UFSC recebe 3º Encontro Regional dos Estudantes Indígenas da Região Sul

26/07/2018 14:45

A abertura do III Encontro Regional dos estudantes indígenas da Região Sul foi realizada nesta quarta-feira, dia 25 de julho, no auditório da reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e envolveu lideranças de movimentos indígenas, gestores e professores da UFSC, além de estudantes indígenas de diversas universidades da região sul.

No primeiro dia de evento, 25 de julho, a programação foi composta por três mesas: “A conjuntura política brasileira”, “Os retrocessos nas políticas de ações afirmativas após o golpe” e  “Patrimônio cultural indígena na universidade”.

O segundo dia, 26 de julho, é composto por quatro mesas, sendo a primeira “Patrimônio cultural indígena na universidade”, a segunda “Saúde Indígena e saúde mental”, a terceira “Gás, Petróleo, Combustíveis Fósseis e a Defesa dos Territórios Indígenas” e a quarta “A Atuação das Lideranças Indígenas na Defesa dos Direitos Originários Sobre os Territórios”. O dia é finalizado com uma noite cultural.

O último dia de evento, 27 de julho, conta com atividades culturais e a elaboração da plenária final, em que propostas de políticas públicas para os povos indígenas serão apresentadas e enviadas em documento ao governo brasileiro, às universidades e para o Encontro Nacional de Estudantes Indígenas (ENEI).

Segundo Jozileia Daniza Jagso que pertence à tribo Kaingang da terra indígena Serrinha (RS) e é coordenadora do curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica, a elaboração da plenária é importante para que os chefes de estado entendam as demandas dos povos nativos, como também para que percebam a autonomia desses povos. “Hoje nós estamos falando por nós mesmos, hoje nós somos nossos interlocutores, hoje não precisamos mais que outras pessoas pensem por nós, nós pensamos e falamos por nós e isso é essencial”, relata.

Edições anteriores

A primeira edição do encontro ocorreu no ano de 2016, na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul e contou com a participação de 80 pessoas. Quem promoveu o primeiro encontro foi o Programa de Educação Tutorial Indígena (PET). O evento discutiu questões como direito, território e saúde. Em 2017, foi realizada a segunda edição do evento, também no Rio Grande do Sul, mas desta vez, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Naquele ano, além de questões territoriais, foram inclusos na discussão assuntos envolvendo as ações afirmativas estudantis e o permanecimento dos estudantes indígenas na universidade. O evento foi encerrado com um ato político.

Foi na segunda edição que a proposta de a UFSC sediar a terceira edição do evento foi apontada. Isso porque, segundo Jozileia, o estado de Santa Catarina é um território de diversos conflitos envolvendo os povos indígenas da região sul. “Nós temos um processo de luta do povo Guarani Mbyá aqui no litoral de Santa Catarina, pela demarcação e homologação da terra indígena no Morro dos Cavalos e de outras terras indígenas”, afirma.

Aline Souza/ Estagiária de Jornalismo /Agecom/ UFSC

Fotos: Ítalo Padilha / Agecom / UFSC