Palestra gratuita: “Fatores de risco para doenças cardiovasculares”

30/09/2011 09:58

O Núcleo de Prevenção para Doenças Cardiovasculares da UFSC promove, no dia 7 de outubro, a palestra “Fatores de risco para doenças cardiovasculares”, ministrada pelas professoras Geny Aparecida Cantos e Liliete Canes Souza.

O evento é gratuito e será realizado às 8h30, no auditório do Hospital Universitário (HU).

Informações: , (48) 3721-9712, ramal 221 ou 9101-4927.

Boletim de Direito Autoral do GEDAI – setembro/2011

30/09/2011 09:39

A edição do boletim do GEDAI de setembro/2011 tem como temática central o desenvolvimento de programas de computador e suas diversas formas de licenciamento, numa abordagem voltada para o uso e o desenvolvimento do software livre pela administração pública.

Em destaque, o II Encontro PROCAD de Inclusão Tecnológica, com vistas à implantação de Políticas Públicas de software nas Universidades, que ocorrerá na UFSC, no dia 10 de outubro.

O boletim traz também um panorama nacional e internacional sobre os recentes debates sobre Propriedade Intelectual, na Europa, com o novo marco regulatório sobre a Digitalização de Obras Esgotadas do IFRRO, e no Brasil, o novo alvo de debates sobre doenças não transmissíveis.

Além disso, eventos relacionados à propriedade intelectual e jurisprudência atual, a divulgação do V Congresso de Direito de Autor e Interesse Público, que será nos dias 31 de outubro e 1º de novembro, em Florianópolis.

O boletim se complementa de forma interativa com o seu site: http://www.direitoautoral.ufsc.br.

O Boletim do GEDAI é o veículo de divulgação de pesquisas na área do Direito Autoral e da Sociedade da Informação. Contribuições podem ser enviadas pelo e-mail .

Outras informações: www.direitoautoral.ufsc.br, (48) 3721-6746 ou .

LASTRO integra Associação Internacional para o Estudo das Greves e dos Conflitos Sociais

30/09/2011 09:23

A partir deste mês, o Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO) da UFSC passa a integrar a Associação Internacional para o Estudo das Greves e dos Conflitos Sociais, entidade fundada durante a Conferência Internacional Greves e Conflitos Sociais no Século XX, realizada entre 16 e 20 de março de 2011, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. O laboratório é vinculado ao Departamento de Sociologia e Ciência Política do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), sob a coordenação do professor Fernando Ponte de Sousa.

Organizada, coordenada e financiada conjuntamente pelo Instituto de História Contemporânea (Universidade Nova de Lisboa/Portugal), Instituto Internacional de História Social (Amsterdã/Holanda), Arquivo Edgard Leuenroth (Unicamp/Brasil), Centro de Estudos do Franquismo e da Democracia (Universidade Autónoma de Barcelona/Espanha) e pela Maison des Sciences de L’Homme (Dijon/França), a conferência representou, em nível científico, um retorno aos estudos do trabalho em nível internacional, em particular da conflitualidade social, tema que atraiu cerca de 250 propostas de comunicação, das quais 170 foram selecionadas, dentre elas a do técnico e pesquisador do LASTRO, José Carlos Mendonça, intitulada “Organização política e consciência de classe no pensamento do jovem Trotsky”.

A significativa participação de brasileiros, portugueses, espanhóis, franceses e outros pesquisadores do Mediterrâneo e da América Latina demonstrou que o principal objetivo da conferência foi expandir os estudos e pesquisas da história global do trabalho e dos conflitos sociais ao mundo latino. Para organizar e dar continuidade a tais avanços e objetivos, foi aprovada a criação da Associação e de uma revista internacional com arbitragem científica dedicada ao mesmo tema, em reunião plenária do comitê científico. Para fortalecer o diálogo entre estudiosos do norte e do sul, a revista será publicada em inglês, mas aceitará submissões de artigos também em francês, português, espanhol e italiano.

A Associação Internacional para o Estudo das Greves e dos Conflitos Sociais englobará estudos de amplo âmbito, acolhendo trabalhos sobre todas as dimensões do mundo do trabalho e dos conflitos sociais, sem limite cronológico. Contará com uma página na internet que servirá de depositário de informações relativas aos estudos realizados, divulgação de bases de dados, e será ainda responsável pela elaboração e circulação de um boletim informativo para pesquisadores e associados. Por meio do pagamento de uma anuidade, será possível assegurar as despesas da Associação tais como a edição da revista acadêmica internacional e a preparação das conferências internacionais bianuais.

De filiação exclusivamente institucional, constam como sócios fundadores: o Instituto Internacional de História Social (Holanda), Maison des Sciences de l’Homme (França), Instituto de História Contemporânea (Portugal), Arquivo Edgard Leuenroth (Brasil), Centre d’Estudis sobre les Èpoques Franquista i Democràtica (Espanha), Institute of Working Class History (USA), Red de Archivos Históricos de CCOO (Espanha), Amsab-Instituut voor Sociale Geschiedenis (Bélgica), Arbetarrörelsens arkiv och bibliotek (Suécia), Rosa Luxemburg Foundation (Alemanha), Department Political Science. University Panteion (Grécia), Labor Studies Program. Indiana University Kokomo (USA), Fundación Investigaciones Marxistas (Espanha), Friedrich Ebert Foundation (Alemanha), Universidade Popular do Porto (Portugal) e Grupo de Pesquisa Mundos do Trabalho UFF (Brasil).

Outras informações pelo e-mail , pelo site http://lastro.ufsc.br/ ou pelo telefone (48) 3721-9250, ramal 35.

Falece Luiz Felipe Gama d’Eça

29/09/2011 16:57

Faleceu ontem, dia 29, em Florianópolis o arquiteto e professor aposentado da UFSC Luiz Felipe Gama d’Eça, um dos pioneiros da arquitetura e do planejamento urbano em Santa Catarina. Seu sepultamento ocorreu às 16 horas, no Cemitério São Francisco de Assis, em Itacorubi.

Filho do escritor, professor e jurista Othon Gama d’Eça e neto de Barão do Batovi, herói da Guerra do Paraguai assassinado na Ilha de Anhatomirim pelo coronel Moreira Cesar no final do século passado, Luiz Felipe teve ativa participação no primeiro Plano Diretor da Capital, aprovado em 1976.  O de 1955, primeiro, foi comprado de um escritório fora do Estado.

Gama d’Eça sonhou com uma Florianópolis bem planejada. Integrou o Esplan – Escritório Técnico de Planejamento – durante o governo do prefeito Acácio Santiago. Previa uma cidade mais humana, mais ordenada, a preservação do centro histórico e seu crescimento espalhado na região do Campeche, sul da Ilha.

Fonte: Jornalista Moacir Pereira – 29 de setembro de 2011 – http://wp.clicrbs.com.br/moacirpereira/2011/09/29/a-morte-de-luiz-felipe-gama-deca/?topo=67,2,18,,,67

Projeto pretende transformar estádios da Copa do Mundo em usinas de energia

29/09/2011 15:59

O professor Ricardo Rüther, do Laboratório de Energia Solar da UFSC, coordena o projeto Estádios Solares, que pretende transformar alguns dos estádios que receberão os jogos da Copa em pequenas usinas de energia. É uma forma de aproveitar a Copa do Mundo de 2014 para produzir energia elétrica a partir de uma fonte renovável e abundante: o sol.

A Agência Ciência em Pauta, do Curso de Jornalismo, elaborou um especial sobre este projeto desenvolvido na UFSC. Confira aqui.

Professor de Antropologia da UFSC recebeu o prêmio Eurostars de Narrativa de Viagens

29/09/2011 13:37

Oscar Calavia Sáez, (http://lattes.cnpq.br/6700469635569682) professor do Departamento de Antropologia da UFSC, recebeu, dia 15 de setembro na cidade de Barcelona, o VII Premio Eurostars de Narrativa de Viagens, outorgado pela Universidade de Barcelona, a editora RBA e a empresa hoteleira Hotusa. O prêmio, de âmbito internacional, busca fomentar a literatura de viagens em língua espanhola. A obra premiada será editada para venda em livrarias e, numa tiragem privada, como brinde para os clientes da cadeia hoteleira. A Universidade de Barcelona estuda a possibilidade de publicação em língua catalã. “De un extremo al otro: Amazonia-China” (titulo provisório da obra) é o relato de duas viagens do seu autor, a primeira delas feita durante as suas pesquisas de doutorado, e a segunda uma viagem turística mais recente. Em ambas procura-se o reverso dessas imagens que, desde há séculos, a Amazonia e a China sugerem ao Ocidente: a de uma natureza virgem e sem história, a de um império imutável e sem fissuras.

(mais…)

Inscrições para pós-graduações

29/09/2011 12:16

Mestrado e Doutorado em Ciências Políticas até 21 de outubro

Mestrado em Agroecossistemas: até 14 de outubro

Mestrado e Doutorado em História: até 7 de outubro

Mestrado em Contabilidade: até 7 de outubro

Mestrado e Doutorado em Letras/Inglês e Literatura Correspondente: até 28 de outubro

Mestrado e Doutorado em Serviço Social: até 31 de outubro

Mestrado e Doutorado em Engenharia Mecânica: 1º de outubro a 30 de novembro

Mestrado e Doutorado em Recursos Genéticos Vegetais: 3 a 29 de outubro

Mestrado em Matemática e Computação Científica: até 17 de outubro

Mestrado e Doutorado em Antropologia Social: 13 a 31 de outubro

Mestrado em Biologia Vegetal: até 31 de outubro

Mestrado e Doutorado em Biotecnologia: até 31 de outubro

Mestrado e Doutorado em Ciência dos Alimentos: até 7 de novembro

Mestrado em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade: até 21 de novembro

Mestrado em Engenharia Elétrica: até 30 de novembro

Mestrado em Farmacologia: inscrições previstas para a primeira e segunda semana de dezembro

Doutorado em Farmacologia: “janelas” de entrada em setembro e dezembro

Doutorado em Engenharia Elétrica: fluxo contínuo

Doutorado em Ciência e Engenharia de Materiais: fluxo contínuo (ingresso no início de cada trimestre)

Doutorado em Engenharia Civil: fluxo contínuo (avaliação feita 15 dias antes do início de cada trimestre)

Doutorado em Aquicultura: fluxo contínuo (ingresso no início de cada trimestre)

O Fim das Névoas Sinistras?

29/09/2011 11:32

Para interessados na divulgação da ciência, o professor Faruk Nome, do Departamento de Química da UFSC, coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Catálise em Sistemas Moleculares e Nanoestruturados, informa sobre novos ensaios publicados no site Ciência para Todos.

– O Fim das Névoas Sinistras?
por Haidi Fiedler, INCT-Catálise, Depto. de Química, UFSC, Brasil

– Célula e luz
por Haidi Fiedler, INCT-Catálise, Depto. de Química, UFSC, Brasil

– Alergias: la ciencia detrás de los estornudos
por Fredric M. Menger, Emory University, USA, Traducción por Elsa Abuin, Universidad de Santiago de Chile, Chile

Normas da ABNT para elaboração de trabalhos científicos

29/09/2011 08:55

Será realizada na próxima terça-feira,  4 de outubro, a partir de 18h30min, no auditório do Teixeirão, uma apresentação por parte de especialistas da Biblioteca Universitária sobre as principais normas da ABNT para elaboração de trabalhos científicos (TCCs, em particular).

A capacitação é especialmente direcionada a estudantes de Sistemas de Informação e Ciências da Computação, mas podem também participar alunos interessados em conhecer melhor as normas sobre como fazer citações e referências em trabalhos científicos, aos interessados em saber como explorar melhor os recursos do Portal CAPES e outras fontes de informações e ferramentas para pesquisas acadêmicas.

A capacitação está sendo organizada pelo professor Renato Cislaghi, do Departamento de Informática e de Estatística da UFSC, sendo ministrado por Maria Bernadete M. Alves, especialista da Biblioteca Universitária.
Informações:

Serviço:
Data: 4 de outubro, terça-feira da próxima semana
Início:  18h30min
Duração: cerca de 2 horas
Local: Auditório Teixerão – CTC

Novo site para formaturas

29/09/2011 08:31

O site das formaturas da UFSC está de endereço novo, de cara nova e mais completo. Estão disponibilizadas informações relevantes para as coordenadorias de curso e para os formandos, como o calendário das colações de grau, o dia e a hora da entrega de becas, o vídeo-ensaio da formatura e diversos formulários a serem preenchidos por esses públicos para a viabilização das colações de grau. Além disso, há uma lista de empresas e profissionais de foto e filmagem regularmente cadastrados no Setor de Formaturas da UFSC.

Desde o início de  2004 todos os cursos realizam suas solenidades de outorga de grau no Auditório Garapuvu, no Centro de Cultura e Eventos. Estas cerimônias são organizadas pelo Departamento de Cultura e Eventos, em conjunto com as coordenadorias de cada curso.

A UFSC oferece toda a infraestrutura, as becas e os capelos, a decoração interna do auditório, a iluminação e o som. As formaturas são também transmitidas via internet e o material é disponibilizado aos interessados.

UFSC convida escolas a programarem visitas a seu “circo da ciência”

29/09/2011 08:20

A Universidade Federal de Santa Catarina convida escolas para programarem com suas turmas visitas à décima Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (Sepex). O evento será realizado de 19 a 22 de outubro, em frente à Reitoria, no campus da Trindade, em Florianópolis. A Sepex é uma mostra de centenas de projetos nas áreas de educação, saúde, cultura, tecnologia, comunicação, meio ambiente, trabalho e direitos humanos.

O “circo da ciência” da UFSC é montado com uma estrutura de quase cinco mil metros quadrados. É um dos principais eventos de popularização de ciência e tecnologia em Santa Catarina, oferecendo também dezenas de minicursos gratuitos, palestras e atividades artísticas. O encontro é integrado à Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, promovida pelo Ministério da Ciência e Tecnologia. Programe-se para visitar a mostra de projetos nos estandes interativos e para participar também das palestras e atividades paralelas.

Não há necesisdade de agendamento para visitas à Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC, mas as escolas podem ser recebidas e orientadas na Sepex. Neste caso, o contato deve ser feito pelo e-mail

Visitação aos estandes interativos em frente à Reitoria:
De quarta a sexta-feira: 9h às 19h
Sábado: 9h às 13h

Acompanhe a programação:

Palestras

20 de outubro / 18h30min / Auditório da Reitoria
– Mudanças climáticas, desastres naturais e prevenção de riscos / Convidado: Carlos Nobre, Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério de Ciência e Tecnologia.

21 de outubro / 9h / Auditório da Reitoria
– Ano Internacional da Química / Faruk José Nome Aguilera, coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Catálise em Sistemas Moleculares e Nanoestruturados, com sede no Departamento de Química da UFSC.

21 de outubro / 14h30min / Auditório Garapuvu, Centro de Cultura e Eventos
– Desafios da Longevidade / Wilson Jacob Filho, coordenador do Serviço de Geriatria da Faculdade de Medicina da USP.

21 de outubro / 17h / Auditório da Reitoria
–  Contribuições do Naturalista Fritz Müller para a Ciência / Luiz Fontes, Margherita Barracco e Cezar Zillig

Eventos paralelos:
– 21° Seminário de Iniciação Científica (19, 20 e 21 de outubro, manhã e tarde, Centro de Cultura e Eventos)
– Café Científico (19 de outubro, 14h, Centro de Cultura e Eventos)
– Entrega do Prêmio Destaque Pesquisador UFSC 2011 (19 de outubro, 19h, Auditório Garapuvu, Centro de Cultura e Eventos)
– Workshop Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Previsão de Risco (20 de outubro, 9 às 18h, Auditório da Reitoria)
– 6ª Feira Estadual de Ciências e Tecnologia

Jornalista Celso Vicenzi fala de livros no Círculo de Leitura

29/09/2011 08:08

O encontro com Celso Vicenzi será realizado nesta quinta-feira, dia 29, às 18h, na Sala Harry Laus da Biblioteca Universitária

O jornalista Celso Vicenzi é o convidado da edição de setembro do Círculo de Leitura de Florianópolis, marcada para quinta-feira, dia 29, às 18h, na Sala Harry Laus da Biblioteca Universitária da UFSC. Ali, ele falará de suas leituras, de sua relação com os livros, da profissão e dos novos suportes e tecnologias que trazem o conhecimento para as novas gerações.

Ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina, Celso ganhou o Prêmio Esso Nacional de Ciência e Tecnologia e teve atuação em rádio, TV, jornal, revista e assessoria de imprensa. Lançou em 2010 o livro “Gol é orgasmo”, com ilustrações de Paulo Caruso, pela editora Unisul. No momento assessora uma cooperativa de crédito (Sicoob) e um sindicato de trabalhadores (Sintrafesc), publica artigos em vários sites e escreve humor no Jornal de Barreiros e no twitter @celso_vicenzi.

Criado pelo poeta Alcides Buss, o Círculo de Leitura é um projeto que permite ao convidado e aos presentes discutirem informalmente sobre os livros que estejam lendo, as leituras do passado e as influências de outros autores sobre o seu trabalho. Escritores e jornalistas como Salim Miguel, Oldemar Olsen Jr., Fábio Brüggemann, Inês Mafra, Mário Pereira, Maicon Tenfen, Cleber Teixeira, Dennis Radünz, Rubens da Cunha, Renato Tapado, Raimundo Caruso, Nei Duclós, Marco Vasques, Zahidé Muzart, João Carlos Mosimann, Mário Prata, Rogério Pereira, Celso Martins, Rosana Bond, Silveira de Souza, Tabajara Ruas e Moacir Pereira foram alguns dos participantes das etapas anteriores do projeto.

Breve Entrevista

Como foram suas primeiras experiências em relação à leitura?
Celso Vicenzi
– Meu pai era contador. Lia mais jornais e revistas do que livros. Comprava, às vezes, alguma enciclopédia, para ajudar nos estudos. Minha mãe tinha o curso primário e lia somente revistas. O primeiro livro que li, fascinado pelo relato do meu irmão mais velho, Odone (já falecido), foi “Eram os deuses astronautas?”, de Erich von Däniken, uma polêmica que, à época, parecia bem interessante para um garoto como eu. Na infância li muito histórias em quadrinhos, de Walt Disney. Ou seja, um currículo do qual não dá para se orgulhar.

Que leituras foram mais marcantes na sua adolescência e juventude?
Celso
– Acho que a partir dos 14 anos comecei a frequentar a Biblioteca Fritz Muller, em Blumenau. Lia de tudo, até do que não entendia muito bem, como “O banquete”, de Platão. Li Hemingway, Hesse, Steinbeck, Tolstoi, Dostoievski, Orwel, Goethe, Kafka, Stendal, Wilde, Borges, Becket, Shakespeare, Gabriel García Márquez, Drummond, Millôr, Quintana, Fernando Pessoa – de tudo um pouco. Impossível não esquecer nomes… Mas não sou especialista em nada. E tenho péssima memória. Gosto muito da poesia de Manoel de Barros, que renomeia o mundo com suas coisas “desimportantes”.

Você também escreve e já publicou. Ainda se considera um escritor ativo, ou está mais voltado ao jornalismo?
Celso
– Não me considero um escritor. Ainda adolescente, estimulado por amigos escritores, cheguei a publicar algumas poesias e participar de coletâneas, mas até o meu ego não se deixou enganar. Desisti, envergonhado. Publiquei “Não me levem a sério – dicionário de humor”, pela editora Insular, e “Gol é orgasmo”, pela Unisul. Hoje escrevo textos curtos de humor, mas não tenho a paixão e a disciplina do escritor. Sou um diletante. Colaboro com artigos em vários sites, entre eles o “acontecendoaqui”, e envio frases diárias de humor pelo twitter @celso_vicenzi.

Num tempo de tantos apelos (na mídia, na internet), como vê a relação dos jovens com os livros e a leitura?
Celso
– Uma boa história, bem contada, sempre irá fascinar o ser humano. A plataforma é que está em fase de transição. Não sabemos se o livro, como é hoje, sobreviverá ou será um luxo para poucos – como já foi no passado. Porque será muito mais fácil acessar qualquer tipo de texto e imagens pela internet. E as novas gerações usam com muita facilidade essas ferramentas virtuais – isso se já não nascerem, algum dia, com um chip no cérebro!

De que forma seleciona suas leituras, diante de tantas possibilidades e da avalanche de edições de livros no Brasil?
Celso
– Ler ajuda a fazer escolhas. Todo leitor se aprimora no ato de ler. E descobre logo que a qualidade é que importa, mais do que a quantidade. Como jornalista, além de literatura, leio obras de não-ficção, nos campos da educação, da ciência, da comunicação, da política, da economia, da antropologia, da psicologia, da sociologia, da filosofia, o vasto universo das ciências humanas, sobretudo. Apesar de toda a tecnologia, há coisas que não mudam com o tempo. Nossas angústias, nossos medos, nossas fraquezas, nossas perguntas vitais continuam todas por aí, passando de geração para geração. E como não estou satisfeito com a condição humana e as injustiças que vejo, leio para me capacitar, de alguma forma, e ajudar a construir relações sociais baseadas na igualdade, no respeito à diversidade, na liberdade e na solidariedade. Como disse o escritor uruguaio Eduardo Galeano, “a primeira condição para transformar a realidade consiste em conhecê-la”. A leitura é uma das formas de conhecimento. De desalienar-se do que oprime.

Com a possibilidade de acessar a leitura por meio de outros suportes, estaria o livro, de alguma forma, ameaçado?
Celso
– O livro é uma tecnologia como outra qualquer. Foi um suporte que revolucionou a propagação de ideias. Ajudou a perpetuar aquilo que apenas a tradição oral mantinha vivo. Se outro suporte tornar-se uma solução melhor, como o livro em relação a outras que a precederam, qual o problema? Claro que tenho uma experiência emocional com o livro, pela sua forma, seu cheiro, seu volume, os tipos de papéis etc., que não me farão abandoná-lo até o fim dos meus dias. Mas o que posso dizer da minha neta, recém vinda a este mundo? Suas experiências sensoriais com a palavra, provavelmente, serão outras. A plataforma sempre será menos importante do que o testemunho que as pessoas deixaram sobre a sua passagem pelo planeta. São essas histórias que continuarão a sustentar as nossas crenças, nossas esperanças, a suportar as dores do mundo. Mas suspeito que, do ponto de vista da invenção, o livro não será fácil de ser suplantado, por suas qualidades intrínsecas. Mais ou menos como a roda, o garfo, a tesoura, o botão, e outros que, por mais que se aprimore o design, suas utilidades permanecem as mesmas ao longo dos séculos. A ponto de ainda não terem inventado nada que faça melhor aquilo para o qual foram criados.

Que tipo de leitura prefere hoje e o que está lendo no momento?
Celso
– Leio de tudo, ficção e não-ficção, poesia e prosa. A palavra me fascina. O conhecimento me arrebata. As histórias me encantam. A vida das pessoas, das mais simples e anônimas às mais famosas e geniais, todos os seres vivos e toda a matéria do universo, seus mistérios, estão no meu campo de interesse. Não sei escolher. Leio menos do que gostaria porque sou preguiçoso e, durante muito tempo outra paixão, que foi jogar futebol, roubou-me preciosos minutos de leituras. Em síntese, sou um autoignorante!

Mais informações com Celso Vicenzi pelo fone (48) 9961-9221 e pelo e-mail , e com o coordenador do Círculo de Leitura, Alcides Buss, pelo fone (48) 9972-3045.

Pesquisa comprova presença de corais recifais na Reserva Biológica Marinha do Arvoredo

29/09/2011 07:54

A formação de corais recifais na Reserva Biológica Marinha do Arvoredo. Fotos: Paulo Bertuol

Em conjunto com pesquisadores da UFSC que já desenvolviam projetos junto à Reserva Biológica Marinha do Arvoredo, em 2009 o biólogo e mergulhador Paulo Bertuol convidou o professor do Departamento de Ecologia e Zoologia Alberto Lindner para observar corais recifais na região. O fato despertou novos interesses acadêmicos e se tornou tema de uma dissertação de mestrado que está sendo desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Ecologia da UFSC.

Resultados parciais dessa pesquisa foram este ano publicados em um artigo na revista Coral Reefs. “Nesse artigo reportamos a formação de corais recifais mais ao sul em todo o Oceano Atlântico, localizada na Reserva Biológica Marinha do Arvoredo, ao norte de Florianópolis e a mil e quinhentos quilômetros ao sul dos recifes de Abrolhos”, destaca Lindner, que desde 1996 estuda os cnidários, conjunto de animais que inclui corais, anêmonas e águas-vivas e orienta a pesquisa de mestrado da bióloga Kátia Capel.

“Os resultados apresentados no artigo são importantes pois mostram que é possível a formação de bancos de corais recifais mesmo no sul do Brasil, em Santa Catarina”,  complementa Lindner, também coordenador o projeto Biodiversidade Marinha de Santa Catarina (veja mais abaixo).

Monitorando o fundo do mar
Desde dezembro de 2010, Kátia vai a cada três meses visitar a reserva para monitorar a população dos corais, que são da espécie Madracis decactis. A região ocupada mede 3400m² e está entre seis e 15 metros de profundidade. A maior densidade (maior número de colônias de corais por metro quadrado) concentra-se em regiões com cerca de nove metros de profundidade, e um dos aspectos já observados é que conforme a profundidade aumenta, aumenta também o tamanho das colônias.

“Para nós foi uma grande surpresa encontrar esse tipo de formação aqui no sul do Brasil. A espécie Madracis decactis havia sido registrada para Santa Catarina, mas não esperávamos observar o desenvolvimento de um banco de corais recifais no estado”, reforça Lindner.

Ao contrário do que acontece em Abrolhos, a espécie de coral encontrada em Santa Catarina não forma recifes, mas um banco de colônias livres sobre o fundo do mar. São duas hipóteses que podem explicar o desenvolvimento desses corais em forma livre.

A primeira é a de que esses animais marinhos estavam em formação rochosa e por algum motivo, como hidrodinâmica (movimento da água), se soltaram e continuaram se desenvolvendo de forma livre. A outra teoria é a de que a larva do coral pode ter se fixado em algum local móvel, como conchas, e se movimentou através das ondas, marés, ou movimento de outros animais. “Esse sítio de corais tem grande potencial para estudos e poderemos desenvolver outros projetos na região”, comemora Kátia Capel.

Vulnerabilidade
De acordo com Lindner, a formação deve ser melhor estudada e protegida, pois representa o limite sul de distribuição de corais recifais em todo o Oceano Atlântico. No Portal Biodiversidade de Santa Catarina, colorido com imagens de esponjas, medusas, corais e peixes, a equipe coordenada pelo professor alerta para a importância do conhecimento e monitoramento da fauna e flora marinha de Santa Catarina.

Logo na página de abertura o grupo destaca que modelos climáticos projetam um acréscimo na temperatura dos oceanos até 2100. Como no Brasil o litoral do estado de Santa Catarina representa o limite sul de distribuição da fauna e flora marinha tropical do Oceano Atlântico, pode ser uma das primeiras áreas no Atlântico onde os potenciais impactos deste aquecimento poderão ser detectados em organismos marinhos. “Isso faz de Santa Catarina um laboratório natural para se monitorar e descrever respostas ecológicas aos impactos antrópicos”, ressalta Lindner.

Independentemente das projeções para os próximos 100 anos, complementa o grupo formado por professores, estudantes de graduação e pós-graduação, é fundamental descrever em detalhe a biodiversidade de organismos marinhos recifais em Santa Catarina, o que pode proporcionar condições mínimas para previsões e modelos estruturados de cenários futuros. “O levantamento taxonômico e o monitoramento da costa é muito importante e se tornou um assunto de interesse da comunidade científica internacional”, destaca o professor.

A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) financia as pesquisas por meio dos projetos Jovens Pesquisadores e Biodiversidade Marinha de Santa Catarina, enquanto o Instituto Chico Mendes (ICMBIO) auxilia com a logística e trabalhos de campo por meio da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo. A defesa da dissertação de mestrado de Kátia, que trará resultados obtidos nos estudos sobre a espécie de coral recifal Madracis decactis em Santa Catarina, está programada para o próximo ano. A pós-graduanda é co-orientada pela professora Bárbara Segal Ramos, do Departamento de Ecologia e Zoologia da UFSC.

Saiba Mais:

Portal da Biodiversidade Marinha de Santa Catarina

O Projeto Biodiversidade Marinha do Estado de Santa Catarina é desenvolvido por uma equipe de professores e estudantes da UFSC. Sintetizar o conhecimento sobre a biodiversidade marinha de Santa Catarina e obter novos dados estão entre os objetivos. Dados sobre espécies de esponjas já estão disponibilizados no site www.biodiversidade.ufsc.br. A iniciativa tem apoio da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo e recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc).  O trabalho integra a Rede Sisbiota-Mar (Rede Nacional de Pesquisa em Biodiversidade Marinha), direcionada a ampliar o conhecimento sobre a biodiversidade brasileira.

O Sisbiota-Brasil é uma iniciativa conjunta entre os ministérios da Ciência e Tecnologia, da Educação e do Meio Ambiente, do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e de 18 fundações estaduais de amparo à pesquisa, incluindo a FAPESC. Na UFSC é coordenado pelo professor Sérgio R. Floeter, também do Departamento de Ecologia e Zoologia, e integra pesquisadores de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Pernambuco e Ceará.

Mais informações com o professor Alberto Lindner (48) 3721-4744 / ou Kátia Capel

Por Rafaela Blacutt (Bolsista de Jornalismo na Agecom) e Arley Reis (Jornalista na Agecom)

IV Simpósio Dano Ambiental na Sociedade de Risco

29/09/2011 07:51

Prossegue nesta quinta-feira no auditório do Fórum da Ilha o IV Simpósio Dano Ambiental na Sociedade de Risco A promoção é do Grupo de Pesquisa Direito Ambiental e Ecologia Política na Sociedade de Risco, ligado ao Departamento de Direito da UFSC.

IV Simpósio Dano Ambiental na Sociedade de Risco
Local: Fórum do Norte da ILha

– Dia 29/09/2011

– Painel III – Risco e Eficiência Energética
9h30min: Energia Eólica: Eficiência e Riscos Ambientais / Professor Júlio Cesar Passos (UFSC)
10h: Energia Solar Fotovoltaica / Professor Trajano Viana
10h30min: Bicombustíveis Aspectos Técnicos e Jurídicos / Professora Heline Sivini Ferreira
11h: Sustentabilidade e Eficiência Energética (Eng. Ronaldo Custódio )

Tarde

– Painel IV- Risco no Contexto Internacional
14h30min: Risco Energético e o Mercado Internacional / Professora Cristiane Derani
15h: Direito Internacional Ambiental e Proteção do Risco / Professora Letícia Albuquerque
15h30min: O Caso Belo Monte: aspectos técnicos e jurídicos / Professora Eliane Moreira
16h­­: Debates

– Painel V- Risco X Sustentabilidade
16h­30min:
Poluição Invisível e Risco Concreto / Paulo Roney Ávila Fagundez

17h: A tutela jurisdicional do risco ecológico abusivo / Clovis Malinverne da Silveira

Dia 30.09.2011

Manhã
– Painel VI- Risco Tecnológico
10h: Toxidade e Nanotecnologia / Tania Pasa
10h30min: Aquífero Guarani e Risco de Contaminação / Luiz Fernando Scheibe
11h: Estratégias para superar os Biorriscos da Agricultura Moderna / Rubens Onofre Nodari
11h30min: OGMs, riscos e o princípio da precaução / Solange Teles da Silva

Tarde
– Painel VII – Risco e Gestão dos Recursos Naturais
14h30min: Gestão Patrimonial de Recursos Marinho Costeiros / Paulo Freire Vieira
15h: Riscos de Eventos Meteorológicos Extremos / Regina Rodrigues
15h30min Biodiversidade e Riscos Ambientais / Ademir Reis
16h: Eficiência Energética nas Edificações / Roberto Lamberts
16h30min: Gestão da Defesa Civil face ao Risco da Mudança Climática / Caroline Margarida

Seleção para professor substituto

28/09/2011 18:15

A Pró-Reitoria de Desenvolvimento Humano e Social da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) informa:

Estão abertas até 30/09/2011 as inscrições para o Processo Seletivo Simplificado para Professor Substituto do Departamento de Engenharia Civil (1 vaga) – Edital 113/DDPP/2011 (http://www.prdhs.ufsc.br/arquivos/Edital_113DDPP2011.pdf).

Estão abertas até 07/10/2011 as inscrições para o Processo Seletivo Simplificado para Professor Substituto do Colégio de Aplicação e do Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras (duas vagas) – Edital 115/DDPP/2011 (http://www.prdhs.ufsc.br/arquivos/Edital_115DDPP2011.pdf).

Módulo de Capacitação “Etapas do Projeto de Pesquisa”

28/09/2011 18:09

A Seção de Capacitação Técnica/DAP-HU está promovendo neste semestre o Módulo de Capacitação ETAPAS DO PROJETO DE PESQUISA, destinado a docentes e técnico-administrativos da UFSC.

OBJETIVO: Identificar e explicar as etapas que compõem o Projeto de Pesquisa.

CONTEÚDO: Apresentação do módulo. Definição e finalidade do projeto de pesquisa; Definição do tema, justificativa e problema de pesquisa; Hipóteses, objetivos; Fundamentação teórica; Metodologia; Resultados esperados, cronograma, orçamento; Referências bibliográficas, anexos e apêndices.

CARGA HORÁRIA: 21 horas

DIAS: 17/10, 19/10, 21/10, 24/10, 26/10, 28/10 e 31/10/2011 – (2ª, 4ª e 6ª feira).

HORÁRIO: das 8h30min às 11h30min.

Inscrições e informações através do site www.sgca.ufsc.br/web ou pelo telefone (48) 3721-8088.

Estudantes de Pedagogia reivindicam melhor infraestrutura

28/09/2011 18:02

Foto: Brenda Thomé/Bolsista de Jornalismo na Agecom

O Centro Acadêmico Livre de Pedagogia (CALP) da UFSC realizou na tarde desta quarta-feira, dia 28, um protesto para reivindicar a melhoria das cadeiras e carteiras das salas de aula do Departamento de Pedagogia, que fica no Centro de Ciências da Educação (CED). As cadeiras quebradas que eram utilizadas pelos alunos foram colocadas na frente do prédio da direção do centro. Cerca de 30 estudantes participaram da manifestação.

Segundo a aluna integrante do CALP, Amanda Prado, as cadeiras quebradas estavam ocupando espaço nos corredores do departamento e o protesto foi a maneira que os estudantes encontraram para chamar a atenção da direção.

Para o diretor do CED, professor Wilson Schmidt, a manifestação ajudou a evidenciar o problema estrutural do centro. Para ele, as cadeiras que foram compradas por licitação são frágeis e ruins, criando uma situação constrangedora para os estudantes.

A direção do centro mandará uma nota para a empresa responsável pelo fornecimento das cadeiras para cobrar as providências necessárias e resolver a situação.

Por Ricardo Pessetti / Bolsista de Jornalismo da Agecom

Programa Ciência Sem Fronteiras

28/09/2011 16:21

Os editais do Programa Ciência Sem Fronteiras estão disponíveis nos sites da Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão e da Secretaria de Relações Institucionais  e Internacionais. O objetivo é a formação de recursos humanos qualificados em universidades e instituições de pesquisa estrangeiras. O projeto prevê a concessão de até 75 mil bolsas em quatro anos.

Saiba Mais:

Bolsas CNPq

Por intermédio do Departamento de Projetos Pesquisa (DPP), a Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão será responsável pelo processo que vai conceder bolsas do CNPq na modalidade Graduação Sanduíche no Exterior – SWG. O programa vai apoiar estudantes matriculados em cursos de graduação da UFSC, para aperfeiçoar sua formação no exterior e estimular suas competências e habilidades para o desenvolvimento científico e tecnológico, o empreendedorismo e a inovação.

O estudante recebe bolsa de estudos, além das passagens, auxílio instalação e seguro saúde, para cumprir programa de mobilidade. As inscrições devem ser realizadas até 14 de novembro, em formulário disponibilizado no site http://pibic.ufsc.br.

As mensalidades, no valor de US$ 870, serão pagas trimestralmente, nos meses de janeiro, abril, julho e outubro. No site do CNPq estão as instituições conveniadas para o intercâmbio. A lista dos beneficiados será divulgada até o dia 2 de dezembro. As áreas prioritárias e os critérios para a distribuição das bolsas estão no edital.

Bolsas Capes

Em conjunto com a Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PREG), a Secretaria de Relações Institucionais e Internacionais (Sinter) vai coordenar a chamada Capes do Programa Ciência sem Fronteiras, que vai proporcionar um ano nos Estados Unidos. A ida dos estudantes terá início a partir de janeiro de 2012.

A Capes paga as taxas e cobre custos de hospedagem e alimentação. As inscrições devem ser realizadas no site http://www.capes.gov.br/CSF.html e do IEE (www.iee.org), até o dia 20 de outubro. Cabe à UFSC homologar as candidaturas.

Os cursos contemplados são aqueles dos novos campi, CFM, CTC, CCA, CCB, CCS e CDS, além das graduações em Geologia, Oceanografia e Geografia (ligadas ao CFH), e Design de Produto (do CCE).

Para ter sua candidatura homologada, o estudante deve ter IAA igual ou maior à média de seu curso, ter um máximo de três reprovações, entre 40 e 80% do curso concluído no final do semestre. Veja outros detalhes no edital da UFSC.

Ciência Sem Fronteiras

O Programa Ciência sem Fronteiras (http://www.capes.gov.br/cienciasemfronteiras/), lançado no dia 26 de julho de 2011, é um programa do Governo Federal que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio de alunos de graduação e pós-graduação e da mobilidade internacional. O projeto prevê a concessão de até 75 mil bolsas em quatro anos.

A iniciativa é fruto de esforço do Ministério da Educação (MEC), em conjunto com o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), por meio de suas respectivas instituições de fomento – Capes e CNPq –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.

CinePET Serviço Social exibe “Panteras negras” nesta sexta

28/09/2011 15:58

O CinePET Serviço Social apresenta nesta sexta, dia 30, o filme “Panteras Negras“. A sessão começa às 16h, na sala 217 do Centro Sócio-Econômico e terá debate com Estela Maris Cardoso. Os participantes terão direito a certificado de quatro horas.

Sinopse: O Partido dos Panteras Negras de Autodefesa, surge em 1967 com o intuito de proteger os negros das violentas arbitrariedades dos policiais brancos e educar a comunidade afro-americana em se conscientizar dos seus direitos. Faz o que pode para tirar das ruas os traficantes de drogas e enfrenta a polícia de Oakland, California, que é extremamente racista, quando desrespeita os direitos civis dos negros. O partido faz tudo isto sem transgredir alguma lei. Logo, brancos conservadores começam se sentir incomodados e planejam se livrar desta “ameaça”, mesmo que tenham de desrespeitar a lei.

Informações: 3721-9453 ou .

Projeto do Plano Diretor Participativo é lançado na UFSC

28/09/2011 12:06

O comitê de Uso Racional de Recursos, órgão ligado à Secretária de Planejamento e Finanças, lançou hoje (28) no Auditório da Reitoria da UFSC, o projeto do Plano Diretor Participativo da Universidade. O objetivo da proposta é de ampla construção e debate sobre a utilização de todas as áreas da universidade, com sentido de ampliar a qualidade do ensino, a pesquisa e extensão perante a sociedade.
(mais…)

Provas de proficiência em alemão do Instituto Goethe

27/09/2011 19:17

Serão realizadas na UFSC, entre os dias 27 e 28 de outubro, as provas de proficiência em alemão do Instituto Goethe. O Centro de Comunicação e Expressão (CCE) foi credenciado para aplicar os testes em 2010, executando agora sua segunda edição.

O calendário de provas, os preços e procedimentos de inscrição podem ser encontrados aqui.

Mais informações com a professora Ina Emmel – 3721-9288 / Ramal 241