Astrônomo Adolfo Stoltz Neto lança segundo livro e palestra no Teatro da UFSC

02/06/2016 16:27
Foto: Nilson Só

Foto: Nilson Só

Que os fatores humanos como explosão demográfica, desigualdade social, consumismo, arsenal destrutivo, desmatamentos e queimadas fragilizam a vida no planeta parece algo compreensível. Mas as muitas ameaças existentes e latentes apontadas pela Astronomia é o que deixou o público – que assistiu à palestra de Adolfo Stotz Neto – visivelmente curioso, perplexo, preocupado e, até mesmo, com olhar mais atento sobre o tema.

Carmen Fossari, diretora teatral do Departamento Artístico-Cultural (DAC) da UFSC, escreveu as orelhas do livro e, na abertura do evento, ressaltou a importância das atividades do Planetário (CFH) e da retomada do Teatro da UFSC como espaço de difusão da cultura, que segundo Carmen ficou esquecido nos últimos anos. Na plateia, o reitor da UFSC, Luis Carlos Cancellier, amigos, familiares, profissionais do Planetário e interessados.

Capa Livro, Um cavalo sem nomeNo encontro de quarta-feira, 1º de junho, que tratou do tema “A fragilidade e o valor da vida”, foi demonstrada a relação da existência humana com os planetas, os satélites, os cometas e as galáxias. Este sistema infinito interfere no processo vital, que levou 4 bilhões de anos para amadurecer. “O que eu sou é uma cópia do universo”, afirma Adolfo, já que 90% da nossa composição é formada dos elementos-base da vida (carbono, oxigênio, hidrogênio).

Após a exposição, Adolfo – que escreve para todo tipo de leitor, de maneira a explicar a Ciência de forma poética, descomplicada e bem-humorada – lançou e autografou seu segundo livro, Um cavalo sem nome, que narra histórias fictícias e reais vivenciadas pelo autor. 

Para o autor “a vida é extremante frágil, mas recomeça, pois é teimosa”. Houve a extinção dos dinossauros, haverá a da nossa espécie e, sucessivamente, novas gerações surgirão em um processo que transcorrerá em escala cósmica, da destruição à renovação.

O gosto por ensinar foi demonstrado na apresentação. Nome referência na Astronomia, Adolfo é engenheiro mecânico e preside, desde 1985, o Grupo de Estudos de Astronomia (GEA), com sede no Planetário. Profere palestras, cursos, sessões de observação do céu astronômico para escolas públicas e comunidades do estado.

Visite: www.gea.org.br

Rosiani Bion de Almeida/Agecom/UFSC

Tags: Adolfo Stotz NetoDACplanetárioUFSC