanidades e indianidades. O evento trará convidados não cotistas e cotistas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) apresentando suas trajetórias acadêmicas e de relatos de experiências enquanto estudantes e/ou professores, coordenadores, pesquisadores, artistas-ativistas, militantes, da PGET e de outros programas de pós-graduação da UFSC. A mesa dará visibilidade à diversidade dos muitos percursos universitários e profissionais, que destacam a interseccionalidade das causas negras e indígenas, questões de gênero, de classe social, entre outras.

O evento foi idealizado pela mestranda da PGET, Roberta Lira e incentivado pela Profª Dirce Waltrick do Amarante (coordenadora) e organizado em conjunto com doutorandos da PGET Fabrício Henrique Meneghelli Cassilhas (Feibriss), Jefferson Bruno Moreira Santana, Yéo N’gana e as docentes também da PGET Profª Karine Simoni (subcoodenadora), e Profª Evelyn Schuler Zea. O evento também conta com o apoio do Coletivo Kurima e Kurima Bantu Mulheres Mudempodiro (Mulheres em Desenvolvimentos e Movimentos por Direitos para Ombembwá).

 

 

Participantes da mesa

 

Cristiano Mariotto

Formado em Serviço Social pela Universidade Estadual de Londrina, Paraná, Brasil. Mestre em Serviço Social pela Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil. Conselheiro de Estado para Povos Indígenas de Santa Catarina, Brasil, mandato 2014 a 2016. Professor Indígena na Escola Pira Rupã, da Aldeia Pira Rupã em Palhoça, Santa Catarina, Brasil, na disciplina de Contexto Indígena e Linguagem. Consultor técnico da ONU em 2014/2015 para Tecnologia de Comunicação e Informação de Juventude Indígena no Brasil. Consultor técnico da ONU em 2012 para o Governo do Distrito Federal sobre Participação Social no Distrito Federal para Comunidades Tradicionais de Terreiro, Ciganos e população Afrodescendente.

Fabrício Henrique Meneghelli Cassilhas (Feibriss)

Fabrício Herique Meneghelli Cassilhas (também conhecida como Fabris ou Feibriss) é tradutorx de histórias e professorx de inglês. Possui Licenciatura em Língua Inglesa e Bacharelado em Tradução pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Concluiu seu mestrado no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PGET) na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e atualmente é doutorandx no mesmo programa. No ensino de língua inglesa, atualmente tem priorizado a produção de material didático a partir do uso de textos literários escritos em língua inglesa por pessoas negras africanas. Faz parte do neTrans (Núcleo de Estudos e Pesquisas de Travestilidades, Transgeneridades e Transexualidades/UFSC) e do Núcleo Literatural (Núcleo de Literatura Brasileira Atual – Estudos Feministas e Pós-Coloniais de Narrativas da Contemporaneidade). Quanto a suas produções artísticas, atualmente organiza o Sarau Vozes Negras e o projeto de contações de histórias Contra a Hipocrisia Colonial.

Geni Daniela Núñez Longhini

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (UFSC), na linha "Gênero e suas inter-relações com geração, etnia e classe". Mestre no Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social (UFSC). Graduada do curso de Psicologia da UFSC. Em 2011, atuou como bolsista de Iniciação Científica no Núcleo de Pesquisa Margens- Modos de Vida, Família e Relações de Gênero, na pesquisa "Psicologia e estudos de masculinidades: análise documental da Revista Estudos Feministas e Cadernos Pagu". Em 2012-2013/1, foi bolsista de Iniciação Científica no NEP – Núcleo de Estudos em Psicanálise, na pesquisa "Efeitos do feminino no exercício da Psicologia no Brasil" Interessa-se pelas questões de gênero, pensamento decolonial (enfoque na contribuição indígena, negra e lésbica), veganismo, anarquismo e psicanálise.

Jefferson Bruno Moreira Santana

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Espírito Santo (2007) e mestrado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2010). Atualmente é professor assistente da Universidade Federal do Espírito Santo e doutorando no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PGET/UFSC). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa e em tradução e interpretação Libras (Língua Brasileira de Sinais)/Língua Portuguesa, atuando principalmente nos seguintes temas: tradução e interpretação Português-Libras, literatura, tradução cultural, tradução literária, libras, textos e contextos artísticos e literários.

Renata Lima

Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestranda em Psicologia Social PPGP/UFSC; Pós-graduanda em Psicodrama pela Locus Psicodrama Clínica & Escola. Integra a coordenação da Articulação Nacional de Psicólogas/os Negras/os e Pesquisadoras/es em Relações Raciais e Subjetividades – ANPSINEP – Santa Catarina.e a Comissão de Direitos Humanos CRP-12 Tem experiência na área de Psicologia na Educação Complementar (Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV – Assistência Social) e Psicologia Clínica. Interesse principalmente nos temas: Psicologia e Relações Étnico Raciais, Psicologia e Educação, Feminismos, Gênero, Sexualidades, Direitos Humanos e Políticas Públicas.

Roberta Lira

Cantora, atriz, performer, produtora cultural, curadora, professora de cantos e musicalização infantil, pesquisadora de arte e cultura de matriz africana. Bacharela em Artes Cênicas e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da UFSC. Atualmente tem feito performances musicais. Tem realizado investigações culturais e artísticas sobre os processos das relações de afeto e violência entre grupos étnico-raciais negros e brancos. Dirigiu a performance “Senzala 13”; a performance “A Caixa Branca”; idealizou e coordena o Projeto A Beleza de Nossos Corpos Negros,  o conjunto de: exposição, livro e  documentário. É a Diretora Executiva do Kurima Bantu Mulheres Mudempodiro e a Diretora de Projetos, Arte e Cultura do Coletivo Kurima – Estudantes Negras/os da UFSC.  Idealizou o Diretora Vozes de Zambi: Voz, Performance, Cena e Consciência Negra (desde 2012) – projeto de extensão e coletivo (UFSC). É a idealizadora e coordenadora do Intercâmbio Brasil/Peru de Mulheres Negras: Empoderamento como Ferramenta de Desenvolvimento, Igualdade e Justiça.

Yéo N’gana

Doutorado (em andamento) em Estudos de Tradução, Processo de Retextualização, pela Universidade Federal de Santa Catarina (PGET/UFSC) e bolsista CAPES/PECPG. Possui Graduação em Letras (Português) pela Universidade Félix Houphouët Boigny (UFHB – 2010) e Mestrado em Letras (Sociolingüística) pela Universidade Félix Houphouët Boigny (UFHB – 2014). Membro do Núcleo de Pesquisa Historia da Tradução (CNPq/UFSC). Revisor na Revista Cadernos de Tradução do Programa de Pos-graduação em Estudos da Tradução (UFSC). Especialização em Desenvolvimento Sustentável e Gestão Ambiental pelo Centre de Recherches et dAction pour la Paix (CERAP). É autor do livro de poesia No Trânsito da Vida. Coeditor da Acácia-revista de Tradução (http://revista-acacia.com.br/). Também tem experiência em tradução/interpretação de conferências nas línguas francês, inglês e português.

 

Mais informações:
http://diversifica.ufsc.br/kurima/
Cartilha Diversidade