Ex-fotógrafo da Agecom é um dos personagens de Flecha Dourada, filme premiado no FAM 2018

25/06/2018 13:18

Jonas, o imortal Deiris Salaam. Foto: Acervo Agecom/UFSC

Muita gente não sabe, mas Deiris Salaam era o alter-ego de Jones João Bastos, que atuou por mais de 40 anos como fotógrafo da Agência de Comunicação da UFSC – Agecom – e é um dos personagens citados no curta Flecha Dourada. Dirigido por Cíntia Bittar, Flecha Dourada foi escolhido como melhor filme entre os curtas catarinense (júri oficial) no FAM 2018.

“Jonas”, como era conhecido na UFSC, integrava a trupe de Águia Veloz, Mercury, Cometa, Sombra e Tauros, formando o grupo Golden Flecha, criado por Germinal Moreira, indígena que andava vestido como se estivesse na aldeia e que criou o personagem–título, um lutador que usava capa, máscara e calção estampados de oncinha.

Eram os anos 60 e a luta-livre, também conhecida como catch, era a bola da vez nas televisões e apresentações ao vivo pelo Brasil. Quando a garrafa com sangue falso – mistura de suco de groselha e mel – se quebrava na cabeça do adversário, a plateia levava a sério.

“Jonas” Bastos faleceu no dia 11 de outubro de 2016, mas Deiris Salaam está imortalizado nos 25 quadros por segundo de Flecha Dourada, filme que está no primeiro turno dos indicados ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2018 e esteve na seleção oficial de festivais importantes como a 21º Mostra de Cinema de Tiradentes (2018) e o 27º CurtaCinema – Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro (Competitiva Nacional).

Artemio Reinaldo de Souza/jornalista/Agecom/UFSC