UFSC promove workshop sobre pesquisa em Biossegurança de Organismos Geneticamente Modificados

13/11/2013 08:49

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o GenØk – Centro de Biossegurança, vinculado à Universidade de Tromsø, Noruega, criaram em 2009 um programa colaborativo de pesquisas nas áreas de Biodiversidade e Biossegurança, e promovem, juntos, de 11 a 14 de novembro, no Recanto Champagnat, em Florianópolis, um workshop para definir as atividades futuras.

No último dia do evento – 14 de novembro  – e como resultado do workshop, será lançado, na UFSC, o “Hub América Latina”. A palavra inglesa hub pode ser entendida como o cubo de uma roda, e representa a ideia de um ponto central de uma rede (a roda) interconectada por diferentes meios de conexão e cooperação (os raios), em uma estrutura dinâmica, que atua e se desenvolve em direção a um objetivo comum. Assim, pretende-se organizar uma rede de investigadores, no Brasil e outros países da América Latina. Além disso, a forma de realizar pesquisas conjuntas com outros dois hubs que estão sendo criados pelo GenØk (um na África do Sul e outro na Indonésia)será também a analisada.

Essa reunião de trabalho, em Florianópolis, visa resumir os quatro anos de atividades já realizadas, avaliar o estado atual do hub latino-americano,  elaborar metas comuns entre a UFSC e o GenØk, além de estudar processos de parceria com outras instituições, priorizando trabalhos e estabelecendo planos de implementação para os próximos cinco anos. Estarão presentes pesquisadores noruegueses, argentinos, uruguaios, brasileiros e estudantes de vários programas de pós-graduação da UFSC, além de técnicos e pesquisadores de agências estaduais e federais vinculados à agropecuária.

Essa iniciativa irá contribuir para a capacitação técnico-científica, melhoria da gestão e conservação da biodiversidade e avaliação de biorriscos decorrentes do uso das biotecnologias modernas, como por exemplo, a tecnologia do DNA recombinante e organismos geneticamente modificados (OGMs). O Brasil é um país-chave para a biodiversidade global e vem cultivando e comercializando OGMs em grande escala, incluindo os de áreas onde a floresta é convertida em terra agrícola. A iniciativa irá contribuir para o desenvolvimento de profissionais competentes e com formação específica para os problemas brasileiros.

Mais informações com Rubens Onofre Nodari, pelos telefones (48) 3721-5332 e 9980-2042 (e-mail: ); ou com Sarah Zanon Agapito Tenfen, pelos telefones (48) 3721-5329 e 8823-7793 (e-mail: ).

Histórico

O Memorando de Entendimento (de agora em diante referido como “MoU”) entre a UFSC e o GenØk – Center of Biosafety, prevê como principal objetivo promover a pesquisa em biossegurança, de forma cooperativa entre as partes, nas seguintes atividades: a) desenvolvimento e implementação de projetos conjuntos de pesquisa em biossegurança; b) formação e treinamento recíprocos de cientistas em nível de mestrado e doutorado; c) intercâmbio de cientistas e profissionais entre GENØK, Centro de Ciências Agrárias e outros institutos, no âmbito da rede de gateways criada pelo GenØk.

As atividades foram iniciadas logo após a assinatura deste MoU, em 2009. Em 2010 – com apoio do Fredskorpset (FK) –,  Daniel Ferreira Holderbaum, estudante de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais (PPGRGV), teve a oportunidade de permanecer um ano em Tromso, Noruega, na sede do GenØk, onde realizou os ensaios experimentais de sua dissertação. Simultaneamente, a doutora Elena Rocca veio como pos-doc no Laboratório de Fisiologia do Desenvolvimento e Genética Vegetal (LFDGV), onde permaneceu por 18 meses.

Ainda em 2010, organizamos aqui na UFSC, com apoio financeiro do GenØk (119 mil dólares americanos) o Curso Regional da América Latina: “Fundamentos holísticos para avaliação e regulamentação da engenharia genética e dos organismos geneticamente modificados” (The Gateways’ Partners’ Latin American Regional Course: Holistic Foundations for Assessment and Regulation of Genetic Engineering and Genetically Modified Organisms), que foi realizado em Florianópolis, de 26 de abril a 1º de maio. Participaram 46 pessoas da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, México, Panamá, Peru e Uruguai.

No ano de 2012, novo intercâmbio foi iniciado, agora envolvendo quatro pessoas pelo período de 18 meses: foram para a Noruega dois estudantes da UFSC e dois vieram da Noruega e permanecem aqui.

Também em 2012, houve a contribuição de R$ 262 mil para o projeto “Capacitação em Biodiversidade e Biorrisco: Cooperação Brasil-Noruega” (Anexo), que está em execução e envolve cinco estudantes de doutorado, dois de mestrado e três de Iniciação Científica sob orientação de quatro docentes do PPGRGV, um do Programa de Pós-graduação em Ecologia e um do Programa de Pós-Graduação em Nutrição.

Neste ano, novos esforços foram feitos para dar continuidade e ampliação aos projetos. Para o projeto “Capacitação em Biodiversidade e Biorrisco: Cooperação Brasil-Noruega”, novos recursos foram obtidos junto à agencia de desenvolvimento da Noruega, NORAD, da ordem de R$ 300.000. Além disso, foi ministrado um novo curso, de 4 a 9 de novembro deste ano, em Florianópolis – nos moldes do realizado em 2010 . O GenØk  apoiou com recursos de R$320.000 e quatro docentes.

The Gateways Institute Program

O GenØk criou o Gateways Institute Program, sendo o GenØk o centro dessa rede. A previsão é a criação de três hubs: um na UFSC, com atuação na América Latina;  um na África do Sul, para atuar nos países africanos; e um na Indonésia, com atuação na Ásia.

A cooperação entre UFSC e GenØk-Centro de Biossegurança foi iniciada em 2009, e está enraizada em um memorando de entendimento assinado por ambas as partes em 2009. Projetos educacionais e de pesquisa em comum foram iniciados nesse mesmo ano, e, desde 2009, já ocorre o intercâmbio de estudantes com financiamento do sistema FK (Fredskorpset). Mais além, a UFSC e o GenØk também trabalham ativamente para o estabelecimento de uma rede regional formal de biossegurança: os “Institutos Gateways”. Tal iniciativa de construção de competência em paralelo também está em andamento na África do Sul (Universidade do Noroeste), o que abre a possibilidade para iniciativas de cooperação tanto Sul-Sul como Sul-Norte no futuro. Isso irá permitir, em particular, a construção de conhecimento com base em estudos comparativos relacionados à biodiversidade, resiliência dos ecossistemas e segurança dos OGMs, sob diferentes condições ambientais e culturais.

Tags: GenØkhubOMGorganismos geneticamente modificadosprograma de pós-graduação em Recursos Genéticos VegetaisRubens Onofre NodariSarah Zanon Agapito-TefenTromsøworkshop