UFSC 57 anos: solenidade é marcada por tributo e busca de um ambiente sereno

18/12/2017 14:12

A solenidade de comemoração aos 57 anos de criação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), realizada na manhã desta segunda-feira, 18 de dezembro, no hall do prédio da Reitoria, reuniu servidores, estudantes, autoridades e imprensa em um ambiente duplo: celebrar a história de uma instituição jovem e prestar um tributo ao reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo.

A abertura do evento contou com a apresentação musical da Orquestra de Câmara e do grupo vocal Madrigal, ambos projetos de extensão da UFSC. Citando a serenidade das canções, sem deixar de abordar a força reflexiva das músicas, o chefe de gabinete Aureo Moraes falou em nome dos familiares de Cancellier. “Vivemos, hoje, um momento duplo: o reconhecimento aos 57 anos da UFSC, que precisa ser comemorado, e o tributo ao nosso amigo, Cau, que busca fortalecer os nossos laços. O Madrigal representa o que a UFSC mais precisa: a serenidade do violino, a leveza das vozes, a união de um grupo que reúne instrumentos e vozes em torno de um único sentido, de nos alegrar, tranquilizar, serenar”.

Momentos após descerrar o retrato em homenagem ao reitor Cancellier, o reitor pro tempore Ubaldo César Balthazar reforçou o momento de alegria em comemorar o aniversário de criação da UFSC, mas sem esquecer o período triste que a universidade passou este ano. “Fico dividido. Feliz pela UFSC, mas triste por estarmos inaugurando o retrato do Cau que exerceu a sua função na Reitoria por um momento tão curto e que, de uma maneira profunda, marcou a UFSC pelo seu carisma, tranquilidade, capacidade para ouvir. Temos a obrigação de lembrar, sempre, a memória de Cancellier”.

Placas e faixas foram erguidas por parte dos presentes, durante toda a solenidade, com frases que refletiam sobre ‘Quem matou o reitor’, ‘Não ao abuso de poder’, ‘Pelo estado democrático de direito’, entre outras.

Moraes, diante do momento, falou que é preciso expressar a indignação, exercitar a coragem, combater a arbitrariedade, defender a autonomia e, com diálogo, construir um ambiente harmônico. “Precisamos buscar, entre os membros da comunidade, a serenidade que o Madrigal nos mostrou hoje, que lamenta e se indigna mas que se mantém sereno”.

Para Ubaldo é preciso superar essa marca que nos deixa o ano de 2017 e reconstruir, com paz e autoestima, uma universidade tão jovem como a UFSC. “Eu construí a minha vida aqui dentro e nem nos meus sonhos mais remotos eu poderia sonhar que estaria comemorando os 57 anos da UFSC dizendo algumas palavras como reitor pro tempore. Conto com o apoio de todos para que reconstruamos a imagem, um tanto ferida, da universidade. Vamos superar esse ano e, daqui 57 anos, lembrar 2017 como um momento, embora triste, de reflexão sobre um reitor que deu a vida pela universidade”.

Após afixar o retrato do reitor Cancellier na galeria de ex-reitores, localizada na entrada da sala dos Conselhos, os presentes cantaram os parabéns e comeram bolo em homenagem à UFSC.

Mais

A solenidade, marcada por momentos de reflexão e emoção, também contou com um personagem especial. O diretor do Centro de Ciências Biológicas (CCB), Alexandre Verzani Nogueira, faz aniversário no mesmo dia em que a UFSC celebra a sua criação. Presente no evento, Nogueira diz que se sente orgulhoso de fazer parte da UFSC. “Desde 1994 sou professor da UFSC e tenho orgulho disso. Para mim, todo ano o aniversário da UFSC é uma festa, pois a universidade é o principal, o meu caso é só uma coincidência”.

Nicole Trevisol / Jornalista Agecom / UFSC

Pipo Quint / Agecom / UFSC