Ex-colaborador da Agecom, jornalista Paulo Clóvis Schmitz lança Histórias do Mercado

13/12/2017 11:16

O Mercado Público de Florianópolis, que acumula muitas lendas e vivências, é provinciano e local. Mas é também universal e cosmopolita como as crônicas de Paulo Clóvis Schmitz, o PC, autor de Histórias do Mercado, livro publicado pela Caminho de Dentro Edições com lançamento marcado para às 10 horas deste sábado, dia 16, no Balcão Mané.

Os textos falam de um amálgama de credos, origens e raças. Nas 30 crônicas PC faz desfilar madames e mundanas, estrangeiros e manés, artistas, famosos e outros nem tanto, bêbados e sóbrios, malandros e bobos, corruptos e corruptores, políticos e politiqueiros, descalços no parque, apostadores, intelectuais, loucos, poetas e jornalistas, triste e palhaços entre tantos outros.

A vaca do mané que, no final da tarde, decidiu atravessar o mercado, deixando suas marcas pelo corredor; a invasão de uma trupe de homens vestidos de mulher, com a banda “Mexe-Mexe” puxando marchinhas numa sexta de Carnaval; o gato que que sobreviveu a um incêndio, mas ficou com o bigode chamuscado  e o bigode queimado; a passagem inesquecível de Liza Minelli, ciceroneada pelo músico mané Luiz Henrique Rosa, no corredor do Mercado, com um autêntico negro do Mississipi.

Nascido em 1957 na cidade Quilombo, oeste de Santa Catarina, PC é “manezinho da Ilha” e cidadão do mundo. Filho de Egydio José Schmitz e Ana Luiza Girotto, PC tem três irmãs: Dolores Beatriz, Marlene Terezinha e Neusa Maria. Sua companheira de jornada é a professora Ana Cristina de Jesus

Jornalista, foi repórter, editor, editorialista e colunista e, claro cronista. Atuou como assessor de imprensa e de comunicação e exerceu o magistério como professor de Jornalismo. Trabalhou nos jornais O Estado, Diário Catarinense, Indústria e Comércio, Radar e Notícias do Dia.

Emprestou sua criativa pena para as revistas Varejo e Cartaz. Na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) participou do Jornal Universitário, publicado pela Agência de Comunicação (Agecom). Na Fundação de Catarinense de Cultura editou o jornal Ô Catarina.

Foi assessor de imprensa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SC), da Secretaria de Estado da Cultura, Esporte e Turismo de SC e professor da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). Paulo Clóvis, como muitos jornalistas, pelo ambiente, hábito e principalmente por causa do talento literário, conquistou status de escritor.

Sozinho ou com o fotógrafo Danísio Silva, escreveu, entre outros, livros sobre o Teatro Alvaro de Carvalho, as “Belezas ocultas de Florianópolis”, a “Poética da diversidade de Florianópolis em preto e branco” e “Florianópolis 180 graus”.

Como bom mané, detentor do “Troféu Manezinho” da Ilha”, escreveu histórias sobre o Mercado Público, lançou a cartilha “Arquipélagos dos Açores” e enriqueceu o livro Jornalismo Cultural – 5 debates.

“PC é uma referência unânime inteligente no jornalismo cultural. Uma lenda, mas antes de tudo, uma pessoa ética. Uma dádiva para os leitores”, diz o jornalista Moacir Loth, ex-diretor da Agência de Comunicação.

Serviço

O quê: Lançamento do livro Histórias do Mercado, de Paulo Clóvis Schmitz

Onde: Bar Balcão Mané  – Mercado Público de Florianópolis

Quando: Sábado, 16 de dezembro, 10 horas