Solenidade marca a abertura do primeiro Minter Internacional da UFSC

22/11/2017 16:31

A solenidade de abertura do Minter Internacional em Enfermagem, realizada nesta terça-feira, 22 de novembro, no Centro de Ciências da Saúde (CCS), foi um momento histórico para a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC): marcou o desenvolvimento do primeiro Mestrado Interinstitucional Internacional da Universidade.

O Minter Internacional em Enfermagem é uma parceria entre o Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PEN) da UFSC e a Universidade de Magallanes (UMAG), do Chile. No evento, estavam presentes autoridades de ambas as universidades: Rogério Cid Bastos, pró-reitor de Extensão da UFSC; a coordenadora local do Minter na UMAG, Elide Mariela Alarcón Bustos, representando o reitor Juan Oyarzo Perez; Lincoln Fernandes, secretário de Relações Internacionais; Fabrício Neves, representando o diretor do CCS; Jussara Gue Martini, coordenadora do PEN; a chefe do Departamento de Enfermagem, Dulcinéia Ghizoni Schneider; Patrícia Ruiz, representante da turma de mestrado do Minter UMAG; Greici Fabrizzio, representante da turma de mestrado do PEN; e Vânia Backes, coordenadora dos cursos interinstitucionais Dinter e Minter do PEN.

Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC

Vânia Backer, em sua fala, destacou a classificação do PEN como programa de excelência com conceito 6, pela Capes. A coordenadora falou sobre as conquistas do PEN em 40 anos de existência, incluindo convênios nacionais e internacionais. O Minter, dentro do PEN, teve início em 1993, formando 220 mestres na região Sul e Centro-Oeste.

Elide Mariela falou sobre a importância da sinergia entre as universidades. “Os projetos de pesquisa desenvolvidos neste programa poderão reparar danos à saúde, melhorar os meios técnicos com usos mais apropriados e maximizar o impacto positivo de cada atividade humana com base na educação em saúde”.

Lincoln Fernandes parabenizou o PEN pela iniciativa, afirmando que a internacionalização tem um papel fundamental em melhorar a qualidade de ensino. “A enfermagem já saiu na frente quando criou o Laboratório de Internacionalização, e pela segunda fez está fazendo uma atividade inovadora ao criar o Minter Internacional. E isso vai servir de base para que todos os outros cursos comecem também a implementar”.

Rogério Cid Bastos contou que chegou na UFSC em 1978, quando existiam cinco programas de mestrado, entre eles o da Enfermagem, destacando o trabalho e persistência das pessoas que participaram das conquistas do PEN. “Eu acredito que essa iniciativa pioneira é de extrema relevância para a integração latino-americana. A Universidade ganha muito com a competência e a qualificação acadêmica que estão presentes aqui”.

Lavínia Beyer Kaucz/Estagiária de Jornalismo/Agecom/UFSC

 

Tags: enfermagemMinterPENpós-graduação