UFSC inaugura bloco didático-pedagógico para curso de Medicina em Florianópolis

29/09/2014 12:48

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) entregou à comunidade universitária o novo bloco E-3 do Centro de Ciências da Saúde (CCS), anexo ao Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago (HU/UFSC). O espaço é esperado há mais de cinco décadas para acomodar o crescimento do curso de Medicina da Universidade. O prédio de cinco pavimentos tem área total de 3.457,40 m² e seus andares são conectados diretamente ao Hospital. A obra foi financiada com recursos do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni).

Solenidade de inauguração do bloco didático-pedagógico para o curso de Medicina realizada no dia 26 de setembro de 2014. Foto: Wagner Behr / Agecom / UFSC

Inauguração do bloco didático-pedagógico para o curso de Medicina. Foto: Wagner Behr / Agecom / UFSC

A solenidade de inauguração aconteceu na última sexta-feira, dia 26, e contou com a presença da reitora Roselane Neckel e da vice-reitora Lúcia Helena Martins Pacheco; do diretor do HU, Carlos Alberto Justo da Silva; do diretor do CCS, Sérgio Freitas; do coordenador do curso de Medicina, Carlos Eduardo Andrade Pinheiro; do vice-presidente do Centro Acadêmico de Medicina, Alexandre Remor, além de diretores, pró-reitores, docentes, estudantes e técnico-administrativos em Educação.

“Esta é a realização de um sonho de 50 anos. Temos um longo caminho pela frente para que o HU chegue àquilo que foi idealizado em 1960, mas fico contente não por aquilo que está faltando, mas porque hoje conseguimos dar mais um passo adiante”, declarou o diretor do HU, Carlos Alberto Justo da Silva, o Paraná. O diretor ressaltou que o curso de Medicina foi um dos primeiros cursos da UFSC e, desde então, aguarda uma ampliação significativa como a construção dessa estrutura. “Agora, 50 anos depois da mudança do curso de Medicina do centro da cidade para o bairro da Trindade, podemos dizer que temos um espaço didático próprio que se estabelece como parte daquilo que planejamos quando iniciamos nesta Universidade”, lembrou.

A reitora Roselane Neckel destacou as obras em andamento pelo campus e nos diferentes centros de ensino e agradeceu às equipes pelo empenho na realização dessas construções. “É uma felicidade ver concretizada essa obra. É importante salientar que há muito ainda para fazer. Temos um compromisso muito sério não apenas com o CCS, mas com toda a UFSC. Quando pensamos nos próximos passos para a UFSC, com certeza pensamos em novos prédios, novas estruturas laboratoriais, em todo um processo de valorização,” salientou.

A administração do bloco está sob a responsabilidade do curso de Medicina, do HU e do CCS. Foram construídas nove salas de aula (algumas delas contando com divisórias móveis, que podem permitir uma ampliação das salas conforme a necessidade), salas de reunião, um Laboratório de Habilidades Clínicas e um Laboratório de Habilidades de Comunicação, um auditório, vestiários, sanitários, dois elevadores, entre outras dependências.

O Laboratório de Habilidades de Comunicação não estava no projeto original e foi acrescentado por sugestão da professora do Departamento de Pediatria, Suely Grosseman. Trata-se de uma estrutura inovadora, com seis salas que simulam consultórios e contam com espelhos unidirecionais, para que o professor possa avaliar a performance do aluno durante o atendimento ao paciente.  “É uma grande oportunidade de modernizar o curso de Medicina, dando estrutura de ensino e pedagógica que não existiam anteriormente, com novos laboratórios de prática que simulam ambientes reais de consultas e têm uma possibilidade de tornar a nossa Medicina mais humanizada. Nessas salas, vão ser observadas não só a capacidade clínica dos nossos alunos, mas a conduta deles. Esse vai ser o grande salto de qualidade, formar médicos mais sensíveis ao sofrimento do paciente”, salientou Sérgio Freitas, diretor do CCS.

O coordenador do curso de Medicina, Carlos Eduardo Andrade Pinheiro, agradeceu todos os envolvidos no processo de construção. “Em nenhum momento nenhuma porta foi fechada para nós. É uma honra ver que independente de qualquer situação política, administrativa, todo mundo se coloca à disposição pelo bem comum”, agradeceu Pinheiro. O coordenador disse, ainda, que será necessária uma estrutura mais robusta para o curso, principalmente com mais técnico-administrativos. A reitora Roselane Neckel reconheceu o pleito e afirmou que a Administração Central trabalha na repactuação e redimensionamento de equipes para atender às demandas de pessoal.

Pinheiro ressaltou, ainda, a mudança de paradigma que vem acontecendo na educação médica recente. “Desde 1988, com a Constituição, mudou-se o foco, que era basicamente hospitalar e focado em áreas específicas, para abranger todas as instâncias, com o SUS. As mudanças continuam acontecendo, temos que nos preocupar não só com o conteúdo, mas também com as competências e habilidades, por isso a relevância desse prédio. Estamos caminhando para um modelo semelhante ao modelo canadense de formar alunos com o padrão de médico generalista”, salientou o coordenador.

O projeto do prédio foi terceirizado, com supervisão da arquiteta Ana Maria Soster Bortolotto, do Departamento de Projetos de Arquitetura e Engenharia (DPAE), teve sua licitação efetuada pelo Departamento de Licitações (DPL), e a engenheira civil Maria Helena Giacomazzi, do Departamento de Fiscalização de Obras (DFO), acompanhou a construção. A obra foi iniciada em novembro de 2011 e entregue em dezembro do ano passado para que fossem instalados equipamentos e mobiliário. As atividades de ensino no espaço começaram no segundo semestre de 2014, para alunos cursando Medicina a partir da terceira fase.

Planejada com um valor estimado em R$ 7.556.287,18, a construção custou R$ 6.890.307,85, o que gerou uma economicidade de R$ 665.979,33. O diretor do DFO, Rodrigo Bossle Fagundes, esclarece que a economicidade de cerca de 8,81% do valor estimado pela UFSC na fase de licitação deve-se ao desconto dado pela empresa vencedora do certame.

“O orçamento básico é feito com base no SINAPI [Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil], mas a empresa concedeu 17,7% de desconto. É interessante porque sempre se tem a ideia de que, como a maioria das obras tem aditivos, a construção sai mais cara que o que foi planejado. Neste caso, com os descontos e mesmo com benfeitorias que não estavam previstas, ficamos abaixo do valor estimado”, complementa Fagundes.

A reitora Roselane Neckel destacou os esforços das equipes no atendimento às necessidades de infraestrutura na UFSC. “Os sonhos só se concretizam com muito trabalho. Estamos aqui graças ao trabalho persistente de todos os presentes”, salientou. “Muito mais, tenho certeza, precisamos fazer. São muitos os projetos em andamento e, assim que estiverem concluídos, teremos outros. O DPAE já tem uma lista com mais de 50 projetos a serem executados”, concluiu.

Mayra Cajueiro Warren

Jornalista / Diretoria-Geral de Comunicação

Tags: blocoCCSDFODPAEDPLHUinauguraçãomedicinareitorareuni