UFSC desenvolve projeto Interinstitucional de Mestrado e Doutorado no Sertão Pernambucano

01/12/2017 14:41

Páulia e Alcidênio. Foto: divulgação

Em quatro anos do Projeto Interinstitucional de Mestrado (Minter) e Doutorado (Dinter), promovido pelo Departamento de Engenharia de Alimentos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) para atender instituições de ensino da região Nordeste, estudantes tornaram-se mestres e doutores. Nesta parceria, universidade e acadêmicos trocaram conhecimento e atuaram na ampliação de ações voltadas ao ensino e à pesquisa, papel primordial de projetos de Minter e Dinter.

Iniciado em 2011, o projeto foi levado à Pernambuco pela UFSC em parceria com a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facep) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para atender servidores do Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE), da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e do Senai. Durante um período do projeto, os alunos vieram para a UFSC em Florianópolis, realizar atividades e experimentos. Foram quatro meses para o mestrado e nove para o doutorado.

“Quando eu vim fazer o mestrado (Florianópolis) gostei muito. Os colegas da Engenharia de Alimentos, os professores, o programa em si, todos foram muito receptivos”, afirma com sorriso no rosto, Páulia Maria Cardoso Lima Reis, 39 anos, ex-aluna do Minter. Páulia acredita que iniciativas como essas são importantes para as instituições, principalmente por não precisar liberar os servidores por muito tempo. “É uma iniciativa que todo mundo ganha, adquiri alguma experiência, e acho importante ter esse contato entre as regiões nordeste e sul”.

Um dos destaques de sucesso do Minter/Dinter, de acordo com os professores promotores, foi a maturidade e o interesse dos alunos. Para João Borges Laurindo, do Departamento de Engenharia de Alimentos da UFSC e um dos coordenadores do projeto, a cultura do trabalho e a sede de conhecimento estão presentes entres os estudantes daquela região, sendo que um dos papéis da universidade pública é a formação de especialistas em áreas específicas em que é identificada a falta deste profissional. “A formação de especialistas em determinada área do conhecimento em regiões escassas deste profissional, é um dos nossos objetivos”.

A maioria dos alunos do projeto já atuavam como professores na época. Alcidênio Soares Pessoa, 50 – também ex-aluno do projeto Minter – é um exemplo disso. Professor de Química no IF Sertão-PE, hoje ele está temporariamente afastado da instituição, devido sua vinda para Florianópolis, com o objetivo de cursar o doutorado de Engenharia de Alimentos na UFSC. “Depois da conclusão do doutorado, vamos expandir em nossa região os conhecimentos adquiridos.” afirma.

Alcidênio comenta também sobre a relação Nordeste e Sul. “Se você fala ‘Nordeste’ aqui no Sul, já se pensa na seca, na pobreza, e na verdade não é assim. Existe uma região cheia de vida, de produtividade”. Quem confirma isso é uma das coordenadoras do projeto, Alcilene Rodrigues Monteiro Fritz, que destacou a troca de conhecimento proporcionada aos envolvidos. “É importante disseminar o conhecimento. Acredito que o fato de o programa ter se deslocado até lá foi um ganho tanto para os estudantes como para nós. Conhecemos o Sertão Pernambucano, vimos que existem bons equipamentos, às vezes melhores que os da nossa realidade, mas falta mão de obra qualificada. Assim, o projeto teve uma resposta positiva para nós e um alto engajamento dos alunos”, declara ela.

A sensação de dever cumprido é o sentimento que estudantes e professores do projeto carregam até hoje. Depois do encerramento do projeto em 2015, uma parte dos mestres, como Alcidênio e Páulia, vieram cursar o doutorado na UFSC. Já os doutores do projeto Dinter estão trabalhando e desenvolvendo pesquisas na área. Hoje, o Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Alimentos (PGEAL) tem o conceito 6 pela Capes, assim como o Projeto Minter/Dinter e graças a  iniciativas como essa, é possível conquistar novos patamares de ensino, pesquisa e extensão.

Luna Mariah Zunino/Estagiária em Jornalismo/Agecom/UFSC