UFSC passa por obras e reparos no segundo semestre

26/09/2013 15:38

Ao percorrer o campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na Trindade, em Florianópolis, é possível observar algumas calçadas sendo revitalizadas, telhados em reforma e prédios novos sendo construídos. Essas obras estão em execução no Centro de Comunicação e Expressão (CCE), no Centro de Ciências Físicas e Matemáticas (CFM) e no Centro Tecnológico (CTC).

Alguns trabalhos devem ser concluídos ainda este ano. Outros, em 2014 e 2015. Os valores dos contratos e o andamento das atividades no CFM e no novo prédio do CCE podem ser acompanhados no site http://dfo.ufsc.br/obras/execucao/trindade/.

Confira o que está sendo feito em cada centro:

Centro de Comunicação e Expressão

Telhado do CCE. Foto: Jair Quint/Agecom/UFSC

Com o objetivo de solucionar infiltrações, aperfeiçoar a estrutura e facilitar a manutenção, em julho começou a ser feito o conserto do telhado das alas norte e sul do Bloco A do CCE. A previsão era que os trabalhos fossem concluídos no final do mês de agosto. No entanto, o reparo se estendeu para a parte anexa ao bloco, nos prédios com apenas um pavimento onde há laboratórios e salas do curso de Jornalismo. Devido à ampliação, a previsão é que os trabalhos sigam até o final de outubro. A empresa Eva Construções venceu a licitação e executa o contrato.

A equipe do Departamento de Manutenção Predial e Infraestrutura (DMPI) da UFSC fiscaliza as atividades. “Os reparos, a substituição do sistema de calhas e a aplicação de tinta na cobertura nesse espaço começaram há cerca de duas semanas. Os meses de setembro e outubro são meses irregulares com relação às chuvas. Em função das condições do tempo, a conclusão dos trabalhos pode levar de dez a trinta dias úteis”, explica o engenheiro de obras do DMPI Hélio Rodak de Quadros Junior.

O Bloco A do CCE é o mais antigo do campus de Florianópolis, com cerca de 17 metros de largura por 130 metros de comprimento. São 2.200 metros quadrados de área coberta. A exposição da cobertura à chuva, ao sol e ao vento provoca desgastes. Em função de rachaduras nas telhas, algumas salas do CCE apresentavam infiltrações. Na primeira etapa do conserto foi feita a substituição geral das telhas de 6 milímetros por telhas onduladas de fibrocimento com espessura de 8 milímetros, que têm maior durabilidade e menor probabilidade de quebra durante a manutenção.

O vice-diretor do CCE, Arnoldo Debatin Neto, afirma que a demanda dos telhados é antiga. “Esse trabalho é de fundamental importância. Temos muitas salas com equipamentos caros e a água da chuva entrava pelos eletrodutos. Esse conserto não é só uma questão de qualidade de ensino, mas também de segurança”, explica.

O CCE está localizado no centro do campus de Florianópolis. Nele, funcionam os cursos de graduação em Secretariado Executivo, Cinema, Libras, Design, Letras, Jornalismo e Artes Cênicas, além de programas de pós-graduação e dos cursos extracurriculares de línguas estrangeiras.

Outro projeto que está em execução é o da construção de salas de aula e laboratórios de ensino para os cursos de Design, Artes Cênicas e Cinema em uma área de 4.611,69 metros quadrados ao lado do CCE. De acordo com o engenheiro civil do Departamento de Fiscalização de Obras (DFO) responsável pela fiscalização da obra, Fernando Cherem Fonseca, apesar das chuvas, o cronograma das obras está em dia. O prédio terá oito pavimentos. A empresa vencedora da licitação é a Salver Construtora e Incorporadora Ltda. A previsão é de que a obra seja concluída em julho de 2015.

“Em março começaram as demolições dos prédios antigos, que eram do CFM. Os trabalhos de terraplanagem iniciaram um pouco depois do previsto em função da necessidade de aguardar a liberação para o corte de árvores. Na sequência, foi feita a parte de fundação. Na última quarta-feira, foram concretadas as paredes do subsolo, onde serão instalados os reservatórios de água. Dentro de vinte dias, será concretada a laje do subsolo e, depois, começam a subir os pilares do segundo pavimento”, explica o fiscal.

Centro de Ciências Físicas e Matemáticas

No final do mês de julho começaram as obras no CFM, que compreendema construção do prédio administrativo e a instalação de um elevador no Bloco 29 do Departamento de Química. O projeto prevê área construída de 3.441,88 metros quadrados, com previsão para conclusão em novembro de 2014. A empresa contratada é a Lima e Silva Engenharia e Construtora Ltda – EPP.

“Primeiramente foi feito o corte de árvores e a implantação de canteiros. O projeto não contemplava, mas foi preciso fazer o desvio de rede telefônica do CFM novo, o desvio de duas redes de fibra ótica e o desvio da tubulação de esgoto sanitário, que passava por de baixo da posição onde está previsto o prédio. Agora estamos da fase de executar a fundação”, explica o diretor de Departamento de Fiscalização de Obras, Rodrigo Bossle Fagundes.

As novas instalações irão abrigar a direção do CFM, as coordenações dos cursos de graduação em Química, Física, Matemática e Meteorologia e algumas coordenações de pós-graduação, setores atualmente alocados nos blocos modulados do centro, construídos na década de 1960. Salas de aula e a coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica também funcionam no local.

O diretor do CFM, Valdir Rosa Correia, avalia que as condições do ambiente não são ideais para trabalhar e estudar. “O lugar é inadequado e insalubre. Quando cheguei à UFSC, em 1978, aquilo era provisório, e ainda vai continuar a funcionar por algum tempo. A notícia das obras alivia um pouco a nossa angústia de melhorar a vida dos alunos e as condições de trabalho dos servidores”, comenta.

Biblioteca setorial, anfiteatro para 150 pessoas, espaço para a empresa júnior e salas de aula estão previstos no projeto desenvolvido pelo Departamento de Projetos de Arquitetura e Engenharia (DPAE) da Universidade. Os recursos são do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), do Governo Federal.

Diminuir as desigualdades entre os vários centros de ensino da Universidade é um dos objetivos da atual gestão, de acordo com a reitora Roselane Neckel. “Entre 2008 e 2011, a UFSC recebeu 138 milhões para o Reuni. Uma grande parte desse capital não foi usada em obras. Em maio de 2012, a atual gestão se deparou com a pendência de 50 mil metros quadrados de projetos de obras a serem construídas. Houve a finalização de projetos de mais de quatro anos em seis meses, incluindo obras para os três cursos Reuni do Centro de Comunicação e Expressão e para os quatro cursos Reuni do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH). Refizemos o orçamento do CFM e estamos trabalhando também para estruturar o campus de Curitibanos”, esclarece.

As reivindicações para melhorias na infraestrutura são antigas, e as obras sinalizam a valorização do trabalho desempenhado pelo centro. “O CFM é um centro com nível de pesquisa de excelência – temos programas de pós-graduação com conceito 7 na Capes – e é um prestador de serviços, porque dá aulas para outros cursos em centros como CTC, CFH e CCS”, comenta o diretor.

Centro Tecnológico

CTC. Foto: Jair Quint/Agecom/UFSC

As calçadas do CTC estão danificadas e não são uniformes. Desde o final de agosto, o DMPI trabalha para recuperar e padronizar essas estruturas. A ideia é manter as calçadas existentes e tornar todos os pontos acessíveis, com rampas. Cada ponto será avaliado individualmente.

“Os trechos piores estão sendo feitos primeiro. Foi concluído o primeiro, com 153 metros quadrados, ao redor do prédio da Engenharia Elétrica. Agora estamos trabalhando no trecho de 762 metros quadrados em frente ao Inep, entre o início da Rua Deputado Antônio Edu Vieira e o início do bloco de ligação. Posteriormente, revitalizaremos as calçadas existentes no percurso do bloco de ligação até a Rua Rodofino Conte, que soma 1.200 metros quadrados”, explica o diretor do DMPI, José Fabris.

De acordo com Sebastião Roberto Soares, diretor do CTC, as calçadas são uma demanda antiga, de mais de dois anos. “Além de melhorar o deslocamento, teremos calçadas acessíveis. Mais do que atender ao CTC, essa obra atende à UFSC, porque faz a ligação do centro com o restante da Universidade. Agora, aguardamos a licitação para a reforma dos banheiros de alguns departamentos específicos”, comenta.

Bruna Bertoldi Gonçalves / Assessoria de Imprensa do Gabinete da Reitoria / UFSC

(48) 3721-9319 /

Tags: CCECFHCFMCTCobrasUFSC