Mahagonny volta ao Teatro da UFSC e tem Sessão Maldita do Festival Isnard Azevedo

13/10/2011 16:34

“Ascensão e queda da cidade de Mahagonny”, peça adaptada da obra do dramaturgo Bertolt Brecht, com direção de Carmen Fossari, volta ao Teatro da UFSC nos dias 13, 14, 15 e 16 de outubro. As apresentações dos dias 13 e 14, na Sessão Maldita, fazem parte da programação do 18º Floripa Teatro – Festival Isnard Azevedo.

A entrada é gratuita, e para os dias 13 e 14 basta o público chegar um pouco antes da hora do espetáculo, quando serão distribuídos os ingressos. Para os dias 15 e 16, os ingressos poderão ser retirados na bilheteria do Teatro a partir de 30 minutos antes da sessão, ou então retirados com antecedência na Secretaria do DAC, na quinta e na sexta-feira, das 9 hàs 13 horas e das 14h às 18 horas.

Criada na metade do século XX, a peça “Ascensão e queda da cidade de Mahagonny” revolucionou e chocou o público teatral da época, acostumado com um teatro “bem comportado”.  Adaptado pela diretoria Carmen Fossari, o espetáculo é interpretado por alunos do curso de Artes Cênicas do Centro de Comunicação e Expressão (CCE) da UFSC, e por alunos da Oficina Permanente de Teatro do DAC.

A peça é ambientada no universo do cinema mudo, trazendo imagens e áudio que resgatam os anos 1930 e 1940. Este cenário realiza um utópico sonho da diretoria Carmen Fossari de ter visto Charles Chaplin e Bertolt sentados em um bar conversando sobre o filme “Tempos Modernos” e a peça “Na Selva das Cidades”. “Brecht, sua dramaturgia e enunciado estão ‘vivos’ em suas ideias, ainda tão necessárias em um mundo dividido em classes sociais”, comenta a diretoria.

Na peça, os personagens constroem uma cidade onde tudo é permitido, desde que se tenha muito ouro. Sem o valioso metal, é impossível sobreviver na cidade de Mahagonny. Com composições de Kurt Weill, o texto original é uma obra de Teatro Musical, “já a nossa encenação trata-se de uma obra de caráter não musical, embora mantida a belíssima composição tema da peça”, explica Carmen.

Elenco:

Ana Paula Lemos – Jenny

Andherson Souza – coro masculino

Antonieta Mercês da Silva – coro

Daniel Lopes Bretas – coro masculino

Fernando Correia – Chaplin

Flora Moritz – Maysa Trindade

Iris Karapostolis – cantora e procuradora

Jacque Kremer – Leokadja Begbick

Jaime Bezerra do Monte – Joseph

Juliana Frandalozo – Um tal Bert Brecht

Laura Gill Petta – coro feminino

Lechuza Kinski – coro feminino

Luis Tinoco – Jackob

Márcia Cattoi – coro feminino

Neivania Theodoro – coro feminino

Roberto Moura – Heidrich

Robson Walkowski – Paul

(Alguns nomes foram trocados para nomes similares em Português. O Procurador e Willy são, nesta encenação, interpretados por mulheres e transformados em personagens femininos. Chaplita e Bert Brecht, são criações para a dramaturgia desta encenação. C.F.)

Técnica:

Figurino e Cenário: o grupo

Operador de som: Neusa Borges

Cartaz: Márcia Cattoi

Fotolito: Michele Millis

Impressão: Imprensa Universitária

Operador de audiovisual: Ivana Fossari

Sonoplastia: Calu

Efeitos técnicos de palco: Gislaine Aparecida Bahls

Mixagem som: Sérgio Bessa

Preparação de canto: Ive Luna

Fotografia: Marcelo Pereira e Calu

Montagem de luz: Luciano Bueno

Iluminação, redigitalização das imagens e direção geral: Carmen Fossari

Floripa Teatro – 18º Festival Isnard Azevedo

Florianópolis recebe entre os dias 8 e 16 de outubro, a 18ª edição do Floripa Teatro – Festival Isnard Azevedo, evento que estimula a troca de experiências e dinamiza a vida cultural da cidade. Aprimorando a cada ano a arte milenar do teatro, com a responsabilidade de quem já percorreu uma longa trajetória desde 1993, o evento pretende transformar o espaço urbano em um grande palco para levar, gratuitamente, ao público de todas as idades, espetáculos em diferentes linguagens.

Trinta e um grupos teatrais de seis estados brasileiros estarão na Capital, levando a magia do teatro a 55 espaços e 40 comunidades na Ilha e região continental. É a maior grade de programação na história do festival, que chega à maioridade em 2011 com bons motivos para comemorar.

Serão nove dias de atividades, entre espetáculos, oficinas, intervenções artísticas, lançamento de livro e trocas de boas energias e experiências entre atores, técnicos, produtores, diretores e o público. Confira mais sobre o Festival no site: http://www.floripateatro.com.br

SERVIÇO:

O QUÊ: Apresentação do espetáculo “Ascensão e queda da cidade de Mahagonny”

QUANDO: Dias 13 (quinta) e 14 (sexta) de outubro de 2011, na Sessão Maldita, às 23 horas, e dias 15 (sábado) e 16 (domingo), às 20 horas.

ONDE: Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha, praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis-SC.

QUANTO: Entrada gratuita. (Ingressos: dias 13 e 14, pouco antes da hora da sessão; dias 15 e 16, 30 minutos antes do espetáculo ou com antecedência na Secretaria do DAC, que funciona no mesmo prédio do Teatro.)

CONTATO: Teatro da UFSC – Departamento Artístico Cultural (DAC): 3721-9348 e 3721-9447.

PROMOÇÃO: DAC / SeCArte / UFSC e FESTIVAL ISNARD AZEVEDO / FCFFC – PMF

O Teatro da UFSC faz parte do Departamento Artístico Cultural, da Secretaria de Cultura e Arte, da Universidade Federal de Santa Catarina – visite www.dac.ufsc.br

Fonte: Rafael Gomes – Acadêmico de Jornalismo, Assessoria de Imprensa do Departamento Artístico Cultural (DAC): SECARTE: UFSC

www.dac.ufsc.br

Tags: FossariMahagonnyteatro