Estudantes de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSC têm trabalho aprovado para 8º Fórum Mundial da Água

13/03/2018 18:36

De 18 a 23 de março, Brasília sedia o VIII Fórum Mundial da Água. O evento reúne especialistas, representantes do poder público e organizações da sociedade civil visando ao desenvolvimento sustentável a nível global. No evento, o será apresentado o trabalho intitulado “Acesa Escola de Verão – Operação Costa de Dentro”, de autoria dos graduandos de Engenharia Sanitária e Ambiental Rodrigo Franco, Fernando Kit Wu e da pós-graduanda Thaianna Cardoso. A apresentação ocorre no dia 21 de março, durante as atividades do Mapa de Ações da Juventude Global para um Futuro de Segurança Hídrica, organizado pelo Water Youth Network, em que são compartilhadas experiências de soluções locais para o tema água.

O trabalho realizados pelos graduandos e pela pós-graduando em Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSC é fruto das atividades desenvolvidas na Escola de Verão da Associação Catarinense de Engenheiros Sanitaristas e Ambientais (Acesa), realizada no período de férias acadêmicas.

A Escola de Verão da Associação Catarinense de Engenheiros Sanitaristas e Ambientais

Foto: Divulgação ACESA 2018.

A Escola de Verão da Associação Catarinense de Engenheiros Sanitaristas e Ambientais (Acesa) foi realizada em Florianópolis durante 15 dias, com início das atividades em 30 de janeiro de 2018. Organizada em parceria com o Conselho comunitário da Costa de Dentro (Coden), Engenheiros Sem Fronteiras  – Núcleo Florianópolis, o Instituto ELOS, o Instituto Çarakura, o Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo (Cepagro) e a Universidade Federal de Santa Catarina, a ACESA reuniu profissionais formados em conjunto com estudantes da área sanitária ambiental e membros da comunidade para a construção coletiva de melhorias para a região da Costa de Dentro, no sul da ilha de Florianópolis, nos quatro eixos do saneamento: acesso a água de qualidade, gestão e gerenciamento de resíduos sólidos urbanos, manejo de águas pluviais urbanas e esgotamento sanitário. Como metodologia de mediação das atividades, utilizou-se a metodologia ELOS que promove o empoderamento dos envolvidos para a governança local.