Ubaldo fala à imprensa sobre vitória na consulta pública para Reitor e os desafios à frente

12/04/2018 19:18

Ubaldo César Balthazar, escolhido para ser reitor da UFSC. Fotos: Henrique Almeida/Agecom/UFSC

Ubaldo César Balthazar, escolhido pela comunidade universitária para ser reitor da UFSC, concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira, no Gabinete da Reitoria, para os órgãos de divulgação institucional, Agecom e TV UFSC, para os alunos do curso de Jornalismo e a imprensa externa. Membros da Administração Central, pró-reitores e secretários, participaram do momento.

A Comissão Eleitoral (ComeleUFSC) homologou, meia hora antes da coletiva, o resultado final da consulta. Foi feita uma correção nos percentuais de votos apresentados na noite da apuração. O resultado oficial do segundo turno registra que Ubaldo obteve 56,19%, e Irineu Manoel de Souza, 43,80%.

Ubaldo abriu a conversa com os jornalistas e futuros profissionais da área agradecendo a toda a comunidade universitária pelo empenho no processo de consulta, “principalmente aos colaboradores que participaram mais ativamente no esforço em chamar as pessoas a votar. Foi o que fez a diferença!”

Argumentou que o percentual final, com uma diferença de um pouco mais de 13 pontos, “demonstra a legitimidade do processo e aumenta a responsabilidade de representar a Universidade perante à sociedade. Passado o processo, não existe somente as três cores, a partir de agora é trabalhar por uma universidade mais colorida, alegre, feliz e é para isso que vamos trabalhar”.

O primeiro questionamento feito ao futuro gestor foi sobre as ações prioritárias apresentadas no período da campanha – Moradia Estudantil, Hospital Universitário (HU) e Restaurante Universitário (RU). Ubaldo disse que “é preciso voltar os olhos ao HU. Não há dúvida que há muito a ser melhorado e vamos nos empenhar para resolver, seja por meio da Universidade, seja pela Ebserh. Fazer valer o contrato que temos com a gestora do hospital, pois há setores que precisam de atenção imediata como, por exemplo, a Emergência Adulto e Pediátrica. A realidade não condiz com o que deve ser um hospital-escola, e de uma universidade de ponta”, reforça.

Sobre o RU, enfatizou que “uma reclamação antiga são as filas. Temos algumas ideias ainda sem uma definição interna, como ampliar um espaço desocupado da antiga cozinha do restaurante, que pode acrescentar até 400 novas vagas. Não resolve totalmente, mas poderá reduzir bastante o tempo de permanência nas filas”.

Ubaldo colocou que “na Moradia Estudantil, problemas emergenciais já estão sendo resolvidos com algumas reformas, como infiltração, infestação de animais e outras relacionadas à estrutura e itens de uso domiciliar. O problema maior se refere à quantidade de leitos, 167, que para um contingente de universitários carentes é muito pouco”. Há a possibilidade de compra de um imóvel para atender a demanda, que será avaliada no decorrer da gestão.

Para ele, “muitas ações vão esbarrar no problema de recurso, nosso orçamento, que embora corresponda a quarta maior cidade de Santa Catarina, 90% é para pessoal e custeio, o resto é contingenciado”. Citou que a solução pode estar nas emendas parlamentares.

Na sequência, explicou os próximos passos para sua nomeação no Ministério da Educação (MEC). “Eu ainda não sou o novo reitor da Universidade, eu continuo pro tempore até a posse no ministério”, que ainda não tem data definida. O escolhido na consulta é o primeiro da lista tríplice. Desde 1984 e o que esperamos que continue que aconteça é que se cumpra a tradição”.

Indagado sobre o desafio de, mesmo estando próximo de sua aposentadoria, encarar a gestão da UFSC até 2020, falou que esse processo lhe permitiu ver as possibilidades que ainda tem para administrar a Universidade. Com “uma boa equipe, vontade de trabalhar e discernimento, não vejo grandes traumas pela frente”. O maior obstáculo será “conduzir a universidade com calma e tranquilidade, sem sobressaltos, encarando os problemas de frente” e, como repetiu mais de uma vez, sempre com muito diálogo.

 

Leia mais:

Comunidade universitária escolhe Ubaldo para reitor da UFSC

 

Rosiani Bion de Almeida/Agecom/UFSC