Projeto da UFSC com impacto na produção de alimentos leva prêmio como melhor trabalho internacional

05/06/2018 16:45

Esmeralda, Walter, Marco, Alacoque, Moisés, Felipe e Leila: impacto internacional. Foto: Ítalo Padilha

Nos dias de hoje, entre as perguntas que são feitas quando se fala em educação, especialmente nas universidades, uma em especial se refere a que tipo de doutores estamos formando. No caso da UFSC, a resposta é inequívoca: doutores como Moisés Poli, que recebeu um prêmio internacional do programa Alltech Young Scientist Award.

O seu trabalho, Pacific White Shrimp and Nile Tilapia Integration in a Biofloc System Under Different Fish-Stocking Densities, foi qualificado como o melhor América Latina, o que o classificou para etapa mundial do prêmio e na qual Poli foi premiado com o “Impact Award”, o projeto de maior impacto na cadeia produtiva do agrobusiness (produção de alimentos). Sua pesquisa envolve a criação integrada de camarões brancos e tilápias à produção sustentável de alimentos a partir da tecnologia de sistema superintensivo de bioflocos e Moisés teve a orientação de dois técnicos administrativos, Felipe Vieira (orientador), vinculado ao Laboratório de Camarões Marinhos, e Marco Antonio de Lorenzo (co-orientador), veterinário do Biotério Central da UFSC.

Na UFSC, o prêmio foi entregue a Moisés pela vice-reitora, Alacoque Lorenzini Erdman, que ratificou a importância do Alltech Young Scientis Award e destacou a relevância da participação de servidores técnico-administrativos nos programas de pós-graduação da universidade. “Os TAEs pensam e agem juntos e é fundamental valorizar os potenciais disponíveis na instituição”. E arrematou:” É muito difícil investir nas pessoas, porque isso depende essencialmente de recursos, mas a sociedade não pode prescindir desse tipo de investimento”.

Alltech Young Scientis Award é uma das principais premiações mundiais a jovens cientistas e no último estágio do evento reúne os melhores trabalhos da América Latina, Ásia/Oceania, Europa/África e Estados Unidos.

Para participar da premiação, os candidatos devem ser indicados por seus orientadores e disputam, em suas respectivas macrorregiões, quatro estudantes de graduação e quatro estudantes de pós-graduação. O melhor trabalho concorre na etapa final, e foi nesse estágio que Moisés foi agraciado com o prêmio de maior impacto na produção de alimentos, após ser indicado por seu orientador, professor Felipe do Nascimento Vieira.

Presentes à entrega do prêmio na UFSC o diretor do Centro de Ciências Agrárias (CCA), Walter Quadros Seiffert, a coordenadora de pós-graduação em Aquicultura, Leila Hayashi; Felipe Vieira, Marco Antonio de Lorenzo e Esmeralda Chamorro, doutoranda em Aquicultura.