Docente da UFSC Araranguá desenvolve projeto para auxiliar pais nos cuidados com os filhos

06/04/2018 13:14

O bem estar de uma criança é sempre uma preocupação dos pais, principalmente quando ela está enferma. Tradicionalmente os responsáveis verificam se seus filhos estão bem, medindo periodicamente a sua temperatura, batimentos cardíacos e a sua respiração. É difícil medir esses sinais sem perturbar a criança, principalmente à noite. No projeto eNurse, o objetivo é criar um sistema embarcado para ser utilizado por uma criança durante a noite, sem causar desconforto. O dispositivo é capaz de  medir e enviar para uma aplicação móvel (smartphone)  os valores  de temperatura, batimento cardíaco e movimento respiratório. Estes valores das medidas são apresentados graficamente na aplicação móvel e em caso de anomalia (indicativo de  febre ou  hipotermia) é disparado um alarme.

O responsável pelo experimento é o professor do Departamento de Computação da UFSC Araranguá, Fábio Rodrigues de la Rocha. “A ideia de desenvolver o eNurse veio da experiência pessoal em criar uma criança pequena que quando doente precisava ser monitorada constantemente para perceber detectar um quadro febril. As noites não foram muito fáceis pois durante a tomada das medidas eu acabava por acordar a criança e às vezes estava tão cansado pela falta de sono que temia cometer erros na dosagem ou na periodicidade da medicação. Assim, decidi fazer algo a respeito para facilitar a minha vida e também a vida de outras famílias. Como resultado disso o projeto eNurse nasceu.” conta Fábio.

O professor ainda explica que o eNurse é um protótipo. “O dispositivo é apenas um protótipo que apenas mede a temperatura, mas depois de realizar experimentos com sensores eu estou certo que será possível expandir o protótipo para utilizar mais sensores.”

Para premiar o esforço e a ideia inovadora, o docente participou de uma competição de sistemas embarcados e acabou muito bem premiado. “Em 2018 tive a oportunidade de participar numa competição de projeto de sistemas embarcados #MakewithMaxim criada pela Maxim Integrated e Mouser Electronics.  Nesta competição existiam duas fases, a primeira onde os competidores submetiam suas idéias de projetos utilizando alguns dos sensores disponibilizados na competição. As melhores idéias recebiam os kits de sensores para que o projeto fosse construído. Na segunda etapa os competidores apresentavam o seu projeto.  Os 3 melhores recebiam prêmios. Com muita alegria eu fui premiado na primeira colocação desta competição. Este reconhecimento me motiva a continuar trabalhando nesta área.” Comemora o professor.

Texto: Jonas Goulart/Comunicação Institucional/UFSC Araranguá.