Presidente do Grupo de Estudos de Astronomia participa do Fronteiras do Pensamento 2013

02/10/2013 14:52

O presidente o Grupo de Estudos de Astronomia (GEA) da UFSC, professor Adolfo Stotz, participa do Fronteiras do Pensamento Santa Catarina 2013, evento no qual debaterá com o físico Marcelo Gleiser sobre as origens dos seres e do universo. Sua participação será no dia 9 de outubro na Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), após conferência de Gleiser. O público também poderá interagir no debate enviando perguntas aos intelectuais.

Esta será uma das conferências desta terceira edição do ciclo de altos estudos Fronteiras do Pensamento Santa Catarina, que ocorre de 7 a 9 de outubro, e abordará as temáticas de mobilidade urbana, origens do universo e dos seres, além do comportamento humano na visão da psicanálise. Além de Marcelo Gleiser, o evento traz o economista e ex-prefeito de Bogotá Enrique Peñalosa e o psicanalista Contardo Calligaris para debater dilemas da contemporaneidade. 

Físico Marcelo Gleiser participa da terceira edição do Fronteiras do Pensamento. Foto: divulgação

O tempo total de palestra é de uma hora e meia com espaço aberto ao público para participar com perguntas aos conferencistas. É possível optar por ingressos unitários ou passaporte para os três dias de conferência, a R$100. O Fronteiras do Pensamento é um projeto cultural múltiplo que aposta na liberdade de expressão intelectual e na educação de qualidade como ferramentas para o desenvolvimento. O evento reúne intelectuais renomados, nacionais e internacionais, que possuem abordagens singulares em suas áreas de conhecimento, provocando reflexão sobre tendências e ideias da atualidade.

Mais de 150 conferências do Fronteiras do Pensamento já foram assistidas por milhares de espectadores em diversas cidades brasileiras. Há sete anos em Porto Alegre, além de três em São Paulo, Florianópolis e agora também em Salvador, o evento já contou com a participação de pensadores como o político Mario Vargas Llosa, o escritor Tom Wolfe e o sociólogo Edgar Morin.

Nos palcos da edição catarinense já passaram a oceanógrafa Sylvia Earle, o filósofo Luc Ferry, a jornalista Åsne Seierstad, o escritor Fernando Gabeira, o cineasta Peter Greenaway e o filosofo Michel Onfray.  O Fronteiras do Pensamento Santa Catarina 2013 é uma realização da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Fecomércio, Sesc e Senac apresentam o Fronteiras, e o patrocínio é da Tractebel Energia e Pedra Branca.

Palestrantes

7 de outubro – Enrique Peñalosa

Quem abre o ciclo de palestras é o colombiano Enrique Peñalosa, com o tema “uma cidade mais sustentável”. Como prefeito de Bogotá, entre 1998 e 2001, Peñalosa implantou um sistema de transporte coletivo que hoje é considerado modelo. O ex-prefeito resolveu o problema do trânsito da cidade sem alargar avenidas, mas construindo 350 km de ciclovias e calçadas largas e com a proibição de que os carros estacionassem nas ruas.

A conversa com Peñalosa vem em um momento em que muito se discute o papel do transporte coletivo e da mobilidade urbana no país. Centro das atenções durante as manifestações de julho de 2013, os dois pontos são a especialidades do prefeito que considera o transporte coletivo mais importante que o privado, e segundo o qual carros estacionados na rua seriam um símbolo da falta de democracia e da desigualdade.

Durante seu mandato, Peñalosa desenvolveu grandes projetos como o banco de terras; o distrito dos parques (incluindo a Rede Bogotá de Ciclovias); o distrito de bibliotecas; o Transmilênio (sistema de transporte coletivo), além de construir e reconstruir mais 1.100 parques. Enrique preside atualmente o Institute for Transportation and Development Policy (ITDP), ONG norte-americana que presta assistência técnica no desenvolvimento de meios de transporte sustentáveis na Ásia, África e Américas. Estudou Economia e História na Duke University, na Carolina do Norte (EUA) e fez Doutorado em Administração Pública na Universidade de Paris II, França. Hoje, atua globalmente defendendo cidades sustentáveis tanto ambientalmente quanto socialmente.

8 de outubro – Contardo Calligaris

O psicanalista freudiano Contardo Calligaris é uma das caras marcadas quando o assunto são as complicações psíquicas do povo brasileiro. O psicanalista e escritor se tornou conhecido pela coluna que escreve desde 1999 no caderno Ilustrada, do jornal Folha de S. Paulo, em que analisa temas do cotidiano do Brasil. Nela, escreve sobre política, economia, cultura e comportamento, e sobre relacionamentos amorosos. Seus livros de destaque são Cartas a um jovem terapeuta, Conto do Amor e A mulher de vermelho e branco.

Tornou-se membro da Escola Freudiana de Paris em 1975. Durante esse período, frequentava as apresentações de casos de pacientes feitas por Jacques Lacan, psicanalista cujos estudos estão, hoje, muito em evidência. Calligaris é Doutor em Psicologia Clínica pela Universidade da Provença (França) e professor de Antropologia na Universidade da Califórnia em Berkeley (Estados Unidos), e de Estudos culturais na New School of New York.

9 de outubro – Marcelo Gleiser 

Marcelo Gleiser vem a Florianópolis com o Fronteiras do Pensamento para ministrar palestra sobre “A origem do Universo”. Talvez o personagem científico mais conhecido do Brasil, Gleiser ganhou projeção por sua coluna na Folha de São Paulo, participação no Fantástico e em diversos programas de televisão ao redor do mundo.

Entre os assuntos comentados por Gleiser na atualidade está a sua ideia da simetria imperfeita. A publicação do seu livro “Criação Imperfeita” abre o debate sob uma ótica da estética da imperfeição e das assimetrias. Com isso, o físico demonstra sua preocupação em abandonar a ideia que vem desde a antiguidade de que há uma perfeição por trás das coisas, que, para ele, seria uma contaminação do pensamento religioso sobre o científico.

Na contramão, Gleiser diz que o sentido da vida é a imperfeição, que justifica e valoriza nossa existência. A ideia de Gleiser é que por trás dos processos da natureza, nota-se a importância da imperfeição. Isso porque o que é perfeito não muda. O desequilíbrio é necessário para as coisas acontecerem. Assim a mola propulsora da criatividade da natureza seria o desequilíbrio que vem da imperfeição que existe na natureza.

Um exemplo, segundo Gleiser, é a colisão do asteróide que foi responsável pela extinção dos dinossauros. No momento em que os dinossauros desapareceram, novas condições foram criadas para que os mamíferos se desenvolvessem, e consequentemente os humanos também.

Colunista da Folha de S. Paulo, Gleiser também é autor de “A Dança do Universo” e “O Fim da Terra e do Céu”, ambos vencedores do prêmio Jabuti, e é conhecido por aproximar a física de leitores comuns. Gleiser também atua como professor titular de física e astronomia no Dartmouth College, nos Estados Unidos, e desde 2007, é membro da Academia Brasileira de Filosofia.

Serviço:

O que: Fronteiras do Pensamento.

Quando: 7, 8 e 9 de outubro.

Início das palestras: 20h.

Onde: Auditório da Fiesc (Rod. Admar Gonzaga, 2765 – Itacorubi -Florianópolis – SC).

Quanto: Preço por palestra: Inteira: R$ 40/ meia: R$ 20 – Passaporte para os três dias: R$ 100 – ingressos podem ser adquiridos pela Blueticket. Estudantes, professores e portadores de necessidades especiais têm direito à meia-entrada. Descontos de 50% para clientes do SESC que apresentarem carteirinha e para membros da Associação dos Moradores da Pedra Branca. A meia-entrada pode ser adquirida apenas pelo ponto de venda físico, no quiosque da Blueticket no Beiramar Shopping.

Mais informações:
(48) 4062-0065
Site: http://www.fronteiras.com/
E-mail: 

Tags: Adolfo Stotz NetoFronteiras do PensamentoGEAMarcelo GleiserUFSC