UFSC reúne pró-reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis de diversas regiões do País

06/11/2013 15:38

Debate durante o Fonaprace, realizado na UFSC, que aborda temas relacionados à Política Nacional de Assistência Estudantil. Fotos: Wagner Behr / Agecom / UFSC

O Fórum Nacional de Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (Fonaprace) é realizado há 26 anos e debate temas relacionados à Política Nacional de Assistência Estudantil, com o objetivo de melhorar as condições de permanência dos estudantes e proporcionar educação de qualidade nas universidades. A 54ª edição do evento teve início na manhã desta quarta-feira, 6 de novembro, no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis.

As reitoras Roselane Neckel e Lúcia Helena Pacheco, o pró-reitor de Assuntos Estudantis, Lauro Mattei, o coordenador do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFSC, Isaac Kofi Medeiros, o coordenador nacional do Fonaprace, Ronaldo Crispim Sena Barros, o diretor de Políticas e Programas de Graduação da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação (MEC), Dilvo Ristoff, e o representante da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Catarinense dos Estudantes (UCE), Yuri Becker, participaram da abertura.

Para a vice-reitora, fazer com que as políticas de permanência e acesso se tornem efetivas é um desafio. “É preciso garantir que os alunos que ingressam na universidade por meio das políticas de inclusão tenham condições de continuar os cursos, para que sejam excelentes profissionais inseridos no mercado e façam parte da distribuição de renda da nossa sociedade”, afirmou.

A reitora Roselane considera a Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012, conhecida como Lei de Cotas, uma das mais importantes deliberadas no país nos últimos anos. Segundo ela, é fundamental desenvolver um planejamento que considere a legislação para que a permanência dos estudantes aconteça. “Uma universidade não deve atingir apenas um grupo social, mas todos. No entanto, essa democratização só vai se concretizar se tivermos estrutura administrativa para sustentar a permanência. Caso contrário, teremos alto índice de evasão”, avaliou.

A falta de pessoal é um fator que dificulta a criação de condições para permanência dos estudantes. “Percebemos a necessidade de um estudo cuidadoso a ser feito pelo MEC para reavaliarmos a questão dos técnico-administrativos em educação. Hoje não temos a quantidade necessária para dar conta da complexidade que envolve as universidades. Um levantamento feito pela Pró-Reitoria de Graduação aponta um deficit de 630 professores e 650 TAEs”, disse Roselane Neckel.

Plano Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes), ações afirmativas e a nova modalidade de Bolsa Permanência serão temas debatidos durante os três dias de encontro. Mesas redondas e Grupos de Trabalho (GTs) de Esportes, Saúde, Restaurantes Universitários (RUs), Acessibilidade, Recursos Humanos, Política Nacional de Assistência Estudantil e Gestores estão entre as atividades previstas. No último dia, será realizada a eleição dos coordenadores regionais e da coordenação nacional do Fonaprace.

Representantes de instituições de ensino de diversas regiões do país participam do evento, que segue até a próxima sexta-feira (8). O Fórum integra a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e é um interlocutor junto ao Governo Federal.

Bruna Bertoldi Gonçalves/Assessoria de Imprensa do Gabinete da Reitoria/UFSC
(48) 3721-4558 /

Tags: FonapraceGRPRAEUFSC