Equipe da UFSC coordena atividades de diagnóstico de Planos de Recursos Hídricos

07/12/2017 08:44

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) atua, por meio de apoio técnico, em atividades de reconhecimento do território estadual relacionadas aos Planos de Recursos Hídricos das bacias hidrográficas da região da Grande Florianópolis, realizadas em novembro. Em 2018 terá início a etapa de Prognóstico de Recursos Hídricos.

Na Grande Florianópolis são desenvolvidos dois planos:

  1. Bacias hidrográficas ao norte de Florianópolis, principalmente as dos rios Tijucas e Biguaçu, além das bacias menores que se estendem até Itapema. Este plano é desenvolvido pela secretaria de estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS) em parceria com o Comitê Tijucas Biguaçu, com apoio técnico da UFSC. Os encontros relacionados a este plano ocorreram nos dias 21, 27 e 29 de novembro, em Biguaçu, Tijucas e Itapema, respectivamente.
  1. Bacias hidrográficas ao sul de Florianópolis. Os rios Cubatão e Madre são os principais desta região de importância ambiental, que abriga o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. O Plano de Recursos Hídricos desta região é desenvolvido pela SDS e pelo Comitê Cubatão-Madre, também com apoio técnico da UFSC. Os encontros deste plano ocorreram nos dias 22, 28 e 30 de novembro, em Massiambu, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz, respectivamente.

O objetivo das oficinas de Reconhecimento do Território foi ouvir a população que mora na bacia sobre os aspectos de cada local. Dessa maneira, os dados coletados podem ser relacionados com informações técnicas levantadas ao longo do último semestre pela equipe da UFSC. Os participantes também puderam elencar quais pontos eram mais ou menos importantes.

As atividades, coordenadas pela equipe da UFSC, utilizou como metodologia a Análise SWOT, sigla em inglês que significa Forças (Strengths), Fraquezas (Weakness), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats). Cada encontro foi dividido em duas partes. Após a apresentação dos participantes, a equipe da UFSC falou sobre os aspectos legais relacionados à água e destacou dados socioeconômicos e geográficos das bacias. Depois de uma pausa para o café, deu-se início à análise participativa.

Destacaram-se como pontos fortes a diversidade de recursos naturais, a diversidade econômica e o potencial turístico da região. Quanto aos pontos fracos, a falta de saneamento básico foi mencionada em todos os encontros como um dos principais fatores.

Novas oficinas relacionadas aos Planos de Recursos Hídricos vão ocorrer no próximo semestre. Todas as atividades são divulgadas previamente no site.