4ª Semana da Dança UFSC reúne 18 atrações gratuitas para a comunidade

03/05/2018 08:20

Para desenvolver a produção e a realização de ações artísticas, educativas e culturais em dança a Secretaria de Cultura e Arte da UFSC promove a IV Semana da Dança UFSC. Entre os dias 7 e 11 de maio, o campus da UFSC em Florianópolis recebe diferentes propostas artísticas que se apresentam em forma de dança. Com programação diversificada, gratuita e aberta à comunidade, a IV Semana da Dança contempla a multiplicidade de conhecimentos produzidos na área da dança.

Durante cinco dias 18 atrações mobilizam artistas e comunidade em torno da dança, espetáculos nacionais, exposições de processo criativo, performances, ensaios, palestras, oficinas e debates abordam os mais variados aspectos da dança.

Atrações

Dois Pontos Cia de Dança-Teatro – sob a direção de Alexandra Klen e Ricardo Tetzner, com o ensaio aberto de Insânia Loquaz, um espetáculo de dança de salão que tem como tema a loucura. O título faz referência ao primeiro texto escrito sobre doença mental no Brasil, em 1831, por José Martins da Cruz Jobi, considerado um dos pioneiros da Psiquiatria no Brasil e merecedor do título de primeiro Neuropsiquiatra do país. A Cia Dois Pontos está em processo de pesquisa artística para poeticamente encenar a loucura e abre seus caminhos para interessados no tema, na linguagem cênica da Dança de Salão da Companhia.
Quando: 7/5 – 10h
Onde: Caixa Preta – CCE Bloco D
Classificação: 12 anos

Antonio Nóbrega – aula-espetáculo: Com Passo Sincopado

Antonio Nóbrega – renomado pesquisador, criador e dançarino pernambucano apresenta a “Aula-espetáculo: Com Passo Sincopado – Em busca de uma linguagem brasileira de dança”. Por meio de performances, vídeos e falas, Nóbrega mostra o seu pensamento sobre uma dança brasileira contemporânea sistematizada a partir do encontro de matrizes corporais populares – passos, giros, meneios, molejos, gingados, etc. – com princípios técnicos, práticas e procedimentos formais. Esboça também uma interpretação da cultura brasileira levando em conta tanto a sua ascendência ocidental ou europeia – classe dominante, letrada – quanto a popular – marginal e de substrato oral.
Quando: 8/5 – 20h
Onde: Auditório Garapuvu – Centro de Cultura e Eventos
Classificação: 12 anos

Luiz de Abreu – Espetáculo

Luiz de Abreu – o coreógrafo mineiro apresenta a performance “Espetáculo”, que coloca em cena, através de elementos simbólicos como a cana de açúcar, a cachaça, livros, tênis Nike e bananas, abrindo um diálogo entre passado e presente do negro brasileiro. Estes elementos, que servem como cenário e ornamento, ao serem colocados em oposição, são também o suporte para que o texto corporal e a dramaturgia do Espetáculo. Este trabalho foi criado a partir de fotografias de escravos do séc. XlX, de documentos sobre o cotidiano do escravo do séc. XVlll e registros sobre a discriminação racial, arquivados no Ministério Público do Estado da Bahia no Séc. XXl, e músicas do período da ditadura brasileira.
Quando: 9/5 – 19h
Onde: Caixa Preta – CCE Bloco D
Classificação: 12 anos

Ensaio para algo que não sabemos

Ensaio para algo que não sabemos. Protótipo 1: construção – apresentado por Karina Collaço e Daniela Alves artistas independentes de Florianópolis, premiadas em 2017 com o prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, “Ensaio para algo que não sabemos” é uma dança que não parte de padrões pré-estabelecidos, mas que instaura novas concepções de sentido e significado; uma dança que parte de um corpo vulnerável e aberto, e não um corpo que apenas repete formas e procedimentos “bem-sucedidos” aos olhos do grande público. As partituras coreográficas de caráter investigativo dialogam com a construção de imagens, sons, estados corporais que norteiam cinco princípios: coreografia, contaminação, cópia, combinação, apropriação.
Quando: 10/5 – 19h
Onde: Caixa Preta – CCE Bloco D
Classificação: 12 anos

Arrasta Ilha – atua desde de 2002 em Florianópolis e tem por objetivo difundir a cultura do Maracatu de Baque Virado, além de outras manifestações populares como o boi de mamão, afoxé e coco de roda. Atualmente, o Maracatu é pesquisado por diversos grupos e pessoas praticantes da música e dança característica deste folguedo, no Brasil e no mundo. A apresentação do Maracatu do Arrasta Ilha na Semana da Dança será em forma de cortejo em algumas áreas externas do campus da UFSC.
Quando: 11/5 – 18h
Onde: Varandão do CCE
Classificação: livre

Coletivo Abayomi

Coletivo Abayomi – com sede em Florianópolis desde 2009, traz o espetáculo Ainikè, que significa “oi” e “obrigado” na língua Malinkê. É uma expressão utilizada todos os dias ao nascer do Sol na aldeia de Sangbarala, no noroeste da Guiné Conakry, África. É na corporeidade dos povos que habitam essa região que o Abayomi busca referências para, através da linguagem da dança, criar poéticas de encontros entre o Rio Djoliba (Níger) e Oxum, orixá simbolizado pelos rios e cachoeiras no Brasil. O Abayomi fundamenta seu trabalho na criação e desenvolvimento de vocabulário, padrões de movimentos e ritmos tradicionais de matrizes africanas no contexto da dança e música Mandén (tronco linguístico do oeste africano). Realiza diversas ações e eventos com o objetivo de ampliar, disseminar e fomentar as artes e cultura africana enquanto desenvolvimento humano, artístico e coletivo.
Quando: 11/5 – 19h
Onde: Auditório Garapuvu – Centro de Cultura e Eventos
Classificação: livre

A IV Semana de Dança UFSC também oferece oficinas, workshops e debates que criam a oportunidade do contato direto com diversas modalidades da dança, aproximando o público do processo criativo a artístico cultural, intensificando a admiração e o interesse comum pela dança.

Café com Dança – o conceituado ciclo de palestras e debates da UFSC recebe o bailarino e coreógrafo Luiz de Abreu que fará uma retrospectiva de sua trajetória discutindo sua própria experiência como artista negro no cenário da dança contemporânea brasileira. O público terá a oportunidade de conversar com o artista e ainda saborear um delicioso café.
Quando: 10/5 – 14h
Onde: Caixa Preta – CCE Bloco D
Classificação: 12 anos

Workshop Percepção Física e Composição Generativa

Workshop Percepção Física e Composição Generativa – ministrado pelo coreógrafo Alejandro Ahmed e pela bailarina Mariana Romagnani da companhia catarinense Grupo Cena 11, o curso visa instrumentalizar o corpo para processar informações de maneira a torná-lo mais apto a observar e fazer um exercício crítico constante do movimento, buscando um controle mais apurado das dramaturgias que este pode propor. Esta oficina é voltada para o exercício de estratégias coreográficas que evidenciem a coautoria de cenas formuladas através de emergências composicionais.
Quando: 11/5 – 10h
Onde: Caixa Preta – CCE Bloco D
Classificação: 12 anos

A programação completa e mais informações sobre o evento esta disponível no endereço eletrônico: www.facebook.com/semanadadancaufsc.

Os ingressos estão disponíveis na secretaria do Departamento de Cultura e Eventos (piso térreo do Centro de Cultura e Eventos da UFSC). No dia dos espetáculos, a distribuição de ingressos será realizada uma hora antes das apresentações.

As atividades acontecem nos espaços da UFSC: campus Trindade Florianópolis, auditório Garapuvu, salas multifuncionais do Centro de Cultura e Eventos, salas multiuso e na Caixa Preta do curso de Artes Cênicas.

A IV Semana da Dança é um evento realizado pela Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte) da UFSC, Departamento de Cultura e Eventos (DCEven), Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária (Fapeu), Departamento de Educação Física do Centro de Desportos (DEF/CDS) e do Departamento de Artes do Centro de Comunicação e Expressão (ART/CCE) com o apoio do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Fundação Catarinense de Cultura, Funcultural e Edital Elisabete Anderle/2017.