UFSC recebe 900 Secundaristas em evento que simula reuniões de Organizações Internacionais

18/06/2018 18:01

Foto: Jair Quint/Agecom/UFSC

Na última sexta-feira, dia 15 de Junho ocorreu a VIII Simulação de Organizações Internacionais para o Ensino Médio (Siem) no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O evento, que é organizado por alunos de graduação do curso de Relações Internacionais da UFSC, ocorre anualmente e simula as principais mesas de debates de diversas organizações internacionais, com o objetivo de discutir e tomar decisões sobre assuntos globais, de forma democrática e tolerante, desenvolvendo a retórica e argumentação dos estudantes secundaristas.

Foto: Jair Quint/Agecom/UFSC

As reuniões simuladas foram a Assembleia Geral das Nações Unidas, com o tema “Guerra Civil na república Centro Africana”; o Conselho de Segurança das Nações Unidas, que discutiu “Os testes de mísseis balísticos feitos pela Coreia do Norte”; a Organização dos Estados Americanos, que debateu a “Crise Político Econômica na Venezuela”; e por fim o Conselho da União Europeia, com o tema “Questão do separatismo da Catalunha”. Esse ano o evento contou com a participação de 900 alunos, de diversas escolas públicas e particulares de Florianópolis.

As escolas foram divididas por delegações de acordo com o engajamento de cada uma nas edições passadas. “Tem escola que está com a gente desde o começo, então, como a gente sabe que essas escolas têm um engajamento muito grande por parte dos alunos, a gente dá mais delegações. Tem escola que vai ter até 6 delegações, por exemplo, e tem escola que vai ter 1 ou 2” diz Helena Miranda Cherem, bolsista e organizadora do projeto. A distribuição dos alunos nas reuniões foi decidido de acordo com a preferência de cada escola.

Das reuniões simuladas, a Assembleia Geral da ONU é a que mais estudantes participaram. O espaço definido para essa reunião foi de 600 secundaristas, sendo 50 delegações de 12 estudantes cada. A Assembleia Geral é a única que pode ser assistida por outras pessoas como visitantes. A reunião da Organização dos Estados Americanos contou com 20 delegações de 6 estudantes, e as outra duas, que são menores, participaram entre 60 e 80 pessoas.

Foto: Jair Quint/Agecom/UFSC

Os temas de cada um dos debates foi decidido pelos três bolsistas do projeto. Após a decisão pesquisaram sobre o assunto e montaram um guia de estudos que enviaram para as escolas participantes. Esse ano os bolsistas do projeto escolheram temas relacionados ao sul global para as discussões. “Nós três decidimos os temas e tomamos as decisões maiores, mas para tudo acontecer são muitas pessoas”, diz Helena.

Os graduandos de Relações Internacionais ficaram divididos entre cadastramento, coffee break, comando das mesas diretoras e circulação pelas salas das reuniões, recolhendo “cartas diplomáticas”, que são bilhetes que as delegações mandam umas para as outras para se aliar nos debates.

Marianna Wrona, 15 anos, estudante do Colégio da Lagoa, participou pela primeira vez do evento e foi a Chefe de Estado de sua Delegação, a Estônia, na reunião da União Europeia. “Eu achei bem legal, estou surpresa porque é bem real”, contou. Outro estudante que participou pela primeira vez foi Lucas Costa, 16 anos, do Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires. Sua delegação foi o Haiti, na Assembleia Geral da ONU, que debateu a guerra civil Centro Africana. “Eu achei bem interessante porque discutiu vários problemas que várias pessoas não conhecem”, afirmou Lucas.

O encerramento ocorreu às 18h, com uma palestra do Instituto de Educação Política (Politize).

 

Aline Souza/ estagiária de jornalismo na Agecom/UFSC