UFSC é a quinta federal em ranking de universidades do BRICS e economias emergentes

07/12/2015 17:00

Foi divulgado, no dia 3 de dezembro, o ranking BRICS & Emerging Economies 2016, do Times Higer Education (THE), instituto que avalia, a cada ano, as melhores universidades do mundo, segundo as missões fundamentais: Ensino (Teaching), Pesquisa (Research), Transferência de Conhecimento (Knowledge Transfer) e Visão Internacional (International Outlook).

As categorias têm os seguintes pesos: Ensino (30%), considerando-se o ambiente de ensino; Pesquisa (30%), levando-se em conta volume, recursos e reputação; Citações (20%), o impacto da pesquisa; Visão Internacional (10%), que inclui o corpo docente, estudantes e pesquisa; e Recursos Provenientes das Indústrias (10%), transferência de conhecimento.

Foram avaliadas as 200 melhores universidades dos cinco países que compõem o Brics: África do Sul, Brasil, China, Índia e Rússia, e 30 países considerados economias emergentes (Advanced Emerging, Secondary Emerging ou Frontier), segundo o FSTE.

O Brasil tem 14 universidades classificadas entre as 200 melhores do BRICS & Economias Emergentes: sete privadas e estaduais, e sete federais. Entre as federais, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) ficou em quinto na classificação geral e obteve as seguintes posições: segunda em Transferência de Conhecimento (empatada com a UFRJ); terceira em Visão Internacional; quarta em Citações e quinta em Ensino e Pesquisa.

THE explica a categoria Transferência de Conhecimento como sendo a capacidade de ajudar a indústria com inovações, invenções e consultoria, o que se tornou missão fundamental da universidade global contemporânea. Essa categoria procura traduzir a transferência de conhecimento analisando quanto em recursos de pesquisa uma instituição recebe da indústria (em conformidade com as parcerias público-privadas), em proporção ao corpo docente empregado. A categoria aponta quanto as empresas estão dispostas a investir em pesquisa e a capacidade da universidade de atrair investimentos no mercado comercial – indicadores valiosos da qualidade institucional.

14 universidades brasileiras entre as 200 melhores

As sete universidades estaduais e privadas são: Universidade de São Paulo (USP), 9ª posição (única brasileira entre as dez primeiras); Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), 24ª; Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC- RJ), 43ª; Universidade Estadual Paulista (Unesp), 122ª; Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), 125ª; Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), 168ª; e Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), 197ª. As sete federais: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), 89ª; Universidade Federal de Viçosa (UFV), 102ª; Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), 118ª; Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), 130ª; Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), 148ª; Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), 167ª; e Universidade Federal de Lavras (UFLA), 185ª.

As cinco melhores universidades do ranking

As universidades de Pequim e Tsinghua (China), foram, respectivamente, a primeira e a segunda colocadas no ranking THE. A seguir vêm as universidades Lomosonov Moscow State (Rússia), Cape Town (África do Sul) e National Taiwan (Taiwan).

Alita Diana/Jornalista da Agecom/DGC/UFSC

Revisão: Claudio Borrelli/Revisor de Textos da Agecom/DGC/UFSC

Tags: Brics & emerging economies 2016rankingTHETimes Higher EducationUFSCuniversidades