Artigo do DCE avalia o UFSCtock como prova de respeito à diversidade

04/06/2009 10:43

Após mais de 20 horas de festival, com muita música, lama e diversão, tudo o que um bom festival de rock tem direito, anunciamos orgulhosamente que o evento foi um grande sucesso. Todos os envolvidos – organizadores, músicos e público – deram um show de cidadania e coletividade. Não houve um único caso de violência ou vandalismo, todas as diferentes tribos do rock curtiram juntas, demonstrando um louvável respeito à diversidade e provando que o jovem de hoje não é um delinqüente como algumas pessoas fazem questão de difamar, mas sim um sujeito sedento por cultura, que sente falta de oportunidades para concretizar a sua energia criativa.

Juventude politizada sim! A proposta do evento vem na contramão das políticas de arte e cultura praticadas atualmente no país, onde quem tem dinheiro tem acesso mais amplo à espetáculos, peças teatrais, museus, livros, cinemas etc. O sistema atual de fomento à cultura acaba favorecendo um padrão cultural que não valoriza o cenário fervilhante da arte popular, da arte jovem e da arte urbana. Assim, buscou-se incentivar principalmente a arte e a cultura local, compreendendo que o fazer artístico, e não somente o seu mero consumo, aumenta a visibilidade do jovem sobre os valores e questões de seu tempo.

As bandas foram as verdadeiras estrelas do evento. Todas elas com músicas próprias de excelente qualidade e com uma energia de palco que poucos artistas profissionais demonstram em seus shows plastificados. Foi emocionante poder reunir todas elas e proporcionar o contato entre bandas e público. Florianópolis está muito atrás das outras capitais da região Sul no que se refere ao incentivo à cultura, e este déficit se intensifica quando se trata de apoio aos artistas independentes e políticas de cultura para um público que não se satisfaz com a arte pasteurizada da cultura de massa. Temos em nossa cidade uma escassez de espaços para a criação e exposição de trabalhos artísticos; as casas de shows têm uma política de elitizar seu público; os espaços públicos são mal aproveitados; e além das nossas belas praias nada temos para oferecer aos turistas que aqui aportam.

Esperamos que seja motivo de orgulho para toda a cidade presenciar um acontecimento como este, no qual os jovens se articulam entre si e tomam a iniciativa para criar o seu próprio espaço de cultura, diversão e política. Gostaríamos de provar, com o UFSCtock, que é possível organizar-se coletivamente com o objetivo de desenvolver projetos sociais e viabilizar a realização de nossos sonhos e a afirmação de nossas ideologias.

Gabriel Bueno – Coordenação de Arte e Cultura – DCE Luis Travassos – UFSC